Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

O USO DA ARTETERAPIA COMO ESTÍMULO DE COGNIÇÃO E MOTRICIDADE PARA IDOSOS INSTITUCIONALISADOS EM CASA DE LONGA PERMANÊNCIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Palavra-chaves: SAÚDE DO IDOSO, ESTÍMULO COGNITIVO, MOTRICIDADE. Pôster (PO) / Poster Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

O envelhecimento populacional é a consequência de uma das fases da vida, nos últimos anos esse processo vem sendo mudado devido à mudança de alguns indicadores de saúde, principalmente com relação à queda da fecundidade e da mortalidade e o aumento da expectativa de vida A arteterapia é uma das técnicas onde se estimula a motricidade e a cognição de pacientes institucionalizados. Oferece uma sensação de conforto e relaxamento, sendo uma atividade com aspectos lúdicos, proporciona sentimentos agradáveis, de resgate de emoções. Esse exercício possibilita reverter casos de ansiedade e sintomas de angústia e impaciência, muito comuns nesse momento da vida. O objetivo deste estudo é abordar a relação entre a arteterapia e o processo de envelhecimento através da realização de uma atividade expressiva, sendo ela a pintura e como tal atividade poderia favorecer o autopercepção, o aumento da autoestima e consequentemente, melhorando a qualidade de vida dos idosos participantes. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa do tipo relato de experiência. O presente relato foi desenvolvido a partir das práticas vivenciadas em uma instituição de longa permanência, durante estágio supervisionado no segundo semestre de 2016, do curso bacharelado em enfermagem. Foi realizada uma atividade de pintura em tecido, sendo adquirido previamente pelo grupo toalhas de rostos e tinta acripuff para a concretização da atividade. No dia da atividade, foi realizada uma busca ativa dos idosos, convidando-os e incentivando os a participar da atividade, assim como vivenciar um momento de interação social com os outros idosos da instituição. Durante a atividade, houve a participação de 20 idosos, onde desempenharam a proposta idealizada pelo grupo, que era a escrita do próprio nome na toalha de rosto, com a utilização da tinta acripuff. Alguns por não ter mobilidade, devido a alguma comorbidade da idade, necessitaram de ajuda para desenvolver a atividade. Conclui-se que há uma ausência no estímulo por parte dos profissionais de enfermagem que atuam diretamente na instituição, a integrar os idosos em atividades que estimulam uma melhora do hábito de vida, cognição, memória, entre outros estímulos. Sendo esse um dos maiores fatores na recusa desses idosos a participar de atividades quando propostas, já que não são estimulados frequentemente a esse tipo de integração. Acreditamos que a equipe de enfermagem é uma peça fundamental para auxiliar na mudança do estilo de vida, procurando estimular as atividades realizadas, buscando formas motivadoras para prosseguir com esses hábitos, observando as necessidades específicas da pessoa idosa, e tentando supri-las, pois é a equipe que se encontra mais presente no dia a dia desses idosos institucionalizados. Sendo assim, por estarem ligados por laços afetivos, tornam-se mais maleáveis a comunicação e a adesão ao novo conhecimento adquirido, favorecendo a continuidade do cuidado e bem estar.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.