Artigo Anais ABRALIC Internacional

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-157X

LITERATURA, CULTURA E NAÇÃO: MODULAÇÕES E TRANSGRESSÕES NOS ACORDES DE MÁRIO DE ANDRADE

"2013-07-12 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 4201
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 279
    "inscrito_id" => 571
    "titulo" => "LITERATURA, CULTURA E NAÇÃO: MODULAÇÕES E TRANSGRESSÕES NOS ACORDES DE MÁRIO DE ANDRADE"
    "resumo" => "LITERATURA, CULTURA E NAÇÃO: MODULAÇÕES E TRANSGRESSÕES NOS ACORDES DE MÁRIO DE ANDRADE Beatriz Lopes  (UnB)Resumo:Nas décadas iniciais do século XX, no espaço-tempo em que as tendências ocorrem em simultaneidades, as confluências e as disjunções do pensamento oitocentista sobre cultura e nacionalidade adentram as ideias de modernidade, a modernização e os avanços tecnológicos, as efervescências socioculturais das cidades e, juntamente com o advento do Modernismo, ensejam diferentes formas de socialização e interação entre os intelectuais, as camadas populares e suas manifestações artísticas. A cultura ganha centralidade nos debates sobre o projeto de construção de uma identidade brasileira, de valorização do nacional e do popular. Nessa vertente, a literatura, a música e as artes plásticas, produtos e produtoras de cultura, vão mediar a sustentação desses ideais, através de um projeto estético de renovação das artes e de um projeto político de emancipação pela cultura. Assim, problematizando as concepções de cultura brasileira, de identidade nacional, de arte erudita e popular, de folclore, de tradição e modernidade, de interação artística, de língua nacional, em formulações que atravessam e diluem os limites temporais e conceituais, em suas aproximações e distanciamentos, as produções artísticas de Mário de Andrade e sua atuação como intelectual da cultura fazem emergir uma narrativa socioestética de nação que ora se integra, em movimento de continuidade e complementaridade, com o pensamento social brasileiro ainda vigente na época, apontando a cultura como um espaço privilegiado onde se processa a tomada de consciência do que nos falta; ora subverte as fronteiras culturais e promove a ruptura com a visão civilizatória europeia, contrapondo a autenticidade e a autoafirmação de nossa singularidade. Então, a cultura associada à questão nacional elege a nação como reflexão cultural, categoria que encobre as diferenças de classes e elabora uma ideologia unificadora que tenta cauterizar as feridas no fosso entre as elites e o povo. Nesse sentido, Mário de Andrade terá um papel de convergência no quadro combinatório entre cultura e nação, tanto na literatura quanto na música, na mediada em que promove uma transversalidade com os ideários de identidade brasileira, conformando em sua trajetória e produção artísticas um processo civilizador pela cultura, como intelectual, musicólogo, escritor, crítico de arte, desempenhando a tarefa de mediador simbólico, isto é, a expressão da memória nacional, atuando como agente intermediário das duas dimensões o popular (plural) e o nacional na construção da identidade brasileira. E sua obra Macunaíma torna-se a formulação mais acabada da convergência de projeto estético e de projeto ideológico do Modernismo e se converte em paradigma de seu pensamento sobre cultura e em espaço poético-musical imaginário e “desgeograficado”, que a literatura inventa e ocupa, rompendo barreiras da linguagem oficializada, incorporando a força ampliadora e libertadora do folclore e da cultura popular e vinculando a vocação do artista e do intelectual aos destinos da nacionalidade, expandindo-se, como utopia, para além dos âmbitos literários e artísticos, nos principais movimentos culturais ao longo do século XX.Palavras-chave: Literatura, Cultura, Nação, Mário de Andrade."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_571_01b6f5c101324e2fd528cfffec413cc7.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:25"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "BEATRIZ DA SILVA LOPES PEREIRA"
    "autor_nome_curto" => "BEATRIZ LOPES"
    "autor_email" => "beatrizlopes@ibest.com.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 4201
    "edicao_id" => 14
    "trabalho_id" => 279
    "inscrito_id" => 571
    "titulo" => "LITERATURA, CULTURA E NAÇÃO: MODULAÇÕES E TRANSGRESSÕES NOS ACORDES DE MÁRIO DE ANDRADE"
