Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

A EDUCAÇÃO DO CAMPO NA AMERICA LATINA: OS DESAFIOS E A SUPERAÇÃO DAS CONDIÇOES DA EXPLORAÇÃO CULTURAL E CIENTIFÍCA DOS GRUPOS CAMPESINOS.

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO DO CAMPO, ESTUDOS DECOLONIAIS, MARGINALIZAÇÃO CAMPESINA Comunicação Oral (CO) GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos
"2017-12-19 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 35135
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 2571
    "inscrito_id" => 1582
    "titulo" => "A EDUCAÇÃO DO CAMPO NA AMERICA LATINA: OS DESAFIOS E A SUPERAÇÃO DAS CONDIÇOES DA EXPLORAÇÃO CULTURAL E CIENTIFÍCA DOS GRUPOS CAMPESINOS."
    "resumo" => "A pesquisa está embasada nos estudos dos cenários educativos das populações do campo na América Latina, construído por meio da perspectiva analítica e dos estudos decoloniais. Tais estudos concebem uma possibilidade epistemológica de superação das condições da exploração cultural e científica das produções do hemisfério norte em detrimento das produções do sul. Dessa forma, fundamentaremos nossa reflexão/ação pelos estudos de QUIJANO (2009) e SANTOS (2009). As discussões que circundam em torno da educação para as populações campesinas são vistas historicamente como uma contenda a margem e ainda inferior em relação à educação urbanizada. Seguindo essa linha de pensamento posto como europeizada, que coloca a industrialização e a urbanização como foco do desenvolvimento, marginalizando toda nossa característica social, econômica e cultural relacionado ao espaço agrário e ao campesinato. Outro aspecto está atrelado as condições do nosso próprio histórico de colonização, caracterizado pela violência e pela expropriação agrária e cultural, as populações do campo sofrem com a elevada concentração de terras e pelos conflitos gerados por questões agrárias e pelas representações sociais de atraso e inferiorização (FERNANDES, 1999). Como uma proposta problematizadora dessa condição de pensar e fazer, encontramos na perspectiva da Educação Popular (FREIRE, 1983; BRANDÃO, 1981), alternativa construída historicamente pelas camadas populares da América Latina, um caminho viável de contraposição e superação das situações de opressão cultural, do saber, do poder e do ser dos povos campesinos. Dessa forma, consideramos como questão guia de nossa pesquisa: como identificar, a partir das leituras e discussões propostas por QUIJANO (2009) e SANTOS (2009) subsídios teóricos e práticos que apontam saídas e novos caminhos para o fazer e o pensar a educação para os grupos campesinos da América Latina? O estudo é proveniente de um projeto de pesquisa “Estudos decoloniais: os cenários educativos das populações do campo na América Latina”, desenvolvido no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Campus Ipanguaçu, além de ser fruto das reflexões do Grupo de Pesquisa Coletivo Terres (Terra, Educação e Saberes). A análise que orienta o texto caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica de caráter exploratório, com abordagem qualitativa."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO DO CAMPO, ESTUDOS DECOLONIAIS, MARGINALIZAÇÃO CAMPESINA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD1_SA5_ID1582_13092017181904.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:20"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:00"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "BRUNNA RAFAELLA TEIXEIRA DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "BRUNNA TEIXEIRA"
    "autor_email" => "brafaela.teixeira@gmail.c"
    "autor_ies" => "IFRN"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-19 23:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 35135
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 2571
    "inscrito_id" => 1582
    "titulo" => "A EDUCAÇÃO DO CAMPO NA AMERICA LATINA: OS DESAFIOS E A SUPERAÇÃO DAS CONDIÇOES DA EXPLORAÇÃO CULTURAL E CIENTIFÍCA DOS GRUPOS CAMPESINOS."
    "resumo" => "A pesquisa está embasada nos estudos dos cenários educativos das populações do campo na América Latina, construído por meio da perspectiva analítica e dos estudos decoloniais. Tais estudos concebem uma possibilidade epistemológica de superação das condições da exploração cultural e científica das produções do hemisfério norte em detrimento das produções do sul. Dessa forma, fundamentaremos nossa reflexão/ação pelos estudos de QUIJANO (2009) e SANTOS (2009). As discussões que circundam em torno da educação para as populações campesinas são vistas historicamente como uma contenda a margem e ainda inferior em relação à educação urbanizada. Seguindo essa linha de pensamento posto como europeizada, que coloca a industrialização e a urbanização como foco do desenvolvimento, marginalizando toda nossa característica social, econômica e cultural relacionado ao espaço agrário e ao campesinato. Outro aspecto está atrelado as condições do nosso próprio histórico de colonização, caracterizado pela violência e pela expropriação agrária e cultural, as populações do campo sofrem com a elevada concentração de terras e pelos conflitos gerados por questões agrárias e pelas representações sociais de atraso e inferiorização (FERNANDES, 1999). Como uma proposta problematizadora dessa condição de pensar e fazer, encontramos na perspectiva da Educação Popular (FREIRE, 1983; BRANDÃO, 1981), alternativa construída historicamente pelas camadas populares da América Latina, um caminho viável de contraposição e superação das situações de opressão cultural, do saber, do poder e do ser dos povos campesinos. Dessa forma, consideramos como questão guia de nossa pesquisa: como identificar, a partir das leituras e discussões propostas por QUIJANO (2009) e SANTOS (2009) subsídios teóricos e práticos que apontam saídas e novos caminhos para o fazer e o pensar a educação para os grupos campesinos da América Latina? O estudo é proveniente de um projeto de pesquisa “Estudos decoloniais: os cenários educativos das populações do campo na América Latina”, desenvolvido no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Campus Ipanguaçu, além de ser fruto das reflexões do Grupo de Pesquisa Coletivo Terres (Terra, Educação e Saberes). A análise que orienta o texto caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica de caráter exploratório, com abordagem qualitativa."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO DO CAMPO, ESTUDOS DECOLONIAIS, MARGINALIZAÇÃO CAMPESINA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD1_SA5_ID1582_13092017181904.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:20"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:00"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "BRUNNA RAFAELLA TEIXEIRA DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "BRUNNA TEIXEIRA"
    "autor_email" => "brafaela.teixeira@gmail.c"
    "autor_ies" => "IFRN"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-19 23:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 19 de dezembro de 2017

