Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

LUÍS DA CÂMARA CASCUDO: PREFACIADOR DE "ALMA PATRÍCIA"

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4453
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 1090
    "inscrito_id" => 1230
    "titulo" => "LUÍS DA CÂMARA CASCUDO: PREFACIADOR DE "ALMA PATRÍCIA""
    "resumo" => "O objetivo deste trabalho é analisar o texto introdutório de "Alma Patrícia", primeiro livro publicado por Luís da Câmara Cascudo. Essa estréia, em julho de 1921, marca a sua inserção no campo da literatura que ocorre duplamente – como crítico literário e como prefaciador de obras literárias e não literárias – no contexto de uma vasta produção, nas mais diversas áreas do conhecimento: historiografia, antropologia, etnografia, etc. “Em vez de prefácio” foi o título escolhido pelo escritor para o seu primeiro prefácio. O autor justifica a escritura do livro chamando a atenção para o fato de não haver ainda naquele momento, no Rio Grande do Norte, um livro de crítica literária e, sem falsa modéstia, afirma: “Esse livro vai preencher a lacuna” (CASCUDO, 1991, p. 07). O prefaciador informa ao leitor que o livro é de crítica literária e que está quitando uma dívida com a sociedade norte-rio-grandense: “Agora, que a vida se me aquiéta, lanço-o à rua, fria e conscientemente, com o ar meio compungido de quem paga dívidas atrazadas e voltuosas” (CASCUDO, 1991, p. 07).  O prefácio ora estudado se encontra inserido em um corpus composto por cerca de 80 textos (prefácios, proêmios, prólogos, orelhas, notas, posfácios, etc), de uma pesquisa sobre a prática da crítica literária exercitada pelo escritor potiguar. Para buscar uma melhor compreensão do texto estudado consultamos/examinamos “O ensaio como forma”, de Adorno (2003), obras de Candido (1980/1997/2005), além de um referencial teórico sobre o paratexto “prefácio”, como Sales (2003) e Teles (1989/2010), etc."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_1230_92640763227bc244267b03ba2ffbb639.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA DA CONCEIÇÃO SILVA DANTAS MONTEIRO"
    "autor_nome_curto" => "CONCEIÇÃO MONTEIRO"
    "autor_email" => "ceicamonteiro_72@hotmail."
    "autor_ies" => "UERN/UFRN"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4453
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 1090
    "inscrito_id" => 1230
    "titulo" => "LUÍS DA CÂMARA CASCUDO: PREFACIADOR DE "ALMA PATRÍCIA""
    "resumo" => "O objetivo deste trabalho é analisar o texto introdutório de "Alma Patrícia", primeiro livro publicado por Luís da Câmara Cascudo. Essa estréia, em julho de 1921, marca a sua inserção no campo da literatura que ocorre duplamente – como crítico literário e como prefaciador de obras literárias e não literárias – no contexto de uma vasta produção, nas mais diversas áreas do conhecimento: historiografia, antropologia, etnografia, etc. “Em vez de prefácio” foi o título escolhido pelo escritor para o seu primeiro prefácio. O autor justifica a escritura do livro chamando a atenção para o fato de não haver ainda naquele momento, no Rio Grande do Norte, um livro de crítica literária e, sem falsa modéstia, afirma: “Esse livro vai preencher a lacuna” (CASCUDO, 1991, p. 07). O prefaciador informa ao leitor que o livro é de crítica literária e que está quitando uma dívida com a sociedade norte-rio-grandense: “Agora, que a vida se me aquiéta, lanço-o à rua, fria e conscientemente, com o ar meio compungido de quem paga dívidas atrazadas e voltuosas” (CASCUDO, 1991, p. 07).  O prefácio ora estudado se encontra inserido em um corpus composto por cerca de 80 textos (prefácios, proêmios, prólogos, orelhas, notas, posfácios, etc), de uma pesquisa sobre a prática da crítica literária exercitada pelo escritor potiguar. Para buscar uma melhor compreensão do texto estudado consultamos/examinamos “O ensaio como forma”, de Adorno (2003), obras de Candido (1980/1997/2005), além de um referencial teórico sobre o paratexto “prefácio”, como Sales (2003) e Teles (1989/2010), etc."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_1230_92640763227bc244267b03ba2ffbb639.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA DA CONCEIÇÃO SILVA DANTAS MONTEIRO"
    "autor_nome_curto" => "CONCEIÇÃO MONTEIRO"
    "autor_email" => "ceicamonteiro_72@hotmail."
    "autor_ies" => "UERN/UFRN"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar o texto introdutório de "Alma Patrícia", primeiro livro publicado por Luís da Câmara Cascudo. Essa estréia, em julho de 1921, marca a sua inserção no campo da literatura que ocorre duplamente – como crítico literário e como prefaciador de obras literárias e não literárias – no contexto de uma vasta produção, nas mais diversas áreas do conhecimento: historiografia, antropologia, etnografia, etc. “Em vez de prefácio” foi o título escolhido pelo escritor para o seu primeiro prefácio. O autor justifica a escritura do livro chamando a atenção para o fato de não haver ainda naquele momento, no Rio Grande do Norte, um livro de crítica literária e, sem falsa modéstia, afirma: “Esse livro vai preencher a lacuna” (CASCUDO, 1991, p. 07). O prefaciador informa ao leitor que o livro é de crítica literária e que está quitando uma dívida com a sociedade norte-rio-grandense: “Agora, que a vida se me aquiéta, lanço-o à rua, fria e conscientemente, com o ar meio compungido de quem paga dívidas atrazadas e voltuosas” (CASCUDO, 1991, p. 07). O prefácio ora estudado se encontra inserido em um corpus composto por cerca de 80 textos (prefácios, proêmios, prólogos, orelhas, notas, posfácios, etc), de uma pesquisa sobre a prática da crítica literária exercitada pelo escritor potiguar. Para buscar uma melhor compreensão do texto estudado consultamos/examinamos “O ensaio como forma”, de Adorno (2003), obras de Candido (1980/1997/2005), além de um referencial teórico sobre o paratexto “prefácio”, como Sales (2003) e Teles (1989/2010), etc.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.