Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

OFICINA INTERATIVA: PRODUÇÃO DE RECURSOS ALTERNATIVOS PARA ENSINO DE QUÍMICA AOS ALUNOS CEGOS OU DE BAIXA VISÃO

Palavra-chaves: QUÍMICA, RECURSOS ADAPTADOS, NECESSIDADE DE APRENDIZAGEM Pôster (PO) GT 16 – Ensino de Ciências
"2017-12-20 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 38030
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 4087
    "inscrito_id" => 748
    "titulo" => "OFICINA INTERATIVA: PRODUÇÃO DE RECURSOS ALTERNATIVOS PARA ENSINO DE QUÍMICA AOS ALUNOS CEGOS OU DE BAIXA VISÃO"
    "resumo" => "A disciplina de Química no Ensino Médio propõe um conhecimento específico e abrangente da Ciência, que incentiva o discente a investigar os acontecimentos em reações químicas, mudanças de estado físico- químico da matéria, misturas de substâncias, dentre outros. As diretrizes educacionais que constituem a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN/96 exigem a participação de todos os alunos, tais como, os que possuem necessidades específicas de aprendizagem, dentre os quais se têm os alunos cegos ou de baixa visão. Essa oficina visa oferecer ferramentas como recursos didáticos para o ensino de química aos alunos cegos e baixa visão com a elaboração de materiais adaptados relacionados com conteúdos da disciplina. Tem como enfoque constatar, a grande necessidade de docentes no conhecimento de educação inclusiva e braile em química, e também do uso de materiais como recursos em sala de aula para o ensino de alunos cegos e com baixa visão. A metodologia consiste em inicialmente realizar uma dinâmica em que os participantes são vendados para entrar na sala de aula, retratando a situação dos alunos cegos e de baixa visão. Ao entraram na sala de aula são guiados pelos ministrantes da oficina às cadeiras e em seguida, inicia-se uma micro aula sobre Química, em que todos assistem vendados como se fossem alunos cegos. Ao término da microaula os participantes retiram as vendas e compartilham a sensação desse momento, em seguida respondem ao questionário sobre experiências em turmas inclusivas e o ensino de química para cegos, posteriormente, há uma breve explanação do surgimento do braile e do ensino a alunos cegos, logo após a sala é dividida em grupos onde cada grupo fica com a tarefa de elaborar os recursos didáticos. Essa oficina foi realizada no IFMA, Campus Bacabal, e teve 20 participantes que foram divididos em quatro grupos e cada grupo ficou encarregado de confeccionar recursos didáticos. As produções dos recursos didáticos foram excelentes, todos os participantes trabalharam efetivamente na construção de cada material dentre os quais foram: Modelos Atômicos de Dalton, Bohr, Rutherford, Sommerfeld, Thomson e o modelo Atual. Por fim realizou-se uma amostra com os materiais confeccionados pelos participantes e cada grupo demonstrou interesse e criatividade na elaboração dos materiais, concluindo com um questionário avaliativo sobre a oficina."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 16 – Ensino de Ciências"
    "palavra_chave" => "QUÍMICA, RECURSOS ADAPTADOS, NECESSIDADE DE APRENDIZAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA16_ID748_16102017171350.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:23"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:10"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JULIANA CARVALHO TORRES"
    "autor_nome_curto" => "JULIANA "
    "autor_email" => "juliana.quimicaedu@gmail."
    "autor_ies" => "INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO (IFMA)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 38030
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 4087
    "inscrito_id" => 748
    "titulo" => "OFICINA INTERATIVA: PRODUÇÃO DE RECURSOS ALTERNATIVOS PARA ENSINO DE QUÍMICA AOS ALUNOS CEGOS OU DE BAIXA VISÃO"
    "resumo" => "A disciplina de Química no Ensino Médio propõe um conhecimento específico e abrangente da Ciência, que incentiva o discente a investigar os acontecimentos em reações químicas, mudanças de estado físico- químico da matéria, misturas de substâncias, dentre outros. As diretrizes educacionais que constituem a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN/96 exigem a participação de todos os alunos, tais como, os que possuem necessidades específicas de aprendizagem, dentre os quais se têm os alunos cegos ou de baixa visão. Essa oficina visa oferecer ferramentas como recursos didáticos para o ensino de química aos alunos cegos e baixa visão com a elaboração de materiais adaptados relacionados com conteúdos da disciplina. Tem como enfoque constatar, a grande necessidade de docentes no conhecimento de educação inclusiva e braile em química, e também do uso de materiais como recursos em sala de aula para o ensino de alunos cegos e com baixa visão. A metodologia consiste em inicialmente realizar uma dinâmica em que os participantes são vendados para entrar na sala de aula, retratando a situação dos alunos cegos e de baixa visão. Ao entraram na sala de aula são guiados pelos ministrantes da oficina às cadeiras e em seguida, inicia-se uma micro aula sobre Química, em que todos assistem vendados como se fossem alunos cegos. Ao término da microaula os participantes retiram as vendas e compartilham a sensação desse momento, em seguida respondem ao questionário sobre experiências em turmas inclusivas e o ensino de química para cegos, posteriormente, há uma breve explanação do surgimento do braile e do ensino a alunos cegos, logo após a sala é dividida em grupos onde cada grupo fica com a tarefa de elaborar os recursos didáticos. Essa oficina foi realizada no IFMA, Campus Bacabal, e teve 20 participantes que foram divididos em quatro grupos e cada grupo ficou encarregado de confeccionar recursos didáticos. As produções dos recursos didáticos foram excelentes, todos os participantes trabalharam efetivamente na construção de cada material dentre os quais foram: Modelos Atômicos de Dalton, Bohr, Rutherford, Sommerfeld, Thomson e o modelo Atual. Por fim realizou-se uma amostra com os materiais confeccionados pelos participantes e cada grupo demonstrou interesse e criatividade na elaboração dos materiais, concluindo com um questionário avaliativo sobre a oficina."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 16 – Ensino de Ciências"
    "palavra_chave" => "QUÍMICA, RECURSOS ADAPTADOS, NECESSIDADE DE APRENDIZAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA16_ID748_16102017171350.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:23"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:10"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JULIANA CARVALHO TORRES"
    "autor_nome_curto" => "JULIANA "
    "autor_email" => "juliana.quimicaedu@gmail."
    "autor_ies" => "INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO (IFMA)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

