Artigo Anais IV ENID / UEPB

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-7379

CINEMA E NORDESTE: CRITICIDADE NAS AULAS DE GEOGRAFIA

Palavra-chaves: RECURSO MIDIÁTICO, CINEMA E O NORDESTE, ENSINO DE GEOGRAFIA Comunicação Oral (CO) Reflexões sobre a formação em Geografia, metodologias e recursos didáticos no ensino Publicado em 22 de novembro de 2014

Resumo

Com o avanço de novas tecnologias e meios de comunicação, as escolas juntamente com os professores precisam encontrar possibilidades da utilização dos mesmos na sala de aula, procurando sempre, novas formas de inovar as aulas. Existem inúmeras possibilidades de se Ensinar-aprender Geografia mediante o uso de recursos em sala de aula. Um desses recursos são as mídias audiovisuais. Toda semana, chegam às telas dos cinemas, inúmeras produções, atendendo a todos os gostos e preferências. O filme é um recurso bastante rico, que dá possibilidade de análises das categorias geográficas, ao expor as culturas, conflitos, costumes, entre várias outras possibilidades de aprendizagem. Mas é importante fazer o uso deste recurso em paralelo ao assunto que se está trabalhando na turma, para que o uso dele não seja apenas preencher aulas vagas, ou aulas não preparadas, mas que se faça o uso como complemento para melhor interpretação e associação do assunto. Este trabalho é resultante de um projeto de extensão “O Nordeste no cinema: uma leitura geográfica”, realizado no curso de Licenciatura em Geografia do campus I da Universidade Estadual da Paraíba, onde foram discutidas diversas temáticas da ciência geográfica e a possibilidade do uso do recurso em sala de aula. O projeto se propôs a lançar sob o trabalho um novo olhar de diversos diretores, que estão cada vez mais explorando as riquezas culturais do Nordeste, o resgate de grandes escritores que deixaram um legado e a mostra de uma cultura rica e diversificada, possibilitaram aos alunos uma melhor interpretação e análise crítica da região. Como também que muitas das tendências midiáticas que frequentemente mostram uma visão depreciativa, às vezes não correspondem a nossa verdadeira realidade. A metodologia adotada foi da seleção de filmes e documentários e também um referencial teórico sobre cinema e o Nordeste. Filmes como “Menino de Engenho”, “O Pagador de Promessa”, “Baile Perfumado”, “Árido Movie”, “O Homem que engarrafava nuvens”, entre outros grandes trabalhos, foram escolhidos para a exibição. Nos encontros do projeto, sempre ocorria à exibição da película seguida do debate entre os professores orientadores do projeto e os alunos que participaram do projeto. Um dos resultados do projeto foi à ampliação do universo de filmes relacionados ao Nordeste, entre os alunos que não possuem o hábito de assistir filmes nacionais, excepcionalmente relacionados à região que por vezes está sempre ligado aos filmes mais conhecidos e sempre repetitivos na mídia. Também ampliou os conhecimentos sobre algumas composições musicais que se tornaram conhecidas não só no Brasil, mas como no mundo. Deste modo pode-se concluir que o projeto foi fundamental para despertar e aprofundar ainda mais a visão crítica dos alunos sobre a região. O projeto foi ministrado com dois professores do curso de Licenciatura em Geografia, com a participação dos alunos do curso.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.