    "resumo" => "LITERATURA, CULTURA E NAÇÃO: MODULAÇÕES E TRANSGRESSÕES NOS ACORDES DE MÁRIO DE ANDRADE Beatriz Lopes  (UnB)Resumo:Nas décadas iniciais do século XX, no espaço-tempo em que as tendências ocorrem em simultaneidades, as confluências e as disjunções do pensamento oitocentista sobre cultura e nacionalidade adentram as ideias de modernidade, a modernização e os avanços tecnológicos, as efervescências socioculturais das cidades e, juntamente com o advento do Modernismo, ensejam diferentes formas de socialização e interação entre os intelectuais, as camadas populares e suas manifestações artísticas. A cultura ganha centralidade nos debates sobre o projeto de construção de uma identidade brasileira, de valorização do nacional e do popular. Nessa vertente, a literatura, a música e as artes plásticas, produtos e produtoras de cultura, vão mediar a sustentação desses ideais, através de um projeto estético de renovação das artes e de um projeto político de emancipação pela cultura. Assim, problematizando as concepções de cultura brasileira, de identidade nacional, de arte erudita e popular, de folclore, de tradição e modernidade, de interação artística, de língua nacional, em formulações que atravessam e diluem os limites temporais e conceituais, em suas aproximações e distanciamentos, as produções artísticas de Mário de Andrade e sua atuação como intelectual da cultura fazem emergir uma narrativa socioestética de nação que ora se integra, em movimento de continuidade e complementaridade, com o pensamento social brasileiro ainda vigente na época, apontando a cultura como um espaço privilegiado onde se processa a tomada de consciência do que nos falta; ora subverte as fronteiras culturais e promove a ruptura com a visão civilizatória europeia, contrapondo a autenticidade e a autoafirmação de nossa singularidade. Então, a cultura associada à questão nacional elege a nação como reflexão cultural, categoria que encobre as diferenças de classes e elabora uma ideologia unificadora que tenta cauterizar as feridas no fosso entre as elites e o povo. Nesse sentido, Mário de Andrade terá um papel de convergência no quadro combinatório entre cultura e nação, tanto na literatura quanto na música, na mediada em que promove uma transversalidade com os ideários de identidade brasileira, conformando em sua trajetória e produção artísticas um processo civilizador pela cultura, como intelectual, musicólogo, escritor, crítico de arte, desempenhando a tarefa de mediador simbólico, isto é, a expressão da memória nacional, atuando como agente intermediário das duas dimensões o popular (plural) e o nacional na construção da identidade brasileira. E sua obra Macunaíma torna-se a formulação mais acabada da convergência de projeto estético e de projeto ideológico do Modernismo e se converte em paradigma de seu pensamento sobre cultura e em espaço poético-musical imaginário e “desgeograficado”, que a literatura inventa e ocupa, rompendo barreiras da linguagem oficializada, incorporando a força ampliadora e libertadora do folclore e da cultura popular e vinculando a vocação do artista e do intelectual aos destinos da nacionalidade, expandindo-se, como utopia, para além dos âmbitos literários e artísticos, nos principais movimentos culturais ao longo do século XX.Palavras-chave: Literatura, Cultura, Nação, Mário de Andrade."
    "modalidade" => null
    "area_tematica" => null
    "palavra_chave" => null
    "idioma" => null
    "arquivo" => "Completo_Comunicacao_oral_idinscrito_571_01b6f5c101324e2fd528cfffec413cc7.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:50"
    "updated_at" => "2020-06-10 13:11:25"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "BEATRIZ DA SILVA LOPES PEREIRA"
    "autor_nome_curto" => "BEATRIZ LOPES"
    "autor_email" => "beatrizlopes@ibest.com.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-abralic-internacional"
    "edicao_nome" => "Anais ABRALIC Internacional"
    "edicao_evento" => "XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada"
    "edicao_ano" => 2013
    "edicao_pasta" => "anais/abralic/2013"
    "edicao_logo" => "5e48acf34819c_15022020234611.png"
    "edicao_capa" => "5f17347012303_21072020153112.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2013-07-12 00:00:00"
    "publicacao_id" => 12
    "publicacao_nome" => "Revista ABRALIC INTERNACIONAL"
    "publicacao_codigo" => "2317-157X"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 12 de julho de 2013

