Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

CONTRIBUIÇÃO FREIREANA À FORMAÇÃO DOCENTE

Palavra-chaves: FORMAÇÃO DO PROFESSOR, CATEGORIAS FREIREANAS, PERSPECTIVA PROGRESSISTA Comunicação Oral (CO) GT 01 - Formação de Professores Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

O artigo ora apresentado teve como inspiração a pesquisa realizada para a construção da tese de doutorado intitulada “Ideário Freireano: um referencial teórico-metodológico para a formação político-pedagógica do professor” cujos resultados demonstraram a importância das categorias de análises freireanas para a formação do educador numa perspectiva critica, reflexiva, emancipadora, transformadora e progressista. Trata-se de uma revisão bibliográfica integrativa, na qual identificamos as categorias trabalhadas na tese, tais quais: diálogo, relação político-pedagógica, conscientização, inacabamento e relação, por considerá-las adequadas para a compreensão do objeto em estudo. Em seguida, fizemos leituras das obras de Paulo Freire que abordam mais especificamente conteúdos que envolvem a formação do professor como Professora Sim, Tia Não; Medo e Ousadia: O cotidiano do professor e Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática docente, além de outras. O estudo em foco tem por objetivo analisar a contribuição das categorias de análises freireanas para a formação do professor. Ao longo das análises evidenciamos que o diálogo é algo inerente ao ser humano, Sem diálogo, a comunicação não acontece e, conseqüentemente, impossibilita a existência de uma verdadeira educação. A relação político-pedagógica constitui “categoria fundante”, para a compreensão da formação do professor na perspectiva freireana. Quanto a categoria conscientização verificamos que somente o homem é capaz de agir conscientemente sobre a realidade concreta e transformá-la. A conscientização inexiste fora da “práxis”, ou melhor, sem o ato ação-reflexão. A criticidade está diretamente associada à curiosidade, ao pensar certo. O inacabamento é uma característica inerente ao ser humano, cuja inconclusão é própria da experiência vital, onde há vida existe inacabamento, porém, somente os seres conscientes, têm noção dessa condição. A formação do professor na perspectiva transformadora, emancipadora não pode prescindir da categoria relacional, em que pensar e fazer como prática social circunscreve-se na relação teoria-prática. Assim esperamos contribuir para o repensar da formação do professor.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.