Artigo Anais IV ENID / UEPB

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-7379

PEÇAS DE XADREZ COMO FORMA DE APRENDIZAGEM DAS ÁREAS DE FIGURAS GEOMÉTRICAS.

Palavra-chaves: ENSINO DA MATEMÁTICA, FIGURAS GEOMÉTRICAS, XADREZ Pôster (PO) Docência em Matemática: desafios, contextos e possibilidades
"2014-11-22 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 10040
    "edicao_id" => 27
    "trabalho_id" => 827
    "inscrito_id" => 1224
    "titulo" => "PEÇAS DE XADREZ COMO FORMA DE APRENDIZAGEM DAS ÁREAS DE FIGURAS GEOMÉTRICAS."
    "resumo" => "Desde a época das monarquias, o xadrez vem sendo um jogo que possibilita o desenvolvimento de habilidades que vão desde o planejamento á uma visão abrangente do mundo. Essas habilidades são importantes no jogo e no cotidiano, por isso que muitos professores utilizam o xadrez como ferramenta no processo de aprendizagem do aluno. Para a matemática que é denominada por Gilberto Geraldo Garbi como a “Rainha das ciências”, o xadrez desenvolve: a percepção, o raciocínio, a lógica, a memória entre outras habilidades. Talvez por isso o jogo tenha o mito de ser praticado apenas por pessoas inteligentes e de classe social alta. A socialização e divulgação do xadrez nas escolas vêm desmistificar o mito que este carrega.  Possibilitando assim, que este seja utilizado como ferramenta pelo professor em sala de aula. Principalmente na matemática onde o xadrez pode ajudar a quebrar bloqueios que muitos alunos têm com essa matéria, utilizando este de maneira diferente da tradicional, ou seja, dispondo como material para a compreensão de conteúdos específicos da matemática. Partindo desse princípio, foram confeccionados tabuleiros e peças de xadrez por quatro alunos da escola E.E.F. Pref. Dr. Mozart Cardoso de Alencar, localizada em Juazeiro do Norte-CE que participam do Programa de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Regional do Cariri (URCA), onde esse xadrez era diferente do tradicional, pois suas peças eram figuras geométricas que representavam as utilizadas no jogo diariamente. Em que: o rei era representado pela circunferência, a dama pela semicircunferência, as torres por quadrados, os bispos por trapézios, os cavalos por retângulos e os peões por triângulos. O intuito é a parti do xadrez apresentar aos alunos as figuras geométricas e sua respectivas áreas, ou seja, despertar no aluno a curiosidade de calcular áreas de figuras que são vistas corriqueiramente por estes, além de explanar as fórmulas que são utilizadas em sala de aula. Unindo a matemática com um dos jogos mais populares do mundo que é o xadrez. Observou-se que a parti da confecção e prática do jogo, os alunos foram aprendendo a distinguir as figuras geométricas e a identifica-las no ambiente que ali estavam, além disso, houve a observação das estratégias utilizadas pelos alunos, possibilitando o desenvolvimento do raciocínio particular de cada aluno durante as suas jogadas e as do companheiro de partida. A utilização de ferramentas que possibilitam a interação e aprendizagem de aluno e professor traz muito mais que uma metodologia para a sala de aula, esta sugere uma aprendizagem para a vida, onde o aluno é o autor de próprio conhecimento. A matemática traz com sigo a oportunidade de autoria da aprendizagem, desde que esta seja disposta para o aluno de modo a ganhar significado. Cabe ao professor potencializar ao máximo o interesse e a disposição do aluno em aprender. Assim os jogos ajudam na associação dos conhecimentos prévios do aluno com os que pretendem conseguir através do ato de jogar. Portanto o professor pode ensinar qualquer conteúdo de forma atrativa e dinâmica."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Docência em Matemática: desafios, contextos e possibilidades"
    "palavra_chave" => "ENSINO DA MATEMÁTICA, FIGURAS GEOMÉTRICAS, XADREZ"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_04_11_2014_23_33_27_idinscrito_1224_483e00dc63e3eafc4edb124433c0f785.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:56"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:19:15"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA EDNA GOMES DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "EDNA"
    "autor_email" => "edna2010able@gmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-enid---uepb"
    "edicao_nome" => "Anais IV ENID / UEPB"
    "edicao_evento" => "IV Encontro de Iniciação à Docência da UEPB / UEPB"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/enid/2014"
    "edicao_logo" => "5e4d80132b22c_19022020153603.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1855cb47e5f_22072020120547.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-11-22 00:00:00"
