Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

A CIÊNCIA ESCOLAR E O TRABALHO DO PROFESSOR: CONSIDERAÇÕES A CERCA DA NATUREZA CIENTÍFICA DO TRABALHO DOCENTE

Palavra-chaves: AÇÃO DOCENTE, EPISTEMOLOGIA, EDUCAÇÃO CIENTÍFICA Pôster (PO) FORMAÇÃO DE PROFESSORES
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 6662
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 497
    "inscrito_id" => 3996
    "titulo" => "A CIÊNCIA ESCOLAR E O TRABALHO DO PROFESSOR: CONSIDERAÇÕES A CERCA DA NATUREZA CIENTÍFICA DO TRABALHO DOCENTE"
    "resumo" => "Diante das novas abordagens em educação, é necessário compreender a importância da adequação dos processos de linguagens para a construção do saber dos alunos.  Nesse aspecto, o professor exerce um papel importante, pois atua como mediador do processo de ensino e aprendizagem, formando cidadãos críticos e conscientes de seu papel na sociedade. A criticidade e a linguagem exigida no processo educacional correspondem aos pressupostos pertencentes aos princípios da natureza do trabalho cientifico, uma vez que a escola e o trabalho do professor são, também, práticas cientificas. Dessa forma, se a cultura cientifica não se faz presente em sala de aula ocorre um distanciamento das concepções epistemológicas da ação docente, ocasionando o surgimento de visões simplistas sobre o ensino de ciências tais como: o ensino como uma tarefa e o trabalho docente voltado para a transmissão de conhecimentos e destrezas. Tais fatores constituem uma das principais dificuldades para o envolvimento dos professores em atividades inovadoras e criativas.  Mas e a realidade em sala de aula? Os professores do ensino básico sentem-se cientistas? E reconhecem e tratam a docência como uma atividade cientifica?  Para buscar tais respostas, a pesquisa seguiu duas vertentes metodológicas, no primeiro momento foi realizada uma revisão literária nos livros didáticos utilizados pelos docentes, e seguidamente, um questionário estruturado (ainda a ser aplicado) aos professores de Ciências e Biologia em quatro escolas da rede estadual e municipal de ensino na cidade de Patos, PB. Análises preliminares revelaram que os professores não se sentem cientistas em função de alguns fatores, entre eles a formação acadêmica (que não os prepara para entender a sala de aula como um laboratório epistemológico). Nesse aspecto, entendemos que uma aliança entre a epistemologia e o trabalho do professor pode contribuir significativamente para o entendimento e o aperfeiçoamento da ação docente e apoiar ações políticas de formação continuada de professores além de proporcionar reflexões sobre a forma como os educadores manifestam e conduzem a ciência no dia a dia do ambiente escolar."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "FORMAÇÃO DE PROFESSORES"
    "palavra_chave" => "AÇÃO DOCENTE, EPISTEMOLOGIA, EDUCAÇÃO CIENTÍFICA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_08_08_2014_18_12_51_idinscrito_3996_eb754e57224a88094c740cb254d3de90.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:53"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:23"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ITAMAR DA SILVA NUNES"
    "autor_nome_curto" => "ITAMAR"
    "autor_email" => "itamar231@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIOVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 6662
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 497
    "inscrito_id" => 3996
    "titulo" => "A CIÊNCIA ESCOLAR E O TRABALHO DO PROFESSOR: CONSIDERAÇÕES A CERCA DA NATUREZA CIENTÍFICA DO TRABALHO DOCENTE"
    "resumo" => "Diante das novas abordagens em educação, é necessário compreender a importância da adequação dos processos de linguagens para a construção do saber dos alunos.  Nesse aspecto, o professor exerce um papel importante, pois atua como mediador do processo de ensino e aprendizagem, formando cidadãos críticos e conscientes de seu papel na sociedade. A criticidade e a linguagem exigida no processo educacional correspondem aos pressupostos pertencentes aos princípios da natureza do trabalho cientifico, uma vez que a escola e o trabalho do professor são, também, práticas cientificas. Dessa forma, se a cultura cientifica não se faz presente em sala de aula ocorre um distanciamento das concepções epistemológicas da ação docente, ocasionando o surgimento de visões simplistas sobre o ensino de ciências tais como: o ensino como uma tarefa e o trabalho docente voltado para a transmissão de conhecimentos e destrezas. Tais fatores constituem uma das principais dificuldades para o envolvimento dos professores em atividades inovadoras e criativas.  