Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

A EPIDEMIA COMO METÁFORA DA EXCLUSÃO NAS NARRATIVAS LITERÁRIA E FILMICA DE CAPITÃES DA AREIA

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4436
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 620
    "inscrito_id" => 823
    "titulo" => "A EPIDEMIA COMO METÁFORA DA EXCLUSÃO NAS NARRATIVAS LITERÁRIA E FILMICA DE CAPITÃES DA AREIA"
    "resumo" => "Este trabalho insere-se na proposta do Simpósio de número 52, intitulado “Humanidades Médicas: corpo, narrativa e memória da dor na literatura e nas artes”, do XIII Congresso Internacional de Literatura Comparada – ABRALIC. Para fins de pesquisa discutiremos o modo pelo qual tanto a dor física quanto a dor moral estão presentes na infância dos personagens do romance Capitães da Areia, de Jorge Amado (1986). Além disso, servirá ao debate a forma como essas manifestações também ocorrem na narrativa fílmica homônima do romance, dirigida por Cecília Amado (2011). A pesquisa, de caráter teórico-bibliográfico, baseou-se nos estudos de Foucault (2006), (2008), Rita Charon (2004), Sontag (2007), dentre outros pesquisadores que se interessam pela inter-relação entre medicina e literatura, bem como literatura e outras artes. A partir da leitura do referido romance pudemos visualizar como a epidemia, sobretudo a bexiga, atua enquanto metáfora da exclusão social e das mazelas vividas pelo grupo de crianças lideradas pelo personagem Pedro Bala. Assim também, com a observação analítica do filme Capitães da Areia (2011) foi possível relacionarmos as disjunções e conjunções sobre como a dor se apresenta tanto na linguagem do texto literário quanto na linguagem fílmica. Portanto, buscamos neste texto verificar a presença da dor e da epidemia como representações da subalternidade enfrentadas pelos personagens infantis nesses ambientes paralelos de expressão artística."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_823_471514dfa9543d2a86b563351de07f85.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARGARIDA PONTES TIMBÓ"
    "autor_nome_curto" => "MARGARIDA"
    "autor_email" => "guidinhapontes@yahoo.com."
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4436
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 620
    "inscrito_id" => 823
    "titulo" => "A EPIDEMIA COMO METÁFORA DA EXCLUSÃO NAS NARRATIVAS LITERÁRIA E FILMICA DE CAPITÃES DA AREIA"
    "resumo" => "Este trabalho insere-se na proposta do Simpósio de número 52, intitulado “Humanidades Médicas: corpo, narrativa e memória da dor na literatura e nas artes”, do XIII Congresso Internacional de Literatura Comparada – ABRALIC. Para fins de pesquisa discutiremos o modo pelo qual tanto a dor física quanto a dor moral estão presentes na infância dos personagens do romance Capitães da Areia, de Jorge Amado (1986). Além disso, servirá ao debate a forma como essas manifestações também ocorrem na narrativa fílmica homônima do romance, dirigida por Cecília Amado (2011). A pesquisa, de caráter teórico-bibliográfico, baseou-se nos estudos de Foucault (2006), (2008), Rita Charon (2004), Sontag (2007), dentre outros pesquisadores que se interessam pela inter-relação entre medicina e literatura, bem como literatura e outras artes. A partir da leitura do referido romance pudemos visualizar como a epidemia, sobretudo a bexiga, atua enquanto metáfora da exclusão social e das mazelas vividas pelo grupo de crianças lideradas pelo personagem Pedro Bala. Assim também, com a observação analítica do filme Capitães da Areia (2011) foi possível relacionarmos as disjunções e conjunções sobre como a dor se apresenta tanto na linguagem do texto literário quanto na linguagem fílmica. Portanto, buscamos neste texto verificar a presença da dor e da epidemia como representações da subalternidade enfrentadas pelos personagens infantis nesses ambientes paralelos de expressão artística."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_823_471514dfa9543d2a86b563351de07f85.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARGARIDA PONTES TIMBÓ"
    "autor_nome_curto" => "MARGARIDA"
    "autor_email" => "guidinhapontes@yahoo.com."
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

Este trabalho insere-se na proposta do Simpósio de número 52, intitulado “Humanidades Médicas: corpo, narrativa e memória da dor na literatura e nas artes”, do XIII Congresso Internacional de Literatura Comparada – ABRALIC. Para fins de pesquisa discutiremos o modo pelo qual tanto a dor física quanto a dor moral estão presentes na infância dos personagens do romance Capitães da Areia, de Jorge Amado (1986). Além disso, servirá ao debate a forma como essas manifestações também ocorrem na narrativa fílmica homônima do romance, dirigida por Cecília Amado (2011). A pesquisa, de caráter teórico-bibliográfico, baseou-se nos estudos de Foucault (2006), (2008), Rita Charon (2004), Sontag (2007), dentre outros pesquisadores que se interessam pela inter-relação entre medicina e literatura, bem como literatura e outras artes. A partir da leitura do referido romance pudemos visualizar como a epidemia, sobretudo a bexiga, atua enquanto metáfora da exclusão social e das mazelas vividas pelo grupo de crianças lideradas pelo personagem Pedro Bala. Assim também, com a observação analítica do filme Capitães da Areia (2011) foi possível relacionarmos as disjunções e conjunções sobre como a dor se apresenta tanto na linguagem do texto literário quanto na linguagem fílmica. Portanto, buscamos neste texto verificar a presença da dor e da epidemia como representações da subalternidade enfrentadas pelos personagens infantis nesses ambientes paralelos de expressão artística.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.