Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO: A LONGEVIDADE SOB AMEAÇA

Palavra-chaves: IDOSO, VIOLÊNCIA, CUIDADO Pôster (PO) / Poster Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA
"2016-11-22 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 24743
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 503
    "inscrito_id" => 533
    "titulo" => "VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO: A LONGEVIDADE SOB AMEAÇA"
    "resumo" => "INTRODUÇÃO: Em virtude do aumento da expectativa de vida dos idosos, evidencia-se a necessidade de uma atenção qualificada e especializada para com essa população. Por isso, muitas estratégias vêm sendo elaboradas e implementadas com o intuito de proteger o idoso e oferece-los o que é posto como direito nos diversos serviços e dispositivos legais, como o Estatuto do Idoso, Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, Conselhos estaduais e municipais, e Disque Denúncia. A violência contra o idoso não é um fenômeno recente. Ela permaneceu velada na sociedade durante décadas, mas somente nos últimos anos vem sendo discutida no campo científico e no de políticas públicas. A natureza da violência contra a pessoa idosa pode se manifestar de várias formas, aqui resumidas: abuso físico, psicológico, sexual, abandono, negligência, abusos financeiros e autonegligência. METODOLOGIA: Consta de uma revisão bibliográfica, contemplando as principais referências na área. A pesquisa foi realizada em quatro bases eletrônicas: Scientific Eletronic Library Online (SciELO), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Biblioteca Virtual da Saúde (BVS) e Google Acadêmico. Os artigos foram pesquisados considerando um período de nove anos, compreendido entre 2007 a 2016, tendo sido selecionadas 11 publicações. Para a busca dos artigos foram utilizados os descritores: idoso, saúde do idoso, maus-tratos ao idoso. Para subsidiar as discussões foram utilizados os manuais do Ministério da Saúde e outras literaturas relevantes. RESULTADOS: A rápida introdução dos idosos na sociedade despreparada fez com que ocorressem mudanças na convivência familiar. Consequentemente ao despreparo para recepção dessa nova faixa etária, revelou-se o fato de que a falta de experiência conduziria a agravos intensos a sua saúde. A grande atribulação é que a maioria dos agressores são membros da família ou pessoas de confiança e que têm relação íntima com o idoso; pessoas que deveriam cuidar do bem-estar da pessoa idosa. Isso faz com que as vítimas tenham mais dificuldade em denunciar seus agressores, fazendo com que a violência sofrida permaneça invisível e continuem vivenciando esse dilema.Para desconstruir essas possibilidades o cuidador deveria cumprir alguns requisitos básicos, como ser tolerante e compreensivo, pois na medida em que o processo de envelhecimento pode ocasionar várias mudanças físicas, como dificuldade de movimentar-se, mudanças psicológicas, oscilações de humor, este pode se tornar intolerante à mudanças e à aceitação de novas rotinas, o que pode tornar a convivência desagradável, tanto para os idosos que estão passando pelo momento crítico de mudança, como para o cuidador que não foi preparado para a situação. CONCLUSÃO: A violência contra os idosos é complexa devido aos aspectos que influenciam seu surgimento, como os culturais, sociais, históricos, familiares e demográficos. Uma melhor formação dos profissionais da área da saúde, por exemplo, facilitaria bastante à identificação de maus-tratos nas instituições de saúde, nos domicílios e nas ruas. É muito importante, então, que se tenha consciência da dificuldade dos idosos quando precisam tomar a atitude de denunciar os maus-tratos que sofrem."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA"
    "palavra_chave" => "IDOSO, VIOLÊNCIA, CUIDADO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD4_SA4_ID533_10102016215319.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "VIVIANNY BEATRIZ SILVA COSTA"
    "autor_nome_curto" => "VIVIANNY "
    "autor_email" => "viviannybeatriz@hotmail.c"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-22 23:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 24743
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 503
    "inscrito_id" => 533
    "titulo" => "VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO: A LONGEVIDADE SOB AMEAÇA"
    "resumo" => "INTRODUÇÃO: Em virtude do aumento da expectativa de vida dos idosos, evidencia-se a necessidade de uma atenção qualificada e especializada para com essa população. Por isso, muitas estratégias vêm sendo elaboradas e implementadas com o intuito de proteger o idoso e oferece-los o que é posto como direito nos diversos serviços e dispositivos legais, como o Estatuto do Idoso, Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, Conselhos estaduais e municipais, e Disque Denúncia. A violência contra o idoso não é um fenômeno recente. Ela permaneceu velada na sociedade durante décadas, mas somente nos últimos anos vem sendo discutida no campo científico e no de políticas públicas. A natureza da violência contra a pessoa idosa pode se manifestar de várias formas, aqui resumidas: abuso físico, psicológico, sexual, abandono, negligência, abusos financeiros e autonegligência. METODOLOGIA: Consta de uma revisão bibliográfica, contemplando as principais referências na área. A pesquisa foi realizada em quatro bases eletrônicas: Scientific Eletronic Library Online (SciELO), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Biblioteca Virtual da Saúde (BVS) e Google Acadêmico. Os artigos foram pesquisados considerando um período de nove anos, compreendido entre 2007 a 2016, tendo sido selecionadas 11 publicações. Para a busca dos artigos foram utilizados os descritores: idoso, saúde do idoso, maus-tratos ao idoso. Para subsidiar as discussões foram utilizados os manuais do Ministério da Saúde e outras literaturas relevantes. RESULTADOS: A rápida introdução dos idosos na sociedade despreparada fez com que ocorressem mudanças na convivência familiar. Consequentemente ao despreparo para recepção dessa nova faixa etária, revelou-se o fato de que a falta de experiência conduziria a agravos intensos a sua saúde. A grande atribulação é que a maioria dos agressores são membros da família ou pessoas de confiança e que têm relação íntima com o idoso; pessoas que deveriam cuidar do bem-estar da pessoa idosa. Isso faz com que as vítimas tenham mais dificuldade em denunciar seus agressores, fazendo com que a violência sofrida permaneça invisível e continuem vivenciando esse dilema.Para desconstruir essas possibilidades o cuidador deveria cumprir alguns requisitos básicos, como ser tolerante e compreensivo, pois na medida em que o processo de envelhecimento pode ocasionar várias mudanças físicas, como dificuldade de movimentar-se, mudanças psicológicas, oscilações de humor, este pode se tornar intolerante à mudanças e à aceitação de novas rotinas, o que pode tornar a convivência desagradável, tanto para os idosos que estão passando pelo momento crítico de mudança, como para o cuidador que não foi preparado para a situação. CONCLUSÃO: A violência contra os idosos é complexa devido aos aspectos que influenciam seu surgimento, como os culturais, sociais, históricos, familiares e demográficos. Uma melhor formação dos profissionais da área da saúde, por exemplo, facilitaria bastante à identificação de maus-tratos nas instituições de saúde, nos domicílios e nas ruas. É muito importante, então, que se tenha consciência da dificuldade dos idosos quando precisam tomar a atitude de denunciar os maus-tratos que sofrem."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA"
    "palavra_chave" => "IDOSO, VIOLÊNCIA, CUIDADO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD4_SA4_ID533_10102016215319.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "VIVIANNY BEATRIZ SILVA COSTA"
    "autor_nome_curto" => "VIVIANNY "
    "autor_email" => "viviannybeatriz@hotmail.c"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-22 23:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 22 de novembro de 2016

