Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

A AMAZÔNIA EM DESERDADOS, DE CARLOS DE VASCONCELOS: UMA MATRIZ QUE NÃO VINGOU?

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4484
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 737
    "inscrito_id" => 1122
    "titulo" => "A AMAZÔNIA EM DESERDADOS, DE CARLOS DE VASCONCELOS: UMA MATRIZ QUE NÃO VINGOU?"
    "resumo" => "Nosso propósito é analisar  o romance Deserdados  (1921), de Carlos de Vasconcelos, que retrata o universo dos seringais no boom da economia da borracha, verificando em que medida ele estabelece diálogo com os antecessores da primeira década do século XX e em que medida avança na técnica e na discussão sobre o homem  inserto na região, servindo de modelo para os sucessores. Observaremos que o romance de Vasconcelos marca presença no cenário das duas primeiras décadas do século XX, uma vez que se debruça sobre a realidade brasileira e contribui para desmitificar e desmistificar a forma como um grande grupo de autores figurava a Amazônia, reiterando a fantasia do Eldorado. Nesse sentido, comprovaremos que o sertanismo desse autor, a despeito de ainda utilizar uma linguagem ou técnica do Naturalismo, assume a superação do otimismo patriótico e a adoção de um tipo de pessimismo diferente do que ocorria na ficção naturalista, enquadrando-se no, então, regionalismo problemático que se chamou de romance social, e que  Antonio Candido aponta como presente na fase de pré-consciência do subdesenvolvimento, que marcou a literatura brasileira e latinoamericana ."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_1122_3d3609111a527264c7ac8a472486685e.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARLI TEREZA FURTADO"
    "autor_nome_curto" => "MARLI FURTADO"
    "autor_email" => "marlitf@ufpa.br"
    "autor_ies" => "UNICAMP"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4484
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 737
    "inscrito_id" => 1122
    "titulo" => "A AMAZÔNIA EM DESERDADOS, DE CARLOS DE VASCONCELOS: UMA MATRIZ QUE NÃO VINGOU?"
    "resumo" => "Nosso propósito é analisar  o romance Deserdados  (1921), de Carlos de Vasconcelos, que retrata o universo dos seringais no boom da economia da borracha, verificando em que medida ele estabelece diálogo com os antecessores da primeira década do século XX e em que medida avança na técnica e na discussão sobre o homem  inserto na região, servindo de modelo para os sucessores. Observaremos que o romance de Vasconcelos marca presença no cenário das duas primeiras décadas do século XX, uma vez que se debruça sobre a realidade brasileira e contribui para desmitificar e desmistificar a forma como um grande grupo de autores figurava a Amazônia, reiterando a fantasia do Eldorado. Nesse sentido, comprovaremos que o sertanismo desse autor, a despeito de ainda utilizar uma linguagem ou técnica do Naturalismo, assume a superação do otimismo patriótico e a adoção de um tipo de pessimismo diferente do que ocorria na ficção naturalista, enquadrando-se no, então, regionalismo problemático que se chamou de romance social, e que  Antonio Candido aponta como presente na fase de pré-consciência do subdesenvolvimento, que marcou a literatura brasileira e latinoamericana ."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_1122_3d3609111a527264c7ac8a472486685e.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARLI TEREZA FURTADO"
    "autor_nome_curto" => "MARLI FURTADO"
    "autor_email" => "marlitf@ufpa.br"
    "autor_ies" => "UNICAMP"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

Nosso propósito é analisar o romance Deserdados (1921), de Carlos de Vasconcelos, que retrata o universo dos seringais no boom da economia da borracha, verificando em que medida ele estabelece diálogo com os antecessores da primeira década do século XX e em que medida avança na técnica e na discussão sobre o homem inserto na região, servindo de modelo para os sucessores. Observaremos que o romance de Vasconcelos marca presença no cenário das duas primeiras décadas do século XX, uma vez que se debruça sobre a realidade brasileira e contribui para desmitificar e desmistificar a forma como um grande grupo de autores figurava a Amazônia, reiterando a fantasia do Eldorado. Nesse sentido, comprovaremos que o sertanismo desse autor, a despeito de ainda utilizar uma linguagem ou técnica do Naturalismo, assume a superação do otimismo patriótico e a adoção de um tipo de pessimismo diferente do que ocorria na ficção naturalista, enquadrando-se no, então, regionalismo problemático que se chamou de romance social, e que Antonio Candido aponta como presente na fase de pré-consciência do subdesenvolvimento, que marcou a literatura brasileira e latinoamericana .

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.