Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

PRÁTICAS DE ESCRITA DE TEXTOS NA UNIVERSIDADE E FORMAÇÃO ACADÊMICO-CIENTÍFICA

Palavra-chaves: ESCRITA CIENTÍFICA, FORMAÇÃO ACADÊMICO-CIENTÍFICA, GÊNERO DISCURSIVO Comunicação Oral (CO) GT03-TEORIA/ANÁLISE DIALÓGICA DO DISCURSO: CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

No presente trabalho, objetivamos investigar a organização macroestrutural de artigos científicos produzidos por estudantes de iniciação científica, mestrandos e doutores da grande área de Letras e Linguística. Especificamente, temos como propósito fazer uma análise comparativa sobre a organização composicional e escolhas estilísticas que esses pesquisadores realizam na produção do gênero em questão, com vistas a compreender a especificidade da constituição da escrita científica do pesquisador em formação, bem como a explorar potencialidades e fragilidades de na formação de jovens pesquisadores na escrita de textos científicos. Como parte da pesquisa “A construção da autoria na escrita de artigos científicos”, pensamos que esse trabalho nos permite refletir sobre aspectos como estilo, autoria, citação de fontes e plágio na escrita científica e mais amplamente sobre a sua formação como pesquisador e professor que lidará com o texto, seja na educação básica, seja na educação superior. Nossa reflexão incide também sobre a compreensão da escrita científica como uma atividade fundamental para o desenvolvimento da capacidade crítica e reflexiva do docente em processo de formação na vida universitária. O trabalho assume como orientação teórico-metodológica central a teoria/análise dialógica do discurso (ADD) e ainda se fundamenta em estudos que abordam a escrita científica, especialmente o artigo científico. Metodologicamente, o trab¬alho caracteriza-se por seu enfoque qualitativo e por se constituir de uma análise de natureza interpretativa, contemplando o exame de 12 artigos científicos de estudantes de Iniciação científica (IC), publicados na revista “Graduandos”¬, ¬de pesquisadores de pós-graduação (PPG), publicados na Revista Virtual de Letras “Revel”, e de pesquisadores experientes (PE), publicados na revista "Letras de Hoje". Os dados preliminares apontam que o estudante de iniciação cientifica topicaliza e organiza as seções do texto seguindo orientações padronizadas de elaboração de artigos científicos, enquanto que o estudante de pós-graduação demonstra alguns indícios de fugir, porém muito timidamente ainda, às orientações padronizadas de composição do gênero. O pesquisador experiente, por sua vez, se revela mais autônomo tanto na forma de organizar e nomear as seções quanto nas escolhas estilísticas que opera. A análise aponta que existe uma diferença quanto à organização composicional e escolhas estilísticas entre a escrita do pesquisador iniciante e dos pesquisadores mais experientes, o que indica que, quanto maior for o estágio de formação do pesquisador e o domínio desse sobre o gênero, mais o texto se aproxima ou se afasta de um padrão estabelecido em manuais de metodologia e em normas de periódicos e eventos acadêmicos, apontando, por conseguinte, mais ou menos marcas de estilo individual de seus produtores. Esses achados nos permitem explorar potencialidades e fragilidades de jovens pesquisadores na escrita de textos científicos, vislumbrando possibilidades de contribuir com o aprimoramento e a potencialização das práticas de leitura e escrita de textos científicos de pesquisadores em processo de formação pela e para a prática da pesquisa científica.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.