Artigo Anais IV ENID / UEPB

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-7379

MACABÉA: A METÁFORA CLARICEANA.

Palavra-chaves: CLARICE LISPECTOR, INTROSPECÇÃO, AUTO-ANÁLISE Pôster (PO) Teoria e prática no ensino de língua portuguesa: unindo escola e sociedade
"2014-11-22 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 9907
    "edicao_id" => 27
    "trabalho_id" => 845
    "inscrito_id" => 992
    "titulo" => "MACABÉA: A METÁFORA CLARICEANA."
    "resumo" => "O ponto central deste artigo é a personagem Macabéa. Nordestina, feia, sem perspectiva de vida, mal amada e sem destino certo. Sua história é contada sob um ponto de vista masculino, porém seu narrador (Rodrigo/Clarice Lispector) se mistura a ela durante a obra, fazendo o leitor perceber nitidamente essa tríade estabelecida, conseguindo também se inserir na estória e se ver na personagem. A hora de estrela (1977) é o último romance de Clarice Lispector. Nascida na Ucrânia em 1920,  emigrou junto com a sua família para o Brasil quando tinha apenas dois anos de idade. Morou no Nordeste, onde passou boa parte de sua infância, vindo a falecer no Rio de Janeiro em Dezembro de 1977. Lispector traz em suas obras um traço introspectivo muito forte, levando o leitor à reflexão de seu eu interior. Segundo as próprias palavras da autora: ”Tem gente que cose por fora, eu coso por dentro.” Portanto, Macabéa, sua “heroína” em A hora da estrela, é um corpo como metáforas de uma existência que de alguma forma dói em Clarice Lispector, sendo “usada” para tratar de temas aparentemente banais. O que de certa forma condensa as experiências realizadas até então pela autora. Pode-se entender, após a análise de todas essas características que o enredo gira em torno de uma idéia meio filosófica: a reflexão de quem somos e o objetivo de nossa existência. Rodrigo (Clarice Lispector) decide escrever sobre a vida daquela moça feia e pobre caída no chão morta, porque de alguma forma essa história lhe sufoca. É uma espécie de grito por aqueles “esquecidos” por toda uma sociedade com os quais cada um de nós com certeza se identifica, afinal, essa é a intenção principal da autora: fazer-nos refletir sobre nossa própria existência, conseguindo ver a Macabéa que a há dentro de cada um de nós. Fazendo assim uma auto-análise e procurando algum sentido para a nossa vida, nossa existência."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Teoria e prática no ensino de língua portuguesa: unindo escola e sociedade"
    "palavra_chave" => "CLARICE LISPECTOR, INTROSPECÇÃO, AUTO-ANÁLISE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_04_11_2014_23_43_57_idinscrito_992_18de6ceabb0cf4a7a5f36bb0ee4f2ca4.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:56"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:19:15"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JACINEIDE VIRGÍNIA BORGES OLIVEIRA DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "VIRGÍNIA BORGES"
    "autor_email" => "jacineidevirginia@gmail.c"
    "autor_ies" => "CENTRO INTEGRADO DE TECNOLOGIA E PESQUISA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-enid---uepb"
    "edicao_nome" => "Anais IV ENID / UEPB"
    "edicao_evento" => "IV Encontro de Iniciação à Docência da UEPB / UEPB"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/enid/2014"
    "edicao_logo" => "5e4d80132b22c_19022020153603.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1855cb47e5f_22072020120547.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-11-22 00:00:00"
    "publicacao_id" => 13
    "publicacao_nome" => "Revista ENID UEPB"
    "publicacao_codigo" => "2318-7379"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 9907
    "edicao_id" => 27
    "trabalho_id" => 845
    "inscrito_id" => 992
    "titulo" => "MACABÉA: A METÁFORA CLARICEANA."
    "resumo" => "O ponto central deste artigo é a personagem Macabéa. Nordestina, feia, sem perspectiva de vida, mal amada e sem destino certo. Sua história é contada sob um ponto de vista masculino, porém seu narrador (Rodrigo/Clarice Lispector) se mistura a ela durante a obra, fazendo o leitor perceber nitidamente essa tríade estabelecida, conseguindo também se inserir na estória e se ver na personagem. A hora de estrela (1977) é o último romance de Clarice Lispector. Nascida na Ucrânia em 1920,  emigrou junto com a sua família para o Brasil quando tinha apenas dois anos de idade. Morou no Nordeste, onde passou boa parte de sua infância, vindo a falecer no Rio de Janeiro em Dezembro de 1977. Lispector traz em suas obras um traço introspectivo muito forte, levando o leitor à reflexão de seu eu interior. Segundo as próprias palavras da autora: ”Tem gente que cose por fora, eu coso por dentro.” Portanto, Macabéa, sua “heroína” em A hora da estrela, é um corpo como metáforas de uma existência que de alguma forma dói em Clarice Lispector, sendo “usada” para tratar de temas aparentemente banais. O que de certa forma condensa as experiências realizadas até então pela autora. Pode-se entender, após a análise de todas essas características que o enredo gira em torno de uma idéia meio filosófica: a reflexão de quem somos e o objetivo de nossa existência. Rodrigo (Clarice Lispector) decide escrever sobre a vida daquela moça feia e pobre caída no chão morta, porque de alguma forma essa história lhe sufoca. É uma espécie de grito por aqueles “esquecidos” por toda uma sociedade com os quais cada um de nós com certeza se identifica, afinal, essa é a intenção principal da autora: fazer-nos refletir sobre nossa própria existência, conseguindo ver a Macabéa que a há dentro de cada um de nós. Fazendo assim uma auto-análise e procurando algum sentido para a nossa vida, nossa existência."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Teoria e prática no ensino de língua portuguesa: unindo escola e sociedade"
    "palavra_chave" => "CLARICE LISPECTOR, INTROSPECÇÃO, AUTO-ANÁLISE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_04_11_2014_23_43_57_idinscrito_992_18de6ceabb0cf4a7a5f36bb0ee4f2ca4.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:56"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:19:15"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JACINEIDE VIRGÍNIA BORGES OLIVEIRA DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "VIRGÍNIA BORGES"
    "autor_email" => "jacineidevirginia@gmail.c"
    "autor_ies" => "CENTRO INTEGRADO DE TECNOLOGIA E PESQUISA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-enid---uepb"
    "edicao_nome" => "Anais IV ENID / UEPB"
    "edicao_evento" => "IV Encontro de Iniciação à Docência da UEPB / UEPB"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/enid/2014"
    "edicao_logo" => "5e4d80132b22c_19022020153603.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1855cb47e5f_22072020120547.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-11-22 00:00:00"
    "publicacao_id" => 13
    "publicacao_nome" => "Revista ENID UEPB"
    "publicacao_codigo" => "2318-7379"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 22 de novembro de 2014

