Artigo Anais VII CONEDU - Edição Online

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

PROTAGONISMO INFANTO-JUVENIL NA EDUCAÇÃO E SUA RELAÇÃO COM A TEORIA DE CARL ROGERS

Palavra-chaves: PROTAGONISMO, EDUCAÇÃO, APRENDIZAGEM, ROGERS, AUTONOMIA Comunicação Oral (CO) GT 04 - Fundamentos da Educação Publicado em 04 de novembro de 2020

Resumo

O REFERENTE ARTIGO OBJETIVA DISCUTIR O PROTAGONISMO INFANTO-JUVENIL, UTILIZANDO-SE DE UMA ABORDAGEM ROGERIANA COMO UM MEIO FACILITADOR NA PERSPECTIVA DE EDUCAR. SER PROTAGONISTA É SER O INDIVÍDUO PRINCIPAL DE TODAS FASES DO PROCESSO EDUCATIVO. TAL ABORDAGEM SE BASEIA NO ENSINO CENTRADO NO ALUNO, TRAZENDO A APRENDIZAGEM NA ÓTICA SUBJETIVA E EXPERIENCIAL DO DISCENTE, CONSIDERANDO SUAS VERDADEIRAS DEMANDAS. A EDUCAÇÃO HUMANISTA DESENVOLVIDA POR CARL ROGERS AGREGA O SABER CIENTÍFICO DAS SALAS DE AULA COM AS EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS, SOMANDO A AFETIVIDADE E A EXPRESSÃO INDIVIDUAL COM O CONHECIMENTO. A PRINCÍPIO, ABORDAREMOS AS CONTRIBUIÇÕES DE ROGERS E SUA FUNDAMENTAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO. EM SEGUIDA, DISCUTIREMOS SOBRE O PROTAGONISMO INFANTO-JUVENIL E SUA COMPREENSÃO ACERCA DO ALUNO COMO FOMENTADOR DO PRÓPRIO SABER. POR FIM, DISCUTIREMOS POSSIBILIDADES DE USO DO PROTAGONISMO NAS ESCOLAS, A PARTIR DA CONSIDERAÇÃO DO ESTUDANTE COMO CENTRO. OBSERVAMOS QUE A PRÁTICA DO PROTAGONISMO COMO UMA AÇÃO EDUCATIVA PODE AUXILIAR NA FORMAÇÃO INTEGRAL E NO DESENVOLVIMENTO DE JOVENS AUTÔNOMOS, AGREGANDO VALORES AO INDIVÍDUO, ATENTOS AO MEIO E RESPONSÁVEIS EM SUAS AÇÕES.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.