Resumo

LITERATURA, CULTURA E NAÇÃO: MODULAÇÕES E TRANSGRESSÕES NOS ACORDES DE MÁRIO DE ANDRADE Beatriz Lopes (UnB)Resumo:Nas décadas iniciais do século XX, no espaço-tempo em que as tendências ocorrem em simultaneidades, as confluências e as disjunções do pensamento oitocentista sobre cultura e nacionalidade adentram as ideias de modernidade, a modernização e os avanços tecnológicos, as efervescências socioculturais das cidades e, juntamente com o advento do Modernismo, ensejam diferentes formas de socialização e interação entre os intelectuais, as camadas populares e suas manifestações artísticas. A cultura ganha centralidade nos debates sobre o projeto de construção de uma identidade brasileira, de valorização do nacional e do popular. Nessa vertente, a literatura, a música e as artes plásticas, produtos e produtoras de cultura, vão mediar a sustentação desses ideais, através de um projeto estético de renovação das artes e de um projeto político de emancipação pela cultura. Assim, problematizando as concepções de cultura brasileira, de identidade nacional, de arte erudita e popular, de folclore, de tradição e modernidade, de interação artística, de língua nacional, em formulações que atravessam e diluem os limites temporais e conceituais, em suas aproximações e distanciamentos, as produções artísticas de Mário de Andrade e sua atuação como intelectual da cultura fazem emergir uma narrativa socioestética de nação que ora se integra, em movimento de continuidade e complementaridade, com o pensamento social brasileiro ainda vigente na época, apontando a cultura como um espaço privilegiado onde se processa a tomada de consciência do que nos falta; ora subverte as fronteiras culturais e promove a ruptura com a visão civilizatória europeia, contrapondo a autenticidade e a autoafirmação de nossa singularidade. Então, a cultura associada à questão nacional elege a nação como reflexão cultural, categoria que encobre as diferenças de classes e elabora uma ideologia unificadora que tenta cauterizar as feridas no fosso entre as elites e o povo. Nesse sentido, Mário de Andrade terá um papel de convergência no quadro combinatório entre cultura e nação, tanto na literatura quanto na música, na mediada em que promove uma transversalidade com os ideários de identidade brasileira, conformando em sua trajetória e produção artísticas um processo civilizador pela cultura, como intelectual, musicólogo, escritor, crítico de arte, desempenhando a tarefa de mediador simbólico, isto é, a expressão da memória nacional, atuando como agente intermediário das duas dimensões o popular (plural) e o nacional na construção da identidade brasileira. E sua obra Macunaíma torna-se a formulação mais acabada da convergência de projeto estético e de projeto ideológico do Modernismo e se converte em paradigma de seu pensamento sobre cultura e em espaço poético-musical imaginário e “desgeograficado”, que a literatura inventa e ocupa, rompendo barreiras da linguagem oficializada, incorporando a força ampliadora e libertadora do folclore e da cultura popular e vinculando a vocação do artista e do intelectual aos destinos da nacionalidade, expandindo-se, como utopia, para além dos âmbitos literários e artísticos, nos principais movimentos culturais ao longo do século XX.Palavras-chave: Literatura, Cultura, Nação, Mário de Andrade.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.