Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

AGRUPAMENTO E PROGRESSÃO DE GÊNEROS TEXTUAIS EM DUAS PROPOSTAS CURRICULARES DO AGRESTE MERIDIONAL DE PERNAMBUCO: DESAFIOS E POSSIBILIDADES

Palavra-chaves: CURRÍCULO, LÍNGUA PORTUGUESA, GÊNEROS TEXTUAIS Comunicação Oral (CO) GT01-FORMAÇÃO DOCENTE E CONTEMPORANEIDADE Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

O ensino dos gêneros textuais em língua materna no Brasil, apesar de apresentar avanços em relação ao paradigma tradicionalista, contemplando uma maior diversidade de gêneros, explora tão-somente o gênero pelo gênero ou usa-se desses megainstrumentos para mobilizar, nos alunos, capacidades de linguagem e, assim, desenvolver neles capacidades linguístico-discursivas? Partindo dessa problemática e apoiando-se principalmente no proposto por Dolz, Noverraz e Scheuwly (2004) sobre o agrupamento e a progressão de gêneros como instrumentos para garantir uma aprendizagem significativa, o presente trabalho busca investigar, com base em duas propostas curriculares para os anos finais do Ensino Fundamental (isto é, do 6º ao 9º ano) de dois municípios da região do Agreste Meridional de Pernambuco – a saber, Caetés e Garanhuns – se há uma proposta de progressão sistemática para o trabalho com os gêneros contidos em cada proposta. A pesquisa é de caráter documental e, para recorte do corpus, priorizou-se, dentre os vinte municípios que compõem essa região do estado de Pernambuco, aqueles que tivessem propostas curriculares próprias, desenvolvidas pela própria Secretaria de Educação. O mapeamento preliminar realizado nas duas propostas que constituem o corpus desta pesquisa aponta dados interessantes: poucos dos gêneros contidos nas duas propostas não são trabalhados sistematicamente (ou seja, em dois, três ou até quatro eixos diferentes) e/ou em mais de um ano do Ensino Fundamental II (com alguns gêneros específicos, como a entrevista, permeando várias unidades didáticas do currículo inteiro, do 6º ao 9º ano); dos cinco eixos apresentados nas duas propostas, prioriza-se em ambas os eixos de Oralidade, Escrita e Análise Linguística. Este trabalho traz resultados parciais de pesquisa em andamento, desenvolvida no Programa de Iniciação Científica (PIC) da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG); além disso, está vinculado ao Núcleo de Pesquisa em Discurso e Ensino (NUPEDE), da UAG/UFRPE, registrado na base do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, na plataforma Lattes do CNPQ.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.