Resumo

A pesquisa está embasada nos estudos dos cenários educativos das populações do campo na América Latina, construído por meio da perspectiva analítica e dos estudos decoloniais. Tais estudos concebem uma possibilidade epistemológica de superação das condições da exploração cultural e científica das produções do hemisfério norte em detrimento das produções do sul. Dessa forma, fundamentaremos nossa reflexão/ação pelos estudos de QUIJANO (2009) e SANTOS (2009). As discussões que circundam em torno da educação para as populações campesinas são vistas historicamente como uma contenda a margem e ainda inferior em relação à educação urbanizada. Seguindo essa linha de pensamento posto como europeizada, que coloca a industrialização e a urbanização como foco do desenvolvimento, marginalizando toda nossa característica social, econômica e cultural relacionado ao espaço agrário e ao campesinato. Outro aspecto está atrelado as condições do nosso próprio histórico de colonização, caracterizado pela violência e pela expropriação agrária e cultural, as populações do campo sofrem com a elevada concentração de terras e pelos conflitos gerados por questões agrárias e pelas representações sociais de atraso e inferiorização (FERNANDES, 1999). Como uma proposta problematizadora dessa condição de pensar e fazer, encontramos na perspectiva da Educação Popular (FREIRE, 1983; BRANDÃO, 1981), alternativa construída historicamente pelas camadas populares da América Latina, um caminho viável de contraposição e superação das situações de opressão cultural, do saber, do poder e do ser dos povos campesinos. Dessa forma, consideramos como questão guia de nossa pesquisa: como identificar, a partir das leituras e discussões propostas por QUIJANO (2009) e SANTOS (2009) subsídios teóricos e práticos que apontam saídas e novos caminhos para o fazer e o pensar a educação para os grupos campesinos da América Latina? O estudo é proveniente de um projeto de pesquisa “Estudos decoloniais: os cenários educativos das populações do campo na América Latina”, desenvolvido no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Campus Ipanguaçu, além de ser fruto das reflexões do Grupo de Pesquisa Coletivo Terres (Terra, Educação e Saberes). A análise que orienta o texto caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica de caráter exploratório, com abordagem qualitativa.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.