Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 256
O DIA QUE A GEOGRAFIA ENCONTROU A BIOLOGIA: O ENSINO DE CIÊNCIAS E GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL II

Palavra-chaves: ENSINO, CIÊNCIAS, GEOGRAFIA Pôster (PO) GT 17 – Ensino e suas interseções Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Este texto pretende iniciar reflexões sobre a prática docente dos professores de Geografia e Ciências no ensino fundamental II e também expor experiências em sala de aula que foram para além da reprodução do livro didático, mostrar que o aprendizado significativo que Paulo Freire nos ensina (Método Paulo Freire), pode ser aplicado no contexto do educando pesquisador, protagonista de seu de seu próprio processo de ensino e aprendizagem. Abordamos também a dualidade proposta pelo professor Paulo Freire tematização/problematização dos assuntos propostos pelos referenciais teóricos das disciplinas de Ciências e Geografia no ensino fundamental II, 9º ano, especificamente no 3º bimestre, neste sentido, o referido método constrói com os educandos as conexões entre o conteúdo programático proposto pelos sistemas de ensino e a realidade vivida pelos educandos em suas comunidades. Pensamos que a ação docente exige muito mais que essa gélida relação entre professor-aluno-conteúdo, quando o professor consegue trazer seu conteúdo para a realidade do aluno às aulas se tornam mais interessantes e produtivas. A primeira conclusão foi que, para se conseguir um ensino que realmente faça significado aos alunos e tenha reverberações sociais na comunidade local é imprescindível que as escolas trabalhem com temas transversais, produzindo múltiplas abordagens para os fenômenos estudados e consequentemente múltiplas respostas. A aventura das disciplinas na escola mostrou que bem organizado, com um método pensado pelos docentes, levando em consideração a realidade em que ela está inserida, os educandos passam de meros reprodutores para produtores de ciência levando-os a perceber a realidade local como um dado mutável, ou seja, que eles são capazes de interferir na produção social do espaço. Diante do postulado da secretaria de educação do Mato Grosso do Sul que propõe alunos pesquisadores em escolas sem estrutura para tal, o presente trabalho teve como êxito a formação de alunos críticos que observaram a demagogia do sistema de ensino em que estão inseridos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.