Artigo Anais IV DESFAZENDO GÊNERO

ANAIS de Evento

ISSN: 2447-2190

Visualizações: 389
A ÂNSIA ETERNA, A VIOLÊNCIA, O SILENCIAMENTO E O GROTESCO EM OS PORCOS, DE JULIA LOPES DE ALMEIDA

Palavra-chaves: GÊNERO, LITERATURA, SILENCIAMENTO, VIOLÊNCIA, VIOLÊNCIA Comunicação Oral (CO) ST 20: RESISTÊNCIA E DISSIDÊNCIA SEXUAL NA LITERATURA LATINO-AMERICANA: POR UMA CRÍTICA AO AUTORITARISMO

Resumo

JULIA LOPES DE ALMEIDA FOI UMA ABOLICIONISTA DO SÉCULO XIX E UMA DAS IDEALIZADORAS DA ABL. O OBJETIVO DA DISCUSSÃO É RESGATAR ESSA ESCRITORA, TOMANDO COMO BASE O PROCESSO DE SILENCIAMENTO E VIOLÊNCIA QUE ATINGE AS MULHERES DENTRO E FORA DO ÂMBITO LITERÁRIO E PERSONIFICADO POR UMBELINA EM OS PORCOS, ESCRITO EM 1903. A REFERIDA OBRA NÃO FAZ PARTE DO CÂNONE NEM TAMPOUCO DO CONHECIMENTO DO GRANDE PÚBLICO E REFLETE AS MAZELAS SOCIAIS RESULTANTE DE ANOS DE SUBMISSÃO E AUSÊNCIA DE RECONHECIMENTO, SOBRETUDO, DA CRÍTICA QUE FOMENTA, GROTESCAMENTE, PONTOS CEGOS NA ESCRITA FEMININA NA HISTORIOGRAFIA DA LITERATURA. O REFERENCIAL TEÓRICO COMPÕE-SE, PRINCIPALMENTE, POR WOOLF (1928), TELLES (1988), PERROT (2005) E COLLING (2004). DISCUTIU-SE A REPRESENTAÇÃO DESSA MULHER QUE ANSEIA SAIR DO SILENCIAMENTO, QUE, POR SUA VEZ, TAMBÉM É UMA FORMA DE VIOLÊNCIA.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.