Resumo

O ponto central deste artigo é a personagem Macabéa. Nordestina, feia, sem perspectiva de vida, mal amada e sem destino certo. Sua história é contada sob um ponto de vista masculino, porém seu narrador (Rodrigo/Clarice Lispector) se mistura a ela durante a obra, fazendo o leitor perceber nitidamente essa tríade estabelecida, conseguindo também se inserir na estória e se ver na personagem. A hora de estrela (1977) é o último romance de Clarice Lispector. Nascida na Ucrânia em 1920, emigrou junto com a sua família para o Brasil quando tinha apenas dois anos de idade. Morou no Nordeste, onde passou boa parte de sua infância, vindo a falecer no Rio de Janeiro em Dezembro de 1977. Lispector traz em suas obras um traço introspectivo muito forte, levando o leitor à reflexão de seu eu interior. Segundo as próprias palavras da autora: ”Tem gente que cose por fora, eu coso por dentro.” Portanto, Macabéa, sua “heroína” em A hora da estrela, é um corpo como metáforas de uma existência que de alguma forma dói em Clarice Lispector, sendo “usada” para tratar de temas aparentemente banais. O que de certa forma condensa as experiências realizadas até então pela autora. Pode-se entender, após a análise de todas essas características que o enredo gira em torno de uma idéia meio filosófica: a reflexão de quem somos e o objetivo de nossa existência. Rodrigo (Clarice Lispector) decide escrever sobre a vida daquela moça feia e pobre caída no chão morta, porque de alguma forma essa história lhe sufoca. É uma espécie de grito por aqueles “esquecidos” por toda uma sociedade com os quais cada um de nós com certeza se identifica, afinal, essa é a intenção principal da autora: fazer-nos refletir sobre nossa própria existência, conseguindo ver a Macabéa que a há dentro de cada um de nós. Fazendo assim uma auto-análise e procurando algum sentido para a nossa vida, nossa existência.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.