Mas e a realidade em sala de aula? Os professores do ensino básico sentem-se cientistas? E reconhecem e tratam a docência como uma atividade cientifica?  Para buscar tais respostas, a pesquisa seguiu duas vertentes metodológicas, no primeiro momento foi realizada uma revisão literária nos livros didáticos utilizados pelos docentes, e seguidamente, um questionário estruturado (ainda a ser aplicado) aos professores de Ciências e Biologia em quatro escolas da rede estadual e municipal de ensino na cidade de Patos, PB. Análises preliminares revelaram que os professores não se sentem cientistas em função de alguns fatores, entre eles a formação acadêmica (que não os prepara para entender a sala de aula como um laboratório epistemológico). Nesse aspecto, entendemos que uma aliança entre a epistemologia e o trabalho do professor pode contribuir significativamente para o entendimento e o aperfeiçoamento da ação docente e apoiar ações políticas de formação continuada de professores além de proporcionar reflexões sobre a forma como os educadores manifestam e conduzem a ciência no dia a dia do ambiente escolar."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "FORMAÇÃO DE PROFESSORES"
    "palavra_chave" => "AÇÃO DOCENTE, EPISTEMOLOGIA, EDUCAÇÃO CIENTÍFICA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_08_08_2014_18_12_51_idinscrito_3996_eb754e57224a88094c740cb254d3de90.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:53"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:23"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ITAMAR DA SILVA NUNES"
    "autor_nome_curto" => "ITAMAR"
    "autor_email" => "itamar231@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIOVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Diante das novas abordagens em educação, é necessário compreender a importância da adequação dos processos de linguagens para a construção do saber dos alunos. Nesse aspecto, o professor exerce um papel importante, pois atua como mediador do processo de ensino e aprendizagem, formando cidadãos críticos e conscientes de seu papel na sociedade. A criticidade e a linguagem exigida no processo educacional correspondem aos pressupostos pertencentes aos princípios da natureza do trabalho cientifico, uma vez que a escola e o trabalho do professor são, também, práticas cientificas. Dessa forma, se a cultura cientifica não se faz presente em sala de aula ocorre um distanciamento das concepções epistemológicas da ação docente, ocasionando o surgimento de visões simplistas sobre o ensino de ciências tais como: o ensino como uma tarefa e o trabalho docente voltado para a transmissão de conhecimentos e destrezas. Tais fatores constituem uma das principais dificuldades para o envolvimento dos professores em atividades inovadoras e criativas. Mas e a realidade em sala de aula? Os professores do ensino básico sentem-se cientistas? E reconhecem e tratam a docência como uma atividade cientifica? Para buscar tais respostas, a pesquisa seguiu duas vertentes metodológicas, no primeiro momento foi realizada uma revisão literária nos livros didáticos utilizados pelos docentes, e seguidamente, um questionário estruturado (ainda a ser aplicado) aos professores de Ciências e Biologia em quatro escolas da rede estadual e municipal de ensino na cidade de Patos, PB. Análises preliminares revelaram que os professores não se sentem cientistas em função de alguns fatores, entre eles a formação acadêmica (que não os prepara para entender a sala de aula como um laboratório epistemológico). Nesse aspecto, entendemos que uma aliança entre a epistemologia e o trabalho do professor pode contribuir significativamente para o entendimento e o aperfeiçoamento da ação docente e apoiar ações políticas de formação continuada de professores além de proporcionar reflexões sobre a forma como os educadores manifestam e conduzem a ciência no dia a dia do ambiente escolar.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.