Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

ENTRE DISCURSOS QUE RESSIGNIFICAM TERRITÓRIOS, FRONTEIRAS E SUJEITOS NA LITERATURA BRASILEIRA

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4509
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 194
    "inscrito_id" => 289
    "titulo" => "ENTRE DISCURSOS QUE RESSIGNIFICAM TERRITÓRIOS, FRONTEIRAS E SUJEITOS NA LITERATURA BRASILEIRA"
    "resumo" => "Os homens produzem a história, criam a linguagem e agem; transformam a realidade, as relações de produção, suas estruturas e fazem literatura. Neste sentido, o literário e o político se imbricam e a comunicação artística se faz dentro de um campo intelectual e não propriamente com os sujeitos históricos objetos de representação (Abdala Junior, 2007). A escritura enfoca, assim, o espaço poético na multiplicidade dos campos de produção, abarcando o conjunto do nacional em que o particular (regional) está em função do social numa perspectiva dialética de estudo da literatura dita ‘periférica’ em seus espaços de representação. Por essa vertente, Pierre Bourdieu (1989) entende o discurso regionalista como um discurso performativo que impõe uma forma de dizer, unificando e homogeneizando o mundo social. Assim, buscando revisitar estes conceitos e seus possíveis deslocamentos, a presente comunicação propõe estudar o processo de construção dialética de uma literatura brasileira produzida em Mato Grosso que se estende por variados campos de representações em que a história e a memória projetam discursos que se re-atualizam. Tais experiências intersubjetivas serão vistas como forças díspares e singulares que constroem mecanismos de articulação entre arte, cultura e política, transformando o modo de ver/sentir as relações sujeito e sociedade. Desta forma, é possível reconhecer, a partir de um espaço externo aos grandes centros de circulação cultural, o movimento de construção das identidades, das fronteiras diversas, das territorialidades como função da história, da literatura e de outras manifestações de linguagem na construção de conceitos ressemantizados em e pelas “regiões culturais” (Angel Rama, 2001) que compuseram o cenário latino-americano. Significa, enfim, trabalhar por paradigmas, neutralizando a falsa dicotomia entre universal e particular, como propõe Giulio Agamben (2005)."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_289_f036ed3b90496db6b4763aa93c47aff8.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "OLGA MARIA CASTRILLON- MENDES"
    "autor_nome_curto" => "OLGA/UNEMAT"
    "autor_email" => "olgmar007@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNICAMP"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4509
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 194
    "inscrito_id" => 289
    "titulo" => "ENTRE DISCURSOS QUE RESSIGNIFICAM TERRITÓRIOS, FRONTEIRAS E SUJEITOS NA LITERATURA BRASILEIRA"
    "resumo" => "Os homens produzem a história, criam a linguagem e agem; transformam a realidade, as relações de produção, suas estruturas e fazem literatura. Neste sentido, o literário e o político se imbricam e a comunicação artística se faz dentro de um campo intelectual e não propriamente com os sujeitos históricos objetos de representação (Abdala Junior, 2007). A escritura enfoca, assim, o espaço poético na multiplicidade dos campos de produção, abarcando o conjunto do nacional em que o particular (regional) está em função do social numa perspectiva dialética de estudo da literatura dita ‘periférica’ em seus espaços de representação. Por essa vertente, Pierre Bourdieu (1989) entende o discurso regionalista como um discurso performativo que impõe uma forma de dizer, unificando e homogeneizando o mundo social. Assim, buscando revisitar estes conceitos e seus possíveis deslocamentos, a presente comunicação propõe estudar o processo de construção dialética de uma literatura brasileira produzida em Mato Grosso que se estende por variados campos de representações em que a história e a memória projetam discursos que se re-atualizam. Tais experiências intersubjetivas serão vistas como forças díspares e singulares que constroem mecanismos de articulação entre arte, cultura e política, transformando o modo de ver/sentir as relações sujeito e sociedade. Desta forma, é possível reconhecer, a partir de um espaço externo aos grandes centros de circulação cultural, o movimento de construção das identidades, das fronteiras diversas, das territorialidades como função da história, da literatura e de outras manifestações de linguagem na construção de conceitos ressemantizados em e pelas “regiões culturais” (Angel Rama, 2001) que compuseram o cenário latino-americano. Significa, enfim, trabalhar por paradigmas, neutralizando a falsa dicotomia entre universal e particular, como propõe Giulio Agamben (2005)."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_289_f036ed3b90496db6b4763aa93c47aff8.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "OLGA MARIA CASTRILLON- MENDES"
    "autor_nome_curto" => "OLGA/UNEMAT"
    "autor_email" => "olgmar007@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNICAMP"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

Os homens produzem a história, criam a linguagem e agem; transformam a realidade, as relações de produção, suas estruturas e fazem literatura. Neste sentido, o literário e o político se imbricam e a comunicação artística se faz dentro de um campo intelectual e não propriamente com os sujeitos históricos objetos de representação (Abdala Junior, 2007). A escritura enfoca, assim, o espaço poético na multiplicidade dos campos de produção, abarcando o conjunto do nacional em que o particular (regional) está em função do social numa perspectiva dialética de estudo da literatura dita ‘periférica’ em seus espaços de representação. Por essa vertente, Pierre Bourdieu (1989) entende o discurso regionalista como um discurso performativo que impõe uma forma de dizer, unificando e homogeneizando o mundo social. Assim, buscando revisitar estes conceitos e seus possíveis deslocamentos, a presente comunicação propõe estudar o processo de construção dialética de uma literatura brasileira produzida em Mato Grosso que se estende por variados campos de representações em que a história e a memória projetam discursos que se re-atualizam. Tais experiências intersubjetivas serão vistas como forças díspares e singulares que constroem mecanismos de articulação entre arte, cultura e política, transformando o modo de ver/sentir as relações sujeito e sociedade. Desta forma, é possível reconhecer, a partir de um espaço externo aos grandes centros de circulação cultural, o movimento de construção das identidades, das fronteiras diversas, das territorialidades como função da história, da literatura e de outras manifestações de linguagem na construção de conceitos ressemantizados em e pelas “regiões culturais” (Angel Rama, 2001) que compuseram o cenário latino-americano. Significa, enfim, trabalhar por paradigmas, neutralizando a falsa dicotomia entre universal e particular, como propõe Giulio Agamben (2005).

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.