Resumo

INTRODUÇÃO: Em virtude do aumento da expectativa de vida dos idosos, evidencia-se a necessidade de uma atenção qualificada e especializada para com essa população. Por isso, muitas estratégias vêm sendo elaboradas e implementadas com o intuito de proteger o idoso e oferece-los o que é posto como direito nos diversos serviços e dispositivos legais, como o Estatuto do Idoso, Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, Conselhos estaduais e municipais, e Disque Denúncia. A violência contra o idoso não é um fenômeno recente. Ela permaneceu velada na sociedade durante décadas, mas somente nos últimos anos vem sendo discutida no campo científico e no de políticas públicas. A natureza da violência contra a pessoa idosa pode se manifestar de várias formas, aqui resumidas: abuso físico, psicológico, sexual, abandono, negligência, abusos financeiros e autonegligência. METODOLOGIA: Consta de uma revisão bibliográfica, contemplando as principais referências na área. A pesquisa foi realizada em quatro bases eletrônicas: Scientific Eletronic Library Online (SciELO), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Biblioteca Virtual da Saúde (BVS) e Google Acadêmico. Os artigos foram pesquisados considerando um período de nove anos, compreendido entre 2007 a 2016, tendo sido selecionadas 11 publicações. Para a busca dos artigos foram utilizados os descritores: idoso, saúde do idoso, maus-tratos ao idoso. Para subsidiar as discussões foram utilizados os manuais do Ministério da Saúde e outras literaturas relevantes. RESULTADOS: A rápida introdução dos idosos na sociedade despreparada fez com que ocorressem mudanças na convivência familiar. Consequentemente ao despreparo para recepção dessa nova faixa etária, revelou-se o fato de que a falta de experiência conduziria a agravos intensos a sua saúde. A grande atribulação é que a maioria dos agressores são membros da família ou pessoas de confiança e que têm relação íntima com o idoso; pessoas que deveriam cuidar do bem-estar da pessoa idosa. Isso faz com que as vítimas tenham mais dificuldade em denunciar seus agressores, fazendo com que a violência sofrida permaneça invisível e continuem vivenciando esse dilema.Para desconstruir essas possibilidades o cuidador deveria cumprir alguns requisitos básicos, como ser tolerante e compreensivo, pois na medida em que o processo de envelhecimento pode ocasionar várias mudanças físicas, como dificuldade de movimentar-se, mudanças psicológicas, oscilações de humor, este pode se tornar intolerante à mudanças e à aceitação de novas rotinas, o que pode tornar a convivência desagradável, tanto para os idosos que estão passando pelo momento crítico de mudança, como para o cuidador que não foi preparado para a situação. CONCLUSÃO: A violência contra os idosos é complexa devido aos aspectos que influenciam seu surgimento, como os culturais, sociais, históricos, familiares e demográficos. Uma melhor formação dos profissionais da área da saúde, por exemplo, facilitaria bastante à identificação de maus-tratos nas instituições de saúde, nos domicílios e nas ruas. É muito importante, então, que se tenha consciência da dificuldade dos idosos quando precisam tomar a atitude de denunciar os maus-tratos que sofrem.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.