Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 71
“O GÊNERO MEMÓRIAS LITERÁRIAS E O DESPERTAR DA CRITICIDADE DO LEITOR”

Palavra-chaves: €?MEMÓRIA”, PERTENÇA., LEITURA E ESCRITA CRÍTICA. Comunicação Oral (CO) GT 08 - Linguagens, Letramento e Alfabetização

Resumo

RESUMO Este trabalho traz uma propositura de valorização das memórias de uma comunidade estudantil, para o desadormecer da leitura e da escrita critica, por meio de experiências vividas no projeto: “O gênero Memórias Literárias e o despertar da criticidade do leitor”, que foi realizado com a turma do 8º ano “A”, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Celeste Pires Leite, Catingueira-PB, na tentativa de mostrar a esses alunos, o valor de suas raízes e a importância da leitura e da escrita significativa, para o uso de suas práticas sociais. Seu objetivo foi resgatar as memórias dessa localidade discente, para que através do reconhecimento de pertença, os mesmos pudessem desenvolver a leitura e a escrita de forma soberana. Ler textos, em especial relacionados ao gênero Memórias Literários, estabelecem linhas de conexão entre o autor e o leitor, leva-o a pensar e repensar sobre suas lembranças de maneira mais crítica, além de influenciar de forma consistente a leitura e a escrita para a democratização do saber “libertário”. A escolha desse gênero textual partiu da dedução de que sua estrutura, assim como, seu contexto narrativo fazem um resgate às recordações, possibilitando assim um novo jeito de se vê o passado e aprender muito com ele, através de um pensamento mais analítico, que influencie na leitura e na escrita apropriada. A principal metodologia desta pesquisa foi proporcionar aos alunos um contato direto com suas origens, em busca de um “olhar democrático”, de uma leitura e escrita proficiente, para isso recorremos a várias atividades e estratégias didáticas como textos (“Meus tempos de criança”, de Rostand Paraíso, e “Memória de livros”, de João Ubaldo Ribeiro), conversas informais, palestras e entrevistas com alguns moradores da cidade. Culminamos com o “Chá de memórias catingueirense”, que contou com a participação de toda a comunidade escolar, para que prestigiassem as exposições das atividades realizadas, pelos alunos, e se deliciassem com a culinária local. Tudo isso, contribuiu de maneira satisfatória para uma aprendizagem mais relevante. Para o desenvolvimento dessa proposta, recorremos a vários autores, dentre tantos, destacamos: Bosi (1987), Chizzota (2005), Freire (1989), Lakatos (1991), Paraíso (1996), Ribeiro (1995), Rojo (2004) e Severino (2007).

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.