Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

IDOSOS E MAIS IDOSOS NA CONVIVENCIA FAMILIAR CONTEMPORANEA

Palavra-chaves: ENVELHECIMENTO HUMANO, MAIS IDOSOS, CONDIÇÕES DE VIDA Tema Livre (TL) / Oral Papers Submission AT-12: ENVELHECIMENTO E INTERDISCIPLINARIDADE Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

Investigar a convivência familiar contemporânea decorrente das consequências do processo de envelhecimento é foco de trabalhos de nosso grupo de pesquisa (CNPq) nos últimos anos. Se, algum tempo atrás, os/as avos foram tirados da invisibilidade, consolidando seu papel como protagonistas nas cenas das relações familiares, hoje novas figuras familiares emergem, tais como os/as bisavós e trisavós. No entanto, apesar de sua presença se afirmar em número e contribuição às relações familiares, permanecem como os grandes esquecidos da sociedade, tendo também pouco destaque e visibilidade nas pesquisas. Conforme recentes estudos mostram, fica cada vez mais patente que os mais idosos formam um novo e crescente grupo social, consequência do atual processo de envelhecimento populacional e das transformações das relações sociais e familiares no Brasil. Portanto, o objetivo é refletir sobre o papel que os mais idosos desempenham nas famílias de hoje, a partir de categorias de analise extraídas de entrevistas realizadas com idosos (homens e mulheres) em 2015 e 2016. Interessante se faz notar que a bibliografia referente ao tema das famílias com quatro ou mais gerações ainda é escassa, enquanto a relativa ao papel que os/as avos desempenham na vida familiar e social começa a ser significativa. No entanto, é quase unanimidade entre os pesquisadores de que, mesmo com o crescente reconhecimento da importância e das implicações do envelhecer nas sociedades contemporâneas, tanto os/as avos como os/as bisavós e trisavós ainda não ocupam um espaço privilegiado na academia, tanto nos espaços sobre as questões da família contemporânea como naqueles que pesquisam e tratam do envelhecimento. No entanto, os membros da família pertencentes às gerações mais velhas estão cada vez mais presentes e reivindicam um lugar na família e na sociedade contemporânea, tanto como exemplo de vida e superação como em situações que se repetem em todas as classes sociais. Tendo em vista que a condição de mais idoso oscila entre autonomia e dependência, há muitos idosos vivendo só ou em situação de co-habitação ou da co-residencia intergeracional: além dos idosos, seus filhos e netos, ha outros parentes presentes, dentre os quais os próprios pais dos idosos, em algum casos seus avos. Nos atos da vida cotidana (em refeições feitas pela família fora de casa nos domingos, como hoje é hábito) e nas festas de família (aniversários, batizados, bodas, por exemplo), lá estão os novos sujeitos. Entrevistá-los foi o meio escolhido para resgatar as suas trajetorias e histórias de vida, no intuito de contribuir para um novo olhar sobre as consequencias do processo de envelhecimento no Brasil.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.