Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA

Palavra-chaves: FONÉTICA, LÍNGUA INGLESA, PRODUÇÃO ORAL Pôster (PO) LINGUAGENS, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 7522
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1209
    "inscrito_id" => 4350
    "titulo" => "O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA"
    "resumo" => "Um dos desafios mais recorrentes enfrentados por professores de língua estrangeira é superar a dificuldade que muitos alunos sentem ao tentar produzir algo oralmente do novo idioma. Comparando-se o acervo fonético do português brasileiro com o da língua inglesa, percebemos a presença de alguns fonemas neste último inexistentes em nossa língua materna, que causam problemas no processo de aprendizagem dos alunos. Uma das consequências é que estes aprendizes tendem a aproximar ao máximo os fonemas do inglês daqueles encontrados no português, o que pode causar mal-entendidos. Nos últimos anos o ensino nas diversas salas de aula de língua inglesa vem voltando-se não necessariamente ao objetivo de o aluno falar um inglês “perfeito”, tal qual um falante nativo, e sim fazer-se entender no novo idioma. Ou seja, o desafio para os professores agora é identificar quais aspectos fonológicos contribuem ou atrapalham na comunicação, destacá-los para seus alunos e então buscar meios pelos quais os aprendizes possam sobrepujar quaisquer problemas que atrapalhem seus processos comunicativos. Em Campina Grande, nos últimos anos, pudemos perceber o surgimento de muitas escolas de idiomas, que têm como maior foco o ensino de língua inglesa. Sendo assim, a pesquisa de caráter exploratório será centrada em três diferentes centros de aprendizagem, objetivando descobrir como eles vêm lidando com o desenvolvimento da oralidade dos alunos, especificamente no que se refere à pronuncia. Serão assistidas aulas de nível intermediário e avançado, com o intuito de esclarecer os questionamentos levantados na problematização da pesquisa. O embasamento teórico do presente trabalho será fundamentado em autores como Lima (2009), Steinberg (1986), dentre outros."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "LINGUAGENS, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO"
    "palavra_chave" => "FONÉTICA, LÍNGUA INGLESA, PRODUÇÃO ORAL"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_11_08_2014_21_56_30_idinscrito_4350_3c946339db4286386d587ca7179117a9.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "NATHÁLIA DE SÁ TAVARES"
    "autor_nome_curto" => "NATHÁLIA"
    "autor_email" => "nathalia.sa.tavares@gmail"
    "autor_ies" => "UEPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 7522
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1209
    "inscrito_id" => 4350
    "titulo" => "O AUXÍLIO DA FONÉTICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA"
    "resumo" => "Um dos desafios mais recorrentes enfrentados por professores de língua estrangeira é superar a dificuldade que muitos alunos sentem ao tentar produzir algo oralmente do novo idioma. Comparando-se o acervo fonético do português brasileiro com o da língua inglesa, percebemos a presença de alguns fonemas neste último inexistentes em nossa língua materna, que causam problemas no processo de aprendizagem dos alunos. Uma das consequências é que estes aprendizes tendem a aproximar ao máximo os fonemas do inglês daqueles encontrados no português, o que pode causar mal-entendidos. Nos últimos anos o ensino nas diversas salas de aula de língua inglesa vem voltando-se não necessariamente ao objetivo de o aluno falar um inglês “perfeito”, tal qual um falante nativo, e sim fazer-se entender no novo idioma. Ou seja, o desafio para os professores agora é identificar quais aspectos fonológicos contribuem ou atrapalham na comunicação, destacá-los para seus alunos e então buscar meios pelos quais os aprendizes possam sobrepujar quaisquer problemas que atrapalhem seus processos comunicativos. Em Campina Grande, nos últimos anos, pudemos perceber o surgimento de muitas escolas de idiomas, que têm como maior foco o ensino de língua inglesa. Sendo assim, a pesquisa de caráter exploratório será centrada em três diferentes centros de aprendizagem, objetivando descobrir como eles vêm lidando com o desenvolvimento da oralidade dos alunos, especificamente no que se refere à pronuncia. Serão assistidas aulas de nível intermediário e avançado, com o intuito de esclarecer os questionamentos levantados na problematização da pesquisa. O embasamento teórico do presente trabalho será fundamentado em autores como Lima (2009), Steinberg (1986), dentre outros."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "LINGUAGENS, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO"
    "palavra_chave" => "FONÉTICA, LÍNGUA INGLESA, PRODUÇÃO ORAL"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_11_08_2014_21_56_30_idinscrito_4350_3c946339db4286386d587ca7179117a9.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "NATHÁLIA DE SÁ TAVARES"
    "autor_nome_curto" => "NATHÁLIA"
    "autor_email" => "nathalia.sa.tavares@gmail"
    "autor_ies" => "UEPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Um dos desafios mais recorrentes enfrentados por professores de língua estrangeira é superar a dificuldade que muitos alunos sentem ao tentar produzir algo oralmente do novo idioma. Comparando-se o acervo fonético do português brasileiro com o da língua inglesa, percebemos a presença de alguns fonemas neste último inexistentes em nossa língua materna, que causam problemas no processo de aprendizagem dos alunos. Uma das consequências é que estes aprendizes tendem a aproximar ao máximo os fonemas do inglês daqueles encontrados no português, o que pode causar mal-entendidos. Nos últimos anos o ensino nas diversas salas de aula de língua inglesa vem voltando-se não necessariamente ao objetivo de o aluno falar um inglês “perfeito”, tal qual um falante nativo, e sim fazer-se entender no novo idioma. Ou seja, o desafio para os professores agora é identificar quais aspectos fonológicos contribuem ou atrapalham na comunicação, destacá-los para seus alunos e então buscar meios pelos quais os aprendizes possam sobrepujar quaisquer problemas que atrapalhem seus processos comunicativos. Em Campina Grande, nos últimos anos, pudemos perceber o surgimento de muitas escolas de idiomas, que têm como maior foco o ensino de língua inglesa. Sendo assim, a pesquisa de caráter exploratório será centrada em três diferentes centros de aprendizagem, objetivando descobrir como eles vêm lidando com o desenvolvimento da oralidade dos alunos, especificamente no que se refere à pronuncia. Serão assistidas aulas de nível intermediário e avançado, com o intuito de esclarecer os questionamentos levantados na problematização da pesquisa. O embasamento teórico do presente trabalho será fundamentado em autores como Lima (2009), Steinberg (1986), dentre outros.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.