Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

VARIANTES E VARIEDADES: O USO DOS CLICHÊS NOS TEXTOS DOS ESTUDANTES NA EJA - ENSINO FUNDAMENTAL II

Palavra-chaves: VARIAÇÃO LINGUÍSTICA, CLICHÊS, ENSINO Pôster (PO) GT 15 – Ensino de línguas
"2017-12-19 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 38880
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 3457
    "inscrito_id" => 9693
    "titulo" => "VARIANTES E VARIEDADES: O USO DOS CLICHÊS NOS TEXTOS DOS ESTUDANTES NA EJA - ENSINO FUNDAMENTAL II"
    "resumo" => "Objetivamos com este a artigo refletir sobre alguns dos conceitos relacionados à variação linguística e o uso de clichês presentes nos textos dos estudantes do Ensino Fundamental em uma turma da EJA, no município de Vitória de Santo Antão em Pernambuco. Tratamos dos tópicos: a língua e as variedades linguísticas; a normatização e os preconceitos no uso de clichês como formas variantes do argumento, cujo sujeito pode ter seu texto construído sobre as bases do discurso alheio. Além disso, podemos perceber que o uso da Gramática Prescritiva não é um norte a ser seguido sem contestação de uma inequívoca possibilidade de ascensão social e de um inquestionável entendimento semântico. Tentamos contextualizar sempre os conteúdos comunicativos presentes na língua viva e útil para que o estudante perceba tal procedimento e entenda a importância dele. Uma vez que devemos ser, como bem disse Faraco, no livro Norma Culta Brasileira, “camaleões linguísticos”. Porquanto, a depender do público e do ambiente em que se esteja, o grau de formalismo e intenções comunicativas, devemos nos moldar e nos adaptar, permitindo-nos até deixar de lado a normatividade para se ser bem entendida a mensagem, sido isso incrementada na temática geral do nosso estudo. A nossa cultura tem sido intolerante com muitas das variedades brasileiras do português e transformou em fator de discriminação social o modo como parte da população fala a língua. A escola não deve jamais compactuar com esse modo de pensar e agir, por isso um debate amplo na sociedade dever ser constantemente desenvolvido e fazemos de forma moderada neste artigo. É forçoso nos acendermos positivamente para as muitas variedades brasileiras do português, abarcando como a língua existe socialmente e porque ela é tão diversificada. Temos de ter a coragem de expor e ampliar esse leque de discussão em nossas salas de aulas. Por esse motivo é que desenvolvemos esta pesquisa e pleiteamos apresentá-la no CONEDU, como forma de expansão do debate a respeito de tão nobre temática."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 15 – Ensino de línguas"
    "palavra_chave" => "VARIAÇÃO LINGUÍSTICA, CLICHÊS, ENSINO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA15_ID9693_13102017115254.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:24"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:12"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "EMANOEL RODRIGUES DE SOUZA"
    "autor_nome_curto" => "EMANOEL"
    "autor_email" => "emanoelvox@outlook.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-19 23:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 38880
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 3457
    "inscrito_id" => 9693
    "titulo" => "VARIANTES E VARIEDADES: O USO DOS CLICHÊS NOS TEXTOS DOS ESTUDANTES NA EJA - ENSINO FUNDAMENTAL II"
    "resumo" => "Objetivamos com este a artigo refletir sobre alguns dos conceitos relacionados à variação linguística e o uso de clichês presentes nos textos dos estudantes do Ensino Fundamental em uma turma da EJA, no município de Vitória de Santo Antão em Pernambuco. Tratamos dos tópicos: a língua e as variedades linguísticas; a normatização e os preconceitos no uso de clichês como formas variantes do argumento, cujo sujeito pode ter seu texto construído sobre as bases do discurso alheio. Além disso, podemos perceber que o uso da Gramática Prescritiva não é um norte a ser seguido sem contestação de uma inequívoca possibilidade de ascensão social e de um inquestionável entendimento semântico. Tentamos contextualizar sempre os conteúdos comunicativos presentes na língua viva e útil para que o estudante perceba tal procedimento e entenda a importância dele. Uma vez que devemos ser, como bem disse Faraco, no livro Norma Culta Brasileira, “camaleões linguísticos”. Porquanto, a depender do público e do ambiente em que se esteja, o grau de formalismo e intenções comunicativas, devemos nos moldar e nos adaptar, permitindo-nos até deixar de lado a normatividade para se ser bem entendida a mensagem, sido isso incrementada na temática geral do nosso estudo. A nossa cultura tem sido intolerante com muitas das variedades brasileiras do português e transformou em fator de discriminação social o modo como parte da população fala a língua. A escola não deve jamais compactuar com esse modo de pensar e agir, por isso um debate amplo na sociedade dever ser constantemente desenvolvido e fazemos de forma moderada neste artigo. É forçoso nos acendermos positivamente para as muitas variedades brasileiras do português, abarcando como a língua existe socialmente e porque ela é tão diversificada. Temos de ter a coragem de expor e ampliar esse leque de discussão em nossas salas de aulas. Por esse motivo é que desenvolvemos esta pesquisa e pleiteamos apresentá-la no CONEDU, como forma de expansão do debate a respeito de tão nobre temática."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 15 – Ensino de línguas"
    "palavra_chave" => "VARIAÇÃO LINGUÍSTICA, CLICHÊS, ENSINO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA15_ID9693_13102017115254.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:24"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:12"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "EMANOEL RODRIGUES DE SOUZA"
    "autor_nome_curto" => "EMANOEL"
    "autor_email" => "emanoelvox@outlook.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-19 23:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 19 de dezembro de 2017

Resumo

Objetivamos com este a artigo refletir sobre alguns dos conceitos relacionados à variação linguística e o uso de clichês presentes nos textos dos estudantes do Ensino Fundamental em uma turma da EJA, no município de Vitória de Santo Antão em Pernambuco. Tratamos dos tópicos: a língua e as variedades linguísticas; a normatização e os preconceitos no uso de clichês como formas variantes do argumento, cujo sujeito pode ter seu texto construído sobre as bases do discurso alheio. Além disso, podemos perceber que o uso da Gramática Prescritiva não é um norte a ser seguido sem contestação de uma inequívoca possibilidade de ascensão social e de um inquestionável entendimento semântico. Tentamos contextualizar sempre os conteúdos comunicativos presentes na língua viva e útil para que o estudante perceba tal procedimento e entenda a importância dele. Uma vez que devemos ser, como bem disse Faraco, no livro Norma Culta Brasileira, “camaleões linguísticos”. Porquanto, a depender do público e do ambiente em que se esteja, o grau de formalismo e intenções comunicativas, devemos nos moldar e nos adaptar, permitindo-nos até deixar de lado a normatividade para se ser bem entendida a mensagem, sido isso incrementada na temática geral do nosso estudo. A nossa cultura tem sido intolerante com muitas das variedades brasileiras do português e transformou em fator de discriminação social o modo como parte da população fala a língua. A escola não deve jamais compactuar com esse modo de pensar e agir, por isso um debate amplo na sociedade dever ser constantemente desenvolvido e fazemos de forma moderada neste artigo. É forçoso nos acendermos positivamente para as muitas variedades brasileiras do português, abarcando como a língua existe socialmente e porque ela é tão diversificada. Temos de ter a coragem de expor e ampliar esse leque de discussão em nossas salas de aulas. Por esse motivo é que desenvolvemos esta pesquisa e pleiteamos apresentá-la no CONEDU, como forma de expansão do debate a respeito de tão nobre temática.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.