Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

RELAÇÃO ENTRE A APRENDIZAGEM MATEMÁTICA E O DISCURSO DO PROFESSOR

Palavra-chaves: APRENDIZAGEM MATEMÁTICA, INTERAÇÕES, DISCURSO Comunicação Oral (CO) GT03-TEORIA/ANÁLISE DIALÓGICA DO DISCURSO: CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

Um dos desafios do professor de matemática é realizar uma prática que possibilite uma aprendizagem efetiva do aluno. Para concretização deste intento, encontra algumas barreiras. Uma delas é realizar um discurso que permita ao aluno compreender o que está sendo explicado acerca do conteúdo matemático. O objetivo desta pesquisa é analisar situações de interações discursivas na sala de aula de matemática que sinalizam relação entre o discurso do professor e a compreensão do aluno. Segundo Guerreiro et al. (2015), a perspectiva interacionista considera que a sociedade é concebida como um processo de interação regido pela comunicação, tendo esta a função de criar e manter consensos e entendimentos entre as pessoas, sendo assim, é vista como um processo de partilha de significados. Bakhtin (2006) descreve compreensão como um processo em que as enunciações do ouvinte entram em contato e confronto com as enunciações do falante, do seguinte modo: “A cada palavra da enunciação que estamos em processo de compreender, fazemos corresponder uma série de palavras nossas, formando uma réplica” (BAKHTIN, 2006, p. 137). Para este autor, compreender a fala do outro significa orientar-se em relação a ela, encontrar o seu lugar adequado no contexto correspondente. Bakhtin considera a palavra discurso uma palavra vaga, indefinida, um termo não limitado, “que pode designar linguagem, processo de discurso, ou seja, o falar, um enunciado particular ou uma série indefinidamente longa de enunciados e um determinado gênero discursivo” (BAKHTIN, 2006, p. 274). Para ele, o discurso pode transmitir o que está sendo afirmado enquanto expressão que não caracteriza apenas o objeto do discurso, mas também o próprio falante, ou seja, sua maneira de falar, seu estado de espírito, expresso não no conteúdo, mas nas formas do discurso, por exemplo, a entoação, a fala entrecortada ou mesmo a escolha da ordem das palavras. Nesta pesquisa, consideramos discurso como ações que se manifestam de formas variadas, por meio de realizações gestuais, escritas ou orais da linguagem, em particular, as ações que professores e alunos realizam no ambiente da sala de aula. Deste modo, entendemos que a palavra discurso abrange as mais diversas formas de manifestação da linguagem e da comunicação verbal. O discurso refere-se ao modo como os significados são atribuídos e trocados pelos interlocutores em um processo de diálogo. Nesse sentido, investigar no campo da prática pedagógica em educação matemática, como os alunos compreendem o discurso do professor de matemática, se constitui em um tema relevante. Os dados foram obtidos por meio de observações registradas em vídeo-gravações de aulas em uma turma do 6º ano do ensino fundamental de uma escola pública. Utilizamos elementos da teoria da linguagem de Bakhtin como arcabouço teórico do estudo. Os dados analisados mostram evidências experimentais preliminares de potencialidades da argumentação em forma de perguntas para a formação dos conceitos matemáticos pelos alunos, bem como, o importante papel do professor para o estabelecimento de interações e reflexões por parte dos alunos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.