Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

A CONFIGURAÇÃO DO ESPAÇO NA OBRA DÔRA, DORALINA, DE RACHEL DE QUEIROZ

Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

O presente artigo se propõe analisar como se apresenta o espaço narrativo em Dôra, Doralina, de Rachel de Queiroz. Destacaremos o espaço que se dá através do encontro da casa, da rua e da estrada, nas ações vivenciadas pela protagonista. No romance, isso se manifesta em primeiro plano na relação particular do tempo com o espaço, que vincula a vida e os acontecimentos a um lugar, concretamente situado no espaço que é a Fazenda Soledade, onde Maria das Dores, personagem-narradora, vive sua infância, adolescência e até o seu casamento. Nesse sentido a casa é o berço, a intimidade, uma referência e nela a protagonista tece os ciclos da sua vida, do seu retorno constante, do seu destino, de suas idas e vindas, pois iria se fixar em sua própria origem. É o profundo apego à terra que trará a protagonista de volta à Soledade, após uma vida rica de experiência com a Companhia de teatro e, mais tarde, com o Comandante, o grande amor da sua vida. O espaço da estrada configura-se como elemento maior da narrativa, assim como na vida da protagonista. A ideia de fronteiras que percebemos no romance é que as fronteiras que levam a personagem a ser uma andarilha vão além da sua memória, da sua história, do seu lugar. Maria das Dores vai tecendo a narrativa de forma fragmentada, de modo que podemos associar essa fragmentação à vida andarilha da protagonista: um dia num lugar, outro dia noutro; lugares distantes, mas que inevitavelmente eram caminhos que ela teria que percorrer. Esses espaços intermediários têm valor simbólico na medida em que estabelecem os limites que antecedem as grandes mudanças, as decisões que alteram definitivamente o rumo da vida da personagem. Concluímos, ao final, que o retorno da heroína para casa, comprova que ela é consciente de suas conquistas e aprende a viver no mundo em que fora lançada. A rua autentica sua maturidade, mas não a desvincula de suas raízes. Desejamos, com este estudo, contribuir para os debates e pesquisas futuras sobre o espaço no romance. Esta investigação tem por pressupostos teóricos as formulações de Gaston Bachelard (1993); Roberto da Matta (1995); Ozíris Borges Filho (2009), que respaldarão as reflexões que desenvolveremos no nosso trabalho, sobre este tema e obra em estudo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.