Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

DISSONÂNCIAS E SIMILITUDES NA PRÁXIS DE TRÊS PERSONGENS DE FICÇÃO

Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

O objeto do trabalho são três romances brasileiros contemporâneos: Heranças de Silviano Santiago, de 2008; Leite derramado de Chico Buarque, de 2009 e Eu vos abraço, Milhões de Moacyr Scliar, de 2010. O objetivo da pesquisa é levantar e analisar os nexos entre similitudes e diferenças na práxis social dos protagonistas das obras em tela e sua inserção no processo histórico do país conforme representado nas narrativas. Por meio do estudo comparativo dos romances, buscar-se-á verificar os diversos recursos literários operados pelos autores na elaboração do discurso narrativo. Nos livros mencionados, temos, como centro, um narrador-protagonista que relata suas experiências de vida no século XX e nos primeiros anos do XXI: Valdo, personagem central de Eu vos abraço, Milhões, em Santo Ângelo, no Rio de Janeiro e em Porto Alegre; Walter, de Heranças, em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro e Eulálio, de Leite derramado, também no Rio de Janeiro. O primeiro, após vivenciar momentos invulgares, num curto período (1929-31) no Rio de Janeiro, retorna ao sul onde se torna próspero empreendedor no ramo de energia elétrica, tendo existência trivial, sem grandes atribulações. O segundo, tendo contado com uma infância tranquila, torna-se um boa-vida na juventude e, a partir da herança familiar, faz fortuna na construção civil e, depois, no mercado financeiro, experimentando longo período de ventura econômica. O terceiro, nascido em berço esplêndido, descendente de família de empresários, tem infância e adolescência ditosas, mas passa a maior parte da existência no infortúnio e na insignificância. Guardadas essas e outras diferenças, o elemento de afinidade ou analogia entre os três protagonistas-narradores, no presente da narração, embora tendo percursos diversos, é o fato de, além de estarem próximos do final da existência, serem homens brancos da mesma categoria social, a burguesia. Constituem três tipos humanos representados por três personagens, construídos por meio de figuração literária, enredados em determinada representação da vida do país, em que se veem compelidos a estabelecer certas relações sociais. O vínculo entre a elaboração identitária desses protagonistas e a recriação do contexto sócio-histórico suscita algumas questões para a reflexão do leitor, principalmente, a dos nexos entre concepções de mundo, valores éticos, culturais e comportamentais - enfim a práxis social proveniente de traços identitários - e as circunstâncias políticas, sociais e econômicas. Os referenciais teóricos e históricos do trabalho são, fundamentalmente, W. Benjamin, Antonio Candido e W. Sombart.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.