Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES CULTURAIS AFRODESCENDENTES NO LIVRO AS CANÇÕES E HISTÓRIAS DE UM CAPOEIRA, DE ULISSES GOMES DA SILVA (ESQUILO)

Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

Neste estudo, faz-se uma análise do livro As canções e histórias de um capoeira (2007), de Ulisses Gomes das Silva (Esquilo) e estabelece relações identitárias com a poesia afro-brasileira contemporânea no processo de construção da memória, da história e da cultura, recriadas pelo Griot, a fim de que sejam mapeados os poemas deste livro, conforme a temática abordada, sobretudo, do ponto de vista estético, social e cultural – como os costumes, a comida, a religiosidade, a linguagem, o canto africano, a história da capoeira e dos capoeiristas, a escravidão, o movimento quilombola, a memória coletiva e individual, a história de resistência; Além disso, é necessário identificar os elementos diaspóricos nesse livro e a função do Griot capoeirista; resignificar a contribuição da poesia da capoeira na construção da história, da cultura, da identidade e da memória da nação brasileira para dar mais visibilidade aos elementos culturais afrodescendentes; compreender que ser poeta afro-brasileiro em nosso país representa a escolha de uma posição política e ideológica no sentido de assumir uma identidade afro-brasileira; discernir os tipos de toques de berimbau existentes na Capoeira, que caracteriza cada tipo de canção e ritmos diferentes como Angola, São Bento Grande de Angola, São Bento Pequeno e Jogo de Dentro, Santa Maria no jogo de Capoeira Angola, que é a capoeira primitiva; no jogo da Capoeira Regional Baiana, Mestre Bimba acrescenta a Benguela, São Bento Grande Regional, Iuna. Hoje, existe uma terceira vertente finissecular do séc. XX e entresséculos XX e XXI que é a Capoeira Contemporânea, desenvolvida a partir das outras duas vertentes já existentes. Essas três vertentes da Capoeira chegaram até ao nosso conhecimento, deixadas pelos afrodescendentes e afro-brasileiros para o Brasil e para o mundo, cabendo a nós o respeito aos princípios e fundamentos básicos da forma de jogar e de cantar em cada vertente de capoeira; e estabelecer relações identitárias entre o livro As canções e histórias de um capoeira (2007) e a poesia afro-brasileira contemporânea. Para a realização desse artigo, é necessária uma fundamentação teórica especializada como Frantz Fanon, Stuart Hall, Homi Bhabha, Clóvis Moura, Jair Moura, Paul Gilroy, Cuti, Roland Walter, Édouard Glissant, Zilá Bernd, Silviano Santiago, Élio Ferreira, Cadernos Negros, Eduardo de Assis Duarte, Maria Nazareth Soares Fonseca, Carlos Eugênio Líbano Soares, Luiz Renato entre outros autores que contibuiram com os seus LPs, CDs, vídeos, DVDs, documentários, revista e periódicos especializados. Além disso, a minha vivência de mais de três décadas no meio da capoeiragem e de minha vivência acadêmica e de magistério.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.