Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

A INCLUSÃO DIGITAL DO ALUNO COM SURDEZ A PARTIR DA UTLIZAÇÃO DO HAND TALK: AS TDIC COMO FERRAMENTAS DE INCLUSÃO SOCIAL

Palavra-chaves: INCLUSÃO DIGITAL, EDUCANDOS COM SURDEZ, TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO, INCLUSÃO SOCIAL, INCLUSÃO SOCIAL Comunicação Oral (CO) GT 19 - Tecnologias e Educação Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar possibilidades de utilização do Hand Talk, aplicativo mobile que converte em tempo real conteúdos de língua portuguesa para libras, como ferramenta das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) na promoção da Inclusão Digital de alunos com surdez. Para tanto, será necessária a apresentação de uma fundamentação teórica que nos permita compreender os elementos necessários para a conceituação e promoção da inclusão digital de educandos com necessidades educativas especiais; não apenas na perspectiva da instrumentalização tecnológica do discente surdo, mas também na da inclusão digital como transformadora social, capaz de promover a conscientização das diversas possibilidades de utilização das TDIC e de suas ferramentas na formação de indivíduos críticos, conscientes e livres. O percurso metodológico desenvolvido concede à pesquisa a qualidade de qualitativa explicativa, uma vez que essa foge da superficialidade ao tempo em que propõe um maior aprofundamento e uma identificação mais minuciosa dos conteúdos a serem analisados, e tem a realização de observação participante como instrumento de coleta de dados e uma posterior análise sistemática dos dados obtidos. Os resultados indicam que a utilização do Hand Talk aparece para os educandos com surdez como facilitadora de contato entre seus pares. Existe uma boa participação dos sujeitos surdos no uso desta tecnologia, porém como pouca compreensão da sua potencialização e maior exploração dos recursos visuais. Apesar dessa falta de compreensão, foi possível detectar a utilização do Hand Talk como elemento de transformação social, uma vez que o processo de construção do conhecimento do aluno surdo apresentou uma certa evolução. No entanto, durante a realização da pesquisa, identificou-se que o design do aplicativo (no que diz respeito à constituição do layout e utilização dos elementos básicos da comunicação visual) ainda atendem melhor aos ouvintes.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.