Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

POESIA PARA DOMAR O CAOS: UMA LEITURA DO “MANIFESTO DO GRUPO HERA”

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1638
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4337
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 228
    "inscrito_id" => 464
    "titulo" => "POESIA PARA DOMAR O CAOS: UMA LEITURA DO “MANIFESTO DO GRUPO HERA”"
    "resumo" => "Em 2010, a UEFS Editora e a Fundação Pedro Calmon, na Bahia, publicaram a edição fac-similar, num único volume, dos vinte números – publicados entre 1972 e 2005 – da revista Hera. Principal publicação de um grupo de escritores que levava o mesmo nome, mais do que um importante veículo de divulgação da poesia do grupo, Hera foi o núcleo de um dos  mais produtivos movimentos literários do Brasil no último quartel do século XX. Em seus quarenta anos e vinte números, a revista, publicou, “exatos, cem autores” (PEREYR, 2009, p. 150), a maioria dos quais até então inéditos. Chama a atenção, na poesia do grupo, uma forte tensão com a modernidade. Em consonância com o que Paz (1984) chamou de tradição da ruptura, a melhor poesia publicada em Hera afirma a modernidade ao mesmo tempo em que a nega. Tal tensão transparece na linguagem, na rejeição de um mundo moderno que reifica a tudo, e mesmo na rejeição de parte da poesia de seu tempo. O “Manifesto do Grupo Hera”, publicado tardiamente (em 1985, no 15º número da revista) revela  muito da relação dos poetas do grupo com a modernidade, com a tradição literária e com poesia de seu tempo. A leitura desse manifesto e da poesia do grupo revela a luta desses poetas com as palavras, a fim de “domar o caos” –  o deles, e, também, o nosso."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_464_a86949fd9d2120f6664f74001145cc90.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "IDMAR BOAVENTURA MOREIRA"
    "autor_nome_curto" => "IDMAR BOAVENTURA"
    "autor_email" => "idmarboaventura@yahoo.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4337
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 228
    "inscrito_id" => 464
    "titulo" => "POESIA PARA DOMAR O CAOS: UMA LEITURA DO “MANIFESTO DO GRUPO HERA”"
    "resumo" => "Em 2010, a UEFS Editora e a Fundação Pedro Calmon, na Bahia, publicaram a edição fac-similar, num único volume, dos vinte números – publicados entre 1972 e 2005 – da revista Hera. Principal publicação de um grupo de escritores que levava o mesmo nome, mais do que um importante veículo de divulgação da poesia do grupo, Hera foi o núcleo de um dos  mais produtivos movimentos literários do Brasil no último quartel do século XX. Em seus quarenta anos e vinte números, a revista, publicou, “exatos, cem autores” (PEREYR, 2009, p. 150), a maioria dos quais até então inéditos. Chama a atenção, na poesia do grupo, uma forte tensão com a modernidade. Em consonância com o que Paz (1984) chamou de tradição da ruptura, a melhor poesia publicada em Hera afirma a modernidade ao mesmo tempo em que a nega. Tal tensão transparece na linguagem, na rejeição de um mundo moderno que reifica a tudo, e mesmo na rejeição de parte da poesia de seu tempo. O “Manifesto do Grupo Hera”, publicado tardiamente (em 1985, no 15º número da revista) revela  muito da relação dos poetas do grupo com a modernidade, com a tradição literária e com poesia de seu tempo. A leitura desse manifesto e da poesia do grupo revela a luta desses poetas com as palavras, a fim de “domar o caos” –  o deles, e, também, o nosso."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_464_a86949fd9d2120f6664f74001145cc90.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "IDMAR BOAVENTURA MOREIRA"
    "autor_nome_curto" => "IDMAR BOAVENTURA"
    "autor_email" => "idmarboaventura@yahoo.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

Em 2010, a UEFS Editora e a Fundação Pedro Calmon, na Bahia, publicaram a edição fac-similar, num único volume, dos vinte números – publicados entre 1972 e 2005 – da revista Hera. Principal publicação de um grupo de escritores que levava o mesmo nome, mais do que um importante veículo de divulgação da poesia do grupo, Hera foi o núcleo de um dos mais produtivos movimentos literários do Brasil no último quartel do século XX. Em seus quarenta anos e vinte números, a revista, publicou, “exatos, cem autores” (PEREYR, 2009, p. 150), a maioria dos quais até então inéditos. Chama a atenção, na poesia do grupo, uma forte tensão com a modernidade. Em consonância com o que Paz (1984) chamou de tradição da ruptura, a melhor poesia publicada em Hera afirma a modernidade ao mesmo tempo em que a nega. Tal tensão transparece na linguagem, na rejeição de um mundo moderno que reifica a tudo, e mesmo na rejeição de parte da poesia de seu tempo. O “Manifesto do Grupo Hera”, publicado tardiamente (em 1985, no 15º número da revista) revela muito da relação dos poetas do grupo com a modernidade, com a tradição literária e com poesia de seu tempo. A leitura desse manifesto e da poesia do grupo revela a luta desses poetas com as palavras, a fim de “domar o caos” – o deles, e, também, o nosso.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.