    "publicacao_id" => 13
    "publicacao_nome" => "Revista ENID UEPB"
    "publicacao_codigo" => "2318-7379"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 10040
    "edicao_id" => 27
    "trabalho_id" => 827
    "inscrito_id" => 1224
    "titulo" => "PEÇAS DE XADREZ COMO FORMA DE APRENDIZAGEM DAS ÁREAS DE FIGURAS GEOMÉTRICAS."
    "resumo" => "Desde a época das monarquias, o xadrez vem sendo um jogo que possibilita o desenvolvimento de habilidades que vão desde o planejamento á uma visão abrangente do mundo. Essas habilidades são importantes no jogo e no cotidiano, por isso que muitos professores utilizam o xadrez como ferramenta no processo de aprendizagem do aluno. Para a matemática que é denominada por Gilberto Geraldo Garbi como a “Rainha das ciências”, o xadrez desenvolve: a percepção, o raciocínio, a lógica, a memória entre outras habilidades. Talvez por isso o jogo tenha o mito de ser praticado apenas por pessoas inteligentes e de classe social alta. A socialização e divulgação do xadrez nas escolas vêm desmistificar o mito que este carrega.  Possibilitando assim, que este seja utilizado como ferramenta pelo professor em sala de aula. Principalmente na matemática onde o xadrez pode ajudar a quebrar bloqueios que muitos alunos têm com essa matéria, utilizando este de maneira diferente da tradicional, ou seja, dispondo como material para a compreensão de conteúdos específicos da matemática. Partindo desse princípio, foram confeccionados tabuleiros e peças de xadrez por quatro alunos da escola E.E.F. Pref. Dr. Mozart Cardoso de Alencar, localizada em Juazeiro do Norte-CE que participam do Programa de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Regional do Cariri (URCA), onde esse xadrez era diferente do tradicional, pois suas peças eram figuras geométricas que representavam as utilizadas no jogo diariamente. Em que: o rei era representado pela circunferência, a dama pela semicircunferência, as torres por quadrados, os bispos por trapézios, os cavalos por retângulos e os peões por triângulos. O intuito é a parti do xadrez apresentar aos alunos as figuras geométricas e sua respectivas áreas, ou seja, despertar no aluno a curiosidade de calcular áreas de figuras que são vistas corriqueiramente por estes, além de explanar as fórmulas que são utilizadas em sala de aula. Unindo a matemática com um dos jogos mais populares do mundo que é o xadrez. Observou-se que a parti da confecção e prática do jogo, os alunos foram aprendendo a distinguir as figuras geométricas e a identifica-las no ambiente que ali estavam, além disso, houve a observação das estratégias utilizadas pelos alunos, possibilitando o desenvolvimento do raciocínio particular de cada aluno durante as suas jogadas e as do companheiro de partida. A utilização de ferramentas que possibilitam a interação e aprendizagem de aluno e professor traz muito mais que uma metodologia para a sala de aula, esta sugere uma aprendizagem para a vida, onde o aluno é o autor de próprio conhecimento. A matemática traz com sigo a oportunidade de autoria da aprendizagem, desde que esta seja disposta para o aluno de modo a ganhar significado. Cabe ao professor potencializar ao máximo o interesse e a disposição do aluno em aprender. Assim os jogos ajudam na associação dos conhecimentos prévios do aluno com os que pretendem conseguir através do ato de jogar. Portanto o professor pode ensinar qualquer conteúdo de forma atrativa e dinâmica."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Docência em Matemática: desafios, contextos e possibilidades"
    "palavra_chave" => "ENSINO DA MATEMÁTICA, FIGURAS GEOMÉTRICAS, XADREZ"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_04_11_2014_23_33_27_idinscrito_1224_483e00dc63e3eafc4edb124433c0f785.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:56"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:19:15"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA EDNA GOMES DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "EDNA"
    "autor_email" => "edna2010able@gmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-enid---uepb"
    "edicao_nome" => "Anais IV ENID / UEPB"
    "edicao_evento" => "IV Encontro de Iniciação à Docência da UEPB / UEPB"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/enid/2014"
    "edicao_logo" => "5e4d80132b22c_19022020153603.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1855cb47e5f_22072020120547.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-11-22 00:00:00"
    "publicacao_id" => 13
    "publicacao_nome" => "Revista ENID UEPB"
    "publicacao_codigo" => "2318-7379"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 22 de novembro de 2014

