Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

Visualizações: 200
FEBRE CHIKUNGUNYA EM IDOSOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Palavra-chaves: ENFERMAGEM, IDOSO, FEBRE DE CHIKUNGUNYA Pôster (PO) / Poster Submission AT-3: ENFERMAGEM E A SAÚDE DA PESSOA IDOSA Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

INTRODUÇÃO: A Febre Chikungunya é uma doença causada pelo vírus CHIKV, transmitida através da picada das fêmeas dos mosquitos do gênero Aedes, que cursa com enfermidade febril aguda, subaguda ou crônica, com persistência dos sintomas por meses e até anos. Os principais fatores de risco para a cronificação são idade acima de 45 anos, desordem articular pré-existente e maior intensidade das lesões articulares na fase aguda. O Ministério da Saúde estima que o problema de saúde em idosos potencializa em até doze vezes o risco de morte, pois o sistema imunológico do idoso vai enfraquecendo com a idade e orienta que a maioria dos casos pode ser acompanhado nas unidades de Atenção Básica que possui papel primordial na avaliação e monitoramento dos casos. Desse modo, A consulta de enfermagem é um momento de encontro e comunicação entre o usuário e o profissional da saúde onde é possível identificar as necessidades de saúde do idoso. Com base nesse contexto, as ações realizadas pelo enfermeiro são de suma importância para o cliente acometido pela Chikungunya na prevenção, promoção, tratamento e reabilitação. METODOLOGIA: Estudo descritivo que relata a experiência vivenciada pelo enfermeiro, sistematizado a partir do atendimento de enfermagem 10 idosos acometidos pela Febre Chikungunya. Foram incluídos no estudo, os idosos que apresentaram manifestações típicas das fases aguda, subaguda e crônica da doença no período de fevereiro a junho de 2016 em uma Unidade de Saúde da Família no município de Alagoa Grande-PB. RESULTADOS E DISCURSSÃO: Durante a consulta de Enfermagem, os idosos foram acolhidos e o principal objetivo era identificar os sinais de gravidade já que fazem parte de um grupo de risco. Além disso, atentar para a diferenciação de dengue foi outro ponto importante. Na consulta, foi possível distinguir em qual fase da doença o idoso se encontra e quais suas necessidades de saúde no momento, uma vez que, o manejo do paciente com suspeita de chikungunya é diferenciado de acordo com a fase da doença. Essa identificação pode ser feita através da coleta de dados da anamnese e exame físico. A principal queixa dos idosos foi a dor articular, em virtude de, a maioria já possuir uma doença reumática, com a chikungunya o comprometimento articular e as dores foram intensificados, sendo comum a poliartrite distal, com artropatia deformante em alguns casos, além de exacerbação das dores articulares e depressão com fadiga crônica. Através da anamenese e exame físico foi possível identificar a fase da doença em que o idoso se encontrava como também optar pela conduta. Como não há tratamento especifico para a chikungunya, a terapia utilizada foi de suporte sintomático com prescrição médica, hidratação oral com orientação de consumo de 2 litros de água por dia e repouso, além da recomendação de utilizar compressas frias como medida analgésica nas articulações acometidas. CONCLUSÕES: Nota-se que a doença é potencialmente perigosa em idosos, uma vez que o idoso já possui o sistema imunológico. Nas fases aguda e subagudas é comum a busca por atendimento no âmbito hospitalar. É o número de casos crônicos que vem elevando a quantidade. O papel do enfermeiro na consulta de enfermagem, seja no domicilio ou na unidade de saúde torna-se um importante instrumento na assistência aos idosos com Chikungunya, na prevenção, promoção, tratamento e reabilitação dos idosos acometidos por Chukungunya.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.