Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES IDOSOS COM ARTRITE REUMATÓIDE: REVISÃO DE LITERATURA

Palavra-chaves: ENVELHECIMENTO, ARTRITE REUMATOIDE, QUALIDADE DE VIDA Pôster (PO) / Poster Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

O envelhecimento da população é uma realidade cada vez mais visível em dimensão mundial, com destaque para o aumento considerável da população com mais de 70 anos e diminuição da população de crianças e jovens, consequentemente levando a uma mudança na prevalência de doenças, com declínio acentuado da mortalidade por doenças infecto-parasitárias e elevação das doenças crônicas não transmissíveis. A artrite reumatoide (AR) é uma doença multissistêmica, inflamatória crônica e autoimune que pode resultar em incapacidade funcional significativa e sintomas de depressão. Podendo assim, interferir de forma negativa na realização de atividades diárias e consequente diminuição da qualidade de vida. Sendo a sua prevalência na faixa de 40 a 60 anos, principalmente no sexo feminino, entretanto, tendendo a ser pior quando acomete o sexo masculino. O presente trabalho foi realizado a partir de uma revisão bibliográfica, utilizando a fonte de pesquisa de dados online scielo, considerando os últimos 10 anos. As palavras chave utilizadas na pesquisa foi “artrite reumatoide”. Os critérios utilizados foram trabalhos sobre idosos e qualidade de vida na língua portuguesa. Após pesquisa, o trabalho foi redigido o texto definitivo em Microsoft Word 2007 para Windows 7. Em um estudo comparativo para avaliar depressão, realizado em um hospital de referência em Minas Gerais entre pacientes com artrite reumatoide em tratamento no hospital, e com pessoas sem qualquer tipo de comorbidades nos sistemas musculo-esquelético e neurológico. Foram avaliados em questionário os seguintes aspectos: capacidade funcional, aspecto físico, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais, aspectos emocionais e saúde mental. Além da utilização da escala de depressão de Beck. Observou-se que 63,33% dos pacientes com artrite reumatoide apresentam algum grau de depressão (leve, moderada ou grave), enquanto que o grupo controle, que era formado por pessoas sem enfermidades articulares ou neurológicas apresentou apenas 13,34%. Além disso, foi observado que o domínio “capacidade funcional” pode exercer influência sobre a categoria depressão leve tanto quando a AR A realização de pesquisas com pacientes idosos que possuem artrite reumatoide é de fundamental importância para uma boa organização do sistema de saúde, visto o crescente envelhecimento da população e consequente aumento de doenças reumáticas crônicas. Ao manter uma boa educação sobre saúde aliada a uma boa estrutura de atendimento profissional podemos atingir uma maior qualidade de vida dessa população.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.