Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

LITERATURA, ESPELHO DA INFÂNCIA: DA APROPRIAÇÃO À SUBVERSÃO DO SIGNIFICANTE

Palavra-chaves: LITERATURA INFANTO-JUVENIL, SUBJETIVIDADE, FANTASIA Comunicação Oral (CO) GT 08 - Linguagens, Letramento e Alfabetização Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

A arte imita a vida ou a vida mimetiza a arte? Parece-nos impossível responder a esse questionamento, dada a íntima relação entre o artístico e o social. Todavia, o que sabemos é que, sem a arte (imaginação, efabulação, criação, invenção), o homem sucumbiria à concretude da existência. E, nesse contexto, situamos nossa discussão sobre o papel da literatura na formação do indivíduo. Nas últimas décadas, apesar dos avanços e descobertas epistemológicas no seio das academias, em especial, dos cursos de Letras, deparamo-nos, ainda, com um ensino de literatura deficiente em muitas das escolas brasileiras. São poucas as instituições que acreditam, dadas as exigências de uma modernidade calcada na racionalidade, no poder transformador do código poético. Eis o que nos leva, aqui, a discorrer a respeito do status da literatura na promoção da subjetividade e da autonomia dos indivíduos. Para tanto, em termos metodológicos, empreendemos uma pesquisa de cunho bibliográfico, articulando conceitos provenientes do campo psicanalítico com reflexões extraídas da Teoria Literária, numa lógica discursiva em que as verdades se desterritorializaram em favor da sustentação da experiência e do contato com o outro. Quando necessário, apropriamo-nos de teóricos afins, sempre a preservar o diálogo convergente e a complementaridade da argumentação.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.