Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

CORPUS MYSTICUM: RELIGIÃO E NAÇÃO NOS PRIMÓRDIOS DA MODERNIDADE

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4506
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 406
    "inscrito_id" => 809
    "titulo" => "CORPUS MYSTICUM: RELIGIÃO E NAÇÃO NOS PRIMÓRDIOS DA MODERNIDADE"
    "resumo" => "A partir do livro de Michel de Certeau ('A fábula mística') estamos desenvolvendo uma pesquisa que teve como provocação inicial a noção de 'corpus mysticum' de Mestre Ávila, que ao ser secularizada, contribuiu para a formulação do que foi denominado posteriormente de Estado-Nação. Nesses termos, aquela concepção sugeriria o conceito de nação como uma das manifestações da experiência criptoreligiosa (Mircea Eliade), ou seja: com a derrocada do grande modelo de cristandade que ocorreu no alvorecer da modernidade, a nação surgiu como espaço de pertencimento numa era de secularização. Assim, a 'comunidade imaginada' surge com o enfraquecimento da experiência comunitária. Noutras palavras, tornou-se imperioso imaginar uma comunidade ou uma outra comunidade quando o 'comum' anterior tornou-se incomum. Este giro é uma das teses, por exemplo, do 'O que é a nação?' de Ernest Renan. Dentre outras aportações nos ocuparemos com a comparação de como se deu essa discussão sobre a nação no contexto espanhol do final do século XIX/início do século XX (Miguel de Unamuno, Ortega y Gasset e María Zambrano) e a 'ideologia da cultura brasileira' (Carlos Guilherme Mota) no século XX. Dentre outras questões: até que ponto a discussão sobre o nacionalismo tem um caráter retrógrado ou libertário? De igual maneira, será que a nação não é um dos mitos inventados para a sobrevivência espiritual do mundo contemporâneo?  (José Carlos Mariátegui)"
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_809_52bbfc26d463342661a503a7f1960b6c.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "NILTON JOSÉ DOS ANJOS DE OLIVEIRA"
    "autor_nome_curto" => "NILTON DOS ANJOS"
    "autor_email" => "niltanjos@yahoo.com.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (UNIRIO)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4506
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 406
    "inscrito_id" => 809
    "titulo" => "CORPUS MYSTICUM: RELIGIÃO E NAÇÃO NOS PRIMÓRDIOS DA MODERNIDADE"
    "resumo" => "A partir do livro de Michel de Certeau ('A fábula mística') estamos desenvolvendo uma pesquisa que teve como provocação inicial a noção de 'corpus mysticum' de Mestre Ávila, que ao ser secularizada, contribuiu para a formulação do que foi denominado posteriormente de Estado-Nação. Nesses termos, aquela concepção sugeriria o conceito de nação como uma das manifestações da experiência criptoreligiosa (Mircea Eliade), ou seja: com a derrocada do grande modelo de cristandade que ocorreu no alvorecer da modernidade, a nação surgiu como espaço de pertencimento numa era de secularização. Assim, a 'comunidade imaginada' surge com o enfraquecimento da experiência comunitária. Noutras palavras, tornou-se imperioso imaginar uma comunidade ou uma outra comunidade quando o 'comum' anterior tornou-se incomum. Este giro é uma das teses, por exemplo, do 'O que é a nação?' de Ernest Renan. Dentre outras aportações nos ocuparemos com a comparação de como se deu essa discussão sobre a nação no contexto espanhol do final do século XIX/início do século XX (Miguel de Unamuno, Ortega y Gasset e María Zambrano) e a 'ideologia da cultura brasileira' (Carlos Guilherme Mota) no século XX. Dentre outras questões: até que ponto a discussão sobre o nacionalismo tem um caráter retrógrado ou libertário? De igual maneira, será que a nação não é um dos mitos inventados para a sobrevivência espiritual do mundo contemporâneo?  (José Carlos Mariátegui)"
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_809_52bbfc26d463342661a503a7f1960b6c.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "NILTON JOSÉ DOS ANJOS DE OLIVEIRA"
    "autor_nome_curto" => "NILTON DOS ANJOS"
    "autor_email" => "niltanjos@yahoo.com.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (UNIRIO)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

A partir do livro de Michel de Certeau ('A fábula mística') estamos desenvolvendo uma pesquisa que teve como provocação inicial a noção de 'corpus mysticum' de Mestre Ávila, que ao ser secularizada, contribuiu para a formulação do que foi denominado posteriormente de Estado-Nação. Nesses termos, aquela concepção sugeriria o conceito de nação como uma das manifestações da experiência criptoreligiosa (Mircea Eliade), ou seja: com a derrocada do grande modelo de cristandade que ocorreu no alvorecer da modernidade, a nação surgiu como espaço de pertencimento numa era de secularização. Assim, a 'comunidade imaginada' surge com o enfraquecimento da experiência comunitária. Noutras palavras, tornou-se imperioso imaginar uma comunidade ou uma outra comunidade quando o 'comum' anterior tornou-se incomum. Este giro é uma das teses, por exemplo, do 'O que é a nação?' de Ernest Renan. Dentre outras aportações nos ocuparemos com a comparação de como se deu essa discussão sobre a nação no contexto espanhol do final do século XIX/início do século XX (Miguel de Unamuno, Ortega y Gasset e María Zambrano) e a 'ideologia da cultura brasileira' (Carlos Guilherme Mota) no século XX. Dentre outras questões: até que ponto a discussão sobre o nacionalismo tem um caráter retrógrado ou libertário? De igual maneira, será que a nação não é um dos mitos inventados para a sobrevivência espiritual do mundo contemporâneo? (José Carlos Mariátegui)

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.