Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 216
PRECONCEITO: UMA QUESTÃO MARCANTE E EXTREMAMENTE PRESENTE NO SÉCULO XXI

Palavra-chaves: PRECONCEITO, DISCRIMINAÇÃO, RACISMO Comunicação Oral (CO) GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Resumo: A pesquisa ora apresentada trata de um assunto abrangente e presente na atualidade: o preconceito. O objetivo desse artigo é compreender melhor as concepções teóricas sobre essa temática e apontar os principais grupos sociais atingidos por ele. Partimos de conceitos e estudos já realizados por autores (as) que estudam o preconceito, o racismo e a discriminação decorrentes deste. Discorremos a respeito de vertentes suscetíveis ao assunto citando exemplificações de como ele (o preconceito) está arraigado nas sociedades e, por conseguinte algumas de suas várias faces. Em primeiro plano mostramos como o preconceito étnico tem sido uma das causas mais significativas de discriminação. Outra abordagem sobre o tema da pesquisa, a discriminação social, foi enfatizada a respeito da sociedade no Brasil, desde sua formação após a chegada dos colonizadores. O preconceito religioso, tema que merece respeito e serenidade, pois religião deve assim ser tratada, foi relacionado como um importante fator preconceituoso diante das várias orientações religiosas presentes nas sociedades. A homofobia, preconceito baseado na orientação sexual, temática muito debatida na atualidade, combatida com veemência por grupos como o LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e travestis/transexuais), foi tratado de forma breve. A misoginia, preconceito contra as mulheres, foi analisado do ponto de vista histórico. Após o levantamento bibliográfico de teóricos como Adorno (1996), Barbosa (2014), Fernandes e Costa (2009), Nogueira (2006), Karnal (2017) e outros, percebemos como o preconceito se perpetua na sociedade e, seja em espaços públicos ou particulares, de certa forma mostra-se presente, ora discretamente, ora latente. Ao final da pesquisa podemos perceber que o papel do educador deve primar sobre uma vertente não preconceituosa do ponto de vista do seu trabalho em si, a educação, e encontrar metodologias que desmistifiquem o preconceito e não o perpetuem no cotidiano escolar. Palavras-chaves: Preconceito. Discriminação. Racismo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.