A disciplina de Química no Ensino Médio propõe um conhecimento específico e abrangente da Ciência, que incentiva o discente a investigar os acontecimentos em reações químicas, mudanças de estado físico- químico da matéria, misturas de substâncias, dentre outros. As diretrizes educacionais que constituem a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN/96 exigem a participação de todos os alunos, tais como, os que possuem necessidades específicas de aprendizagem, dentre os quais se têm os alunos cegos ou de baixa visão. Essa oficina visa oferecer ferramentas como recursos didáticos para o ensino de química aos alunos cegos e baixa visão com a elaboração de materiais adaptados relacionados com conteúdos da disciplina. Tem como enfoque constatar, a grande necessidade de docentes no conhecimento de educação inclusiva e braile em química, e também do uso de materiais como recursos em sala de aula para o ensino de alunos cegos e com baixa visão. A metodologia consiste em inicialmente realizar uma dinâmica em que os participantes são vendados para entrar na sala de aula, retratando a situação dos alunos cegos e de baixa visão. Ao entraram na sala de aula são guiados pelos ministrantes da oficina às cadeiras e em seguida, inicia-se uma micro aula sobre Química, em que todos assistem vendados como se fossem alunos cegos. Ao término da microaula os participantes retiram as vendas e compartilham a sensação desse momento, em seguida respondem ao questionário sobre experiências em turmas inclusivas e o ensino de química para cegos, posteriormente, há uma breve explanação do surgimento do braile e do ensino a alunos cegos, logo após a sala é dividida em grupos onde cada grupo fica com a tarefa de elaborar os recursos didáticos. Essa oficina foi realizada no IFMA, Campus Bacabal, e teve 20 participantes que foram divididos em quatro grupos e cada grupo ficou encarregado de confeccionar recursos didáticos. As produções dos recursos didáticos foram excelentes, todos os participantes trabalharam efetivamente na construção de cada material dentre os quais foram: Modelos Atômicos de Dalton, Bohr, Rutherford, Sommerfeld, Thomson e o modelo Atual. Por fim realizou-se uma amostra com os materiais confeccionados pelos participantes e cada grupo demonstrou interesse e criatividade na elaboração dos materiais, concluindo com um questionário avaliativo sobre a oficina.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.