Resumo

Desde a época das monarquias, o xadrez vem sendo um jogo que possibilita o desenvolvimento de habilidades que vão desde o planejamento á uma visão abrangente do mundo. Essas habilidades são importantes no jogo e no cotidiano, por isso que muitos professores utilizam o xadrez como ferramenta no processo de aprendizagem do aluno. Para a matemática que é denominada por Gilberto Geraldo Garbi como a “Rainha das ciências”, o xadrez desenvolve: a percepção, o raciocínio, a lógica, a memória entre outras habilidades. Talvez por isso o jogo tenha o mito de ser praticado apenas por pessoas inteligentes e de classe social alta. A socialização e divulgação do xadrez nas escolas vêm desmistificar o mito que este carrega. Possibilitando assim, que este seja utilizado como ferramenta pelo professor em sala de aula. Principalmente na matemática onde o xadrez pode ajudar a quebrar bloqueios que muitos alunos têm com essa matéria, utilizando este de maneira diferente da tradicional, ou seja, dispondo como material para a compreensão de conteúdos específicos da matemática. Partindo desse princípio, foram confeccionados tabuleiros e peças de xadrez por quatro alunos da escola E.E.F. Pref. Dr. Mozart Cardoso de Alencar, localizada em Juazeiro do Norte-CE que participam do Programa de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Regional do Cariri (URCA), onde esse xadrez era diferente do tradicional, pois suas peças eram figuras geométricas que representavam as utilizadas no jogo diariamente. Em que: o rei era representado pela circunferência, a dama pela semicircunferência, as torres por quadrados, os bispos por trapézios, os cavalos por retângulos e os peões por triângulos. O intuito é a parti do xadrez apresentar aos alunos as figuras geométricas e sua respectivas áreas, ou seja, despertar no aluno a curiosidade de calcular áreas de figuras que são vistas corriqueiramente por estes, além de explanar as fórmulas que são utilizadas em sala de aula. Unindo a matemática com um dos jogos mais populares do mundo que é o xadrez. Observou-se que a parti da confecção e prática do jogo, os alunos foram aprendendo a distinguir as figuras geométricas e a identifica-las no ambiente que ali estavam, além disso, houve a observação das estratégias utilizadas pelos alunos, possibilitando o desenvolvimento do raciocínio particular de cada aluno durante as suas jogadas e as do companheiro de partida. A utilização de ferramentas que possibilitam a interação e aprendizagem de aluno e professor traz muito mais que uma metodologia para a sala de aula, esta sugere uma aprendizagem para a vida, onde o aluno é o autor de próprio conhecimento. A matemática traz com sigo a oportunidade de autoria da aprendizagem, desde que esta seja disposta para o aluno de modo a ganhar significado. Cabe ao professor potencializar ao máximo o interesse e a disposição do aluno em aprender. Assim os jogos ajudam na associação dos conhecimentos prévios do aluno com os que pretendem conseguir através do ato de jogar. Portanto o professor pode ensinar qualquer conteúdo de forma atrativa e dinâmica.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.