Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

Visualizações: 228
A HIBRIDIZAÇÃO DE GÊNEROS LITERÁRIOS EM A CONFISSÃO DA LEOA, DE MIA COUTO

Palavra-chaves: GÊNEROS LITERÁRIOS, HIBRIDIZAÇÃO, MIA COUTO, A CONFISSÃO DA LEOA Comunicação Oral (CO) GT04-GÊNEROS DA LITERATURA EM SALA DE AULA

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo central analisar o processo de hibridização dos gêneros literários na obra A confissão da leoa do escritor moçambicano Mia Couto. Analisar essa narrativa, na perspectiva do entrecruzamento de vários gêneros literários, torna-se imprescindível, na medida em que nos conduz a perceber e enfatizar que a literatura contemporânea, busca, cada vez mais, desterritorializar-se em relação a noções e conceitos estanques e delimitados sobre as características de determinados gêneros, tais como: o romance. Tendo em vista isso, observamos que no citado texto de Mia Couto as estruturas estéticas apresentam espaço, narradores e personagens com novas roupagens e uma linguagem distante dos perfis tradicionais geralmente explorados em obras canônicas. Nesse romance, podemos observar, ainda, como a linguagem pode se distanciar de seus modelos e instigar reflexões de como as estratégias narrativas contribuem para a expressão de valores culturais de uma sociedade. Isso é crucial se levarmos em consideração o contexto pós-colonial de produção desse texto literário de Mia Couto. Em A confissão da leoa verificamos a descentralização dos narradores, a multiplicidade de vozes e a problematização do binarismo masculino/feminino. Isso somente é possível, na medida em que neste romance temos a articulação de diferentes gêneros, podendo ser literários ou extraliterários. Os gêneros introduzidos nessa obra apesar de manter uma relativa autonomia, estrutura e originalidade linguísticas e estéticas (confissão, diário, memória, escrita de si, provérbios), promovem um intenso entrelaçamento ao propiciar uma atmosfera híbrida na narrativa. Com essa intercalação dos gêneros, podemos observar que a estrutura da obra, poderá sofrer alteração, constituindo, assim, “novos” gêneros, entre eles: romance-confissão e romance-diário. Paralelo a isso, esse estudo objetiva ilustrar também a dificuldade de composição uniforme do gênero literário, na atualidade, suscitando a necessidade de revisão de teorias responsáveis pela abordagem desses gêneros. Nesse sentido, acreditamos que esses estudos podem proporcionar ao professor uma estratégia importante de se trabalhar os textos literários, através de uma perspectiva que não se limita a definições cristalizadas dos gêneros textuais e literários. Para respaldar esta abordagem, sugerimos como estudiosos fundamentais: BAKHTIN (1998), LUKÁCS (2000), SOARES (2007), FOUCAULT (2009), BENJAMIN (1985), CANCLINI (1990), LAJOLO (2001), ZILBERMAN (1991), entre outros.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.