Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL NO TERCEIRO SETOR: UM RELATO DE ORIENTAÇÃO A EDUCADORES SOCIAIS

Palavra-chaves: PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL, EDUCAÇÃO ESPECIAL, TERCEIRO SETOR, DEFICIÊNCIA VISUAL Comunicação Oral (CO) GT 10 - Educação Especial Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Este artigo apresenta um relato de experiência de estágio profissionalizante em Psicologia Escolar e Educacional, realizado em uma organização não governamental localizada em Natal, Rio Grande do Norte. Inicialmente, são apresentados breves entendimentos acerca do Terceiro Setor no Brasil, com ênfase em seu histórico de aproximação com a Educação e suas implicações para a realidade do campo de estágio, o qual está inserido nas áreas de Educação Especial e deficiência visual. Partindo de uma concepção das instituições de ensino enquanto produto das relações estabelecidas entre os diversos sujeitos e movimentos sócio-históricos que as compõem, a Psicologia Escolar e Educacional desponta como área de atuação e formação do psicólogo de grande contribuição para este cenário por considerar tais relações como gênese dos processos educativos. Através da observação participante, foi possível a inserção no cotidiano institucional e a consequente aproximação entre o profissional, os sujeitos que compunham a organização e seus entendimentos sobre sua realidade, de modo a propiciar a resolução dos conflitos lá encontrados a partir da mobilização conjunta. Nesta perspectiva, a intervenção aqui relatada consistiu no atendimento à queixa de um grupo de voluntários, entendidos como educadores sociais, acerca dos resultados de seu trabalho em ensino de língua inglesa para os alunos da instituição. Para tanto, as contribuições da Psicologia Histórico-Cultural, baseada nos estudos de Vygotsky, fizeram-se pertinentes sobretudo por sua relevância para a prática docente, pois possibilitaram reflexões formativas junto aos voluntários e o replanejamento de seu método de ensino, destacando a função social da linguagem como ponto de partida para o aprendizado da língua estrangeira. Não somente, a intervenção possibilitou a aproximação entre o grupo e os demais profissionais através da realização de um evento cultural, no qual todos puderam contribuir. Como resultado, obteve-se maior aproveitamento por parte dos alunos, observado pelo aumento de sua participação e compreensão nas aulas. Desta forma, destaca-se que este trabalho mostrou-se relevante na medida em que corroborou o potencial da atuação do psicólogo em âmbito institucional para o atendimento às demandas concretas oriundas dos conflitos estabelecidos no campo de estágio, no qual o engajamento de seus sujeitos constituintes desempenhou papel tão fundamental quanto a apropriação dos subsídios teóricos fornecidos pela literatura.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.