Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

Visualizações: 202
A VISÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS: CONCEITOS AINDA CONFUSOS

Palavra-chaves: GÊNEROS TEXTUAIS, CONCEPÇÃO DOCENTE, PROFESSOR Comunicação Oral (CO) GT16-GÊNEROS DISCURSIVO E/OU TEXTUAL: ENSINO/APRENDIZAGEM Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

As últimas décadas do século XX marcaram a entrada dos gêneros textuais nas escolas do Brasil e de vários países do mundo, como objetos de ensino privilegiados nas aulas de língua, com a pretensão de contextualizar e ressignificar o processo de ensino e de aprendizagem da língua materna, uma vez que esta se tornou mais que um instrumento de comunicação ou expressão do pensamento, passando a ser reconhecida como uma ferramenta social, histórica e cultural, como prática que produz e organiza as relações entre os sujeitos que estão inseridos na sociedade. Nesta perspectiva, diversos estudos desenvolvidos nos âmbitos escolar e acadêmico, demonstram a relevância dos gêneros textuais para o ensino de língua materna, que se trabalhados de forma significativa, contribuem para a formação de sujeitos leitores e produtores de texto, capazes de utilizarem com consciência os diversos gêneros de acordo com o contexto e com a situação em que estejam inseridos. Entretanto, os estudos e pesquisas desenvolvidos revelam as lacunas existentes no contexto escolar, no que concerne ao trabalho com os gêneros textuais, em função das várias dificuldades enfrentadas pelos docentes, quanto ao seu conhecimento e capacidade de definir o que são gêneros textuais com clareza e quanto a forma de trabalhá-los em sala de aula, o que tem refletido, negativamente, na aprendizagem da língua materna. Tendo em vista essa realidade, o presente estudo, recorte de uma pesquisa em andamento, desenvolvida em um Curso de Especialização em Educação Básica (UFCG), fundamenta-se teoricamente em pesquisas desenvolvidas por Barros e Rios-Registro 2014, Coscarelli (2007), Hila (2009), Machado (2010), Marcuschi (2003; 2008), Miranda (2015), Pirozzi (2011), grupo de genebra (Dolz e Shneuwly, 2004), Viotto (2008), dentre outros autores, e tem como objetivo analisar as concepções docentes acerca dos gêneros textuais nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental em instituições públicas do município de Campina Grande-PB. Para alcançar o objetivo proposto foram realizadas entrevistas com duas docentes, focando suas concepções sobre gênero textual. Os resultados preliminares da referida pesquisa evidenciam que apesar das concepções mais recentes, terem adentrado nas escolas a partir de 1990, serem amplamente divulgadas por meio da circulação de pesquisas, da institucionalização de parâmetros, referenciais, diretrizes e outros documentos que contemplam estas novas concepções e a forma como trabalhar os gêneros textuais em sala de aula, não há um efetivo conhecimento por parte dos professores que atuam em sala de aula, nas aulas de língua materna, pois a concepção docente acerca dos gêneros textuais ainda é um pouco confusa, uma vez que os gêneros são considerados pela maioria dos docentes entrevistados como todos os tipos de textos usados no cotidiano e/ou como informações que circulam no meio social. Além disso, os primeiros resultados revelam a necessidade de uma formação inicial mais sólida, evidenciando ainda, o papel da formação continuada que contemple a teoria dos gêneros, mostrando a diferença entre gêneros e tipos, e metodologias que melhor trabalhem a riqueza dos gêneros textuais presentes em nossa sociedade, aqueles que se encontram materializados nas situações comunicativas de nosso cotidiano.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.