Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 240
O ALUNO E A TECNOLOGIA DIGITAL NA SALA DE AULA: USOS E SIGNIFICAÇÕES

Palavra-chaves: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, TECNOLOGIA DIGITAL, CLASSE DE ACELERAÇÃO, ETNOGRAFIA Pôster (PO) GT 19 - Tecnologias e Educação Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Este trabalho consiste em resultados parciais da pesquisa intitulada: “Representações sociais, tecnologias digitais e o contemporâneo: investigando a escola”, realizada pelo Núcleo de Estudos Contemporâneos em Educação, Etnografia e Representações Sociais (NECEERS/UFF). O locus da pesquisa é uma escola da rede municipal de Niterói, RJ. Os participantes primários são alunos do Ensino Fundamental. Na fase atual da pesquisa, tem se realizado a observação participante em uma Classe de Aceleração 3, que é composta por alunos considerados em defasagem idade-série. As observações de campo, iniciadas no mês de maio de 2017, apontam para alguns fatores relevantes para o conhecimento da turma e da comunidade escolar, indicando elementos importantes de significação que circulam no contexto escolar, pontuando a questão das tecnologias. O objetivo geral do projeto é investigar as redes de significação que se configuram mediante as representações sociais circulantes na escola permeadas pelos usos e conceitos relacionados à tecnologia digital no contexto contemporâneo. A pesquisa é pautada na perspectiva multimétodos de investigação (mixed research), sendo a abordagem etnográfica o eixo teórico-metodológico principal. Anteriormente à entrada em campo foi realizado levantamento e análise bibliográfica sobre conceitos e usos das tecnologias na contemporaneidade, etnografia e Teoria das Representações Sociais (TRS), que consiste num dos eixos teórico-metodológicos que fundamentam esta pesquisa. Demais etapas da realização do trabalho de campo incluirão como instrumentos metodológicos: aplicação de questionário de evocação livre, entrevista etnográfica, grupo focal, gravações de áudio e vídeo. As observações de campo apontam que o uso das tecnologias pelos alunos se dá principalmente no uso dos telefones celulares. Observa-se que este uso está relacionado à utilização de fones de ouvido e ao acesso a aplicativos de mensagens instantâneas (mais comumente Whatsapp e Messenger) e a redes sociais (em especial, o Facebook), que se fazem de maneira mais pontual na sala de aula. O uso dos fones conectados aos aparelhos celulares foi um evento cada vez mais frequente no contexto da sala de aula, assim como nos demais espaços da escola. No entrelaçamento dos dados, constrói-se a hipótese de que a relação com o fone aparenta ser tão intrínseca que o mesmo se torna um objeto substancial, tornando-se um elemento significante no contexto pesquisado. Grande parte dos alunos portam os fones pendentes em suas orelhas ou em volta do pescoço, acondicionados ao uniforme mesmo enquanto não estão utilizando-os para escutar algo, tornando-se com que parte da extensão do sujeito, o que, a nosso ver, aponta para um elemento de signo identitário (ou até mesmo, de status) entre os alunos, num contexto de significação no grupo demarcando um pertencimento, uma identidade cultural e, até mesmo, delimitação territorial. Neste sentido, o uso da tecnologia em sala de aula pelos alunos, passa por esta questão – os aparatos tecnológicos desenvolvem um papel mais amplo do que sua instrumentalidade. A utilização dos fones é relacionado muitas vezes à “dispersão” e “distanciamento”, mas se se denota que pode assumir a função de comunicar, de fazer pertencer, de construir uma identidade de grupo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.