Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 237
AS ORIENTAÇÕES DA LEI 11.645/08 E A SUA IMPLEMENTAÇÃO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA NA CIDADE DE BREVES MARAJÓ – PA.

Palavra-chaves: LEI 11.645/08, PRÁTICA PEAGÓGICA, PROFESSORES Comunicação Oral (CO) GT 06 - Educação e Relações Étnico-Raciais Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

O presente Trabalho tem como objetivo apresentar os resultados da pesquisa realizada em uma escola de ensino fundamental na cidade de Breves, Marajó-Pará, com o propósito de investigar de que maneira professores dos anos finais do Ensino Fundamental trabalham as orientações da Lei 11.645/08. O estudo foi pensado numa abordagem de pesquisa qualitativa, com o objetivo de uma pesquisa exploratória. Trata-se de um estudo de caso. Como instrumento para coleta de dados, o procedimento utilizado foi à entrevista semi-estruturada, com quatro alunos – um de cada ano, uma professora e uma coordenadora pedagógica da escola. O trabalho está fundamentado nas legislações brasileiras: Constituição Federal (1988), a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 9394/96, a Lei 10.639/2003, a Lei 11.645/08; além das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana; o Plano para a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana e as Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Os resultados indicam que no que se refere a atuação da prática da professora de história, a docente traz para a sala de aula conteúdos voltados ao estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena, mesmo que ainda sejam ações esporádicas e individualizadas e para que a escola efetive e aplique a Lei 11.645/08 ainda há um longo caminho a ser percorrido, entretanto, não podemos responsabilizar apenas a escola e seus professores, pois uma escola não caminha sozinha, precisa de parceiros e de governantes que lhe dê a possibilidade de construir novas práticas, seja pela formação de seus professores, seja pelas condições físicas e pedagógicas em respeito a diversidade cultural deste país.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.