Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

FORMAS E ESTRATÉGIAS DE DEFESA NAS NARRATIVAS DA MEMÓRIA TRAUMÁTICA: CONSIDERAÇÕES SOBRE MEMÓRIA, SILENCIAMENTO E ESQUECIMENTO

Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

A narrativa da memória traumática será pensada como base para a compreensão dos dispositivos de defesa de narradores performáticos nos testemunhos da catástrofe. A narrativa testemunhal produzida sobre as experiências traumáticas possuem particularides que diferenciam essas narrativas de outras produzidas sem o peso de uma experiência catastrófica, como a Shoah e as ditaduras do Cone Sul. Neste trabalho analisaremos os testemunhos de Primo Leve em A Trégua; Anne Frank em O Diário de Anne Frank; Flávio Tavares em Memória do Esquecimento; e Frei Betto em Batismo de Sangue. Em busca de apresentar as estratégias de defesa presentes em tais narrativas.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.