Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

O COTIDIANO DA CASA GRANDE NOS ESPAÇOS DO FEMININO: RESISTÊNCIAS E PODER NA SEXUALIDADE EM MENINO DE ENGENHO E DOIDINHO

Palavra-chaves: CASA GRANDE, COTIDIANO, PODER, RELAÇÕES, RELAÇÕES Comunicação Oral (CO) GT06-AS PRÁTICAS DISCURSIVAS DO COTIDIANO: ENTRE O PODER E A RESISTÊNCIA
"2017-04-27 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 27475
    "edicao_id" => 57
    "trabalho_id" => 591
    "inscrito_id" => 724
    "titulo" => "O COTIDIANO DA CASA GRANDE NOS ESPAÇOS DO FEMININO: RESISTÊNCIAS E PODER NA SEXUALIDADE EM MENINO DE ENGENHO E DOIDINHO"
    "resumo" => "As dimensões da casa grande, em sua arquitetura pensada para os trópicos, traz nas estruturas físicas de suas particularidades, a exemplo da cozinha, quartos, sala de jantar, quarto dos santos, sala de estar e outros cômodos, elementos e organizações decorativas que em muitos aspectos revelam práticas de resistências e relações de poder entre representações de identidade masculina e feminina, coexistindo em um mesmo espaço de vivências cotidianas. A partir dessas observações, percebemos ser possível identificar resistências nos comportamentos como, também, submissões de sexualidade no cotidiano e o poder do masculino imperando nas decisões sobre os arranjos e condutas femininas, mediante discursos machistas e segregacionais posicionados na esfera social de determinado contexto histórico. Pois, metodologicamente, a literatura de José Lins do Rego, escritor paraibano, com ênfase especial nos romances de Menino de Engenho e Doidinho, são em certa medida leituras memorialista de uma época e que permitem pensar o cotidiano, os discursos de poder sobre mulheres e os lugares sociais construídos para as mesmas em um tempo não muito distante do nosso. Deste modo, em termos atuais, nota-se a evidente necessidade de discutirmos sobre as conjunturas socioespaciais das mulheres dos romances de José Lins do Rego, mediando olhares projetados para questões fundamentais. Logo, é importante refletir sobre quem são esses homens e mulheres e como o cotidiano da Casa Grande, juntamente com os discursos de poder, interferem na sociedade ao ponto de nortear suas vidas presas pelas particularidades na maneira de se vestir, comer e organizar suas existências. Sendo assim, este trabalho está conduzido pelos referenciais teóricos de Michael de Certeau, Michael Foucault, Andréa Lisly Gonçalves, Mary Deo Priore, dentro outros, estabelecendo, pois, diálogos com o projeto Pibic intitulado As maneiras de morar nas obras de José Lins do Rego: a sexualidade na casa grande através da literatura do ciclo da cana-de-açúcar."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT06-AS PRÁTICAS DISCURSIVAS DO COTIDIANO: ENTRE O PODER E A RESISTÊNCIA"
    "palavra_chave" => "CASA GRANDE, COTIDIANO, PODER, RELAÇÕES, RELAÇÕES"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV066_MD1_SA6_ID724_23032017183345.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:13"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:56:12"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "OLINDINA TICIANE SOUSA DE ARAÚJO"
    "autor_nome_curto" => "TICIANE SOUSA"
    "autor_email" => "ticiane2606@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-sinalge"
    "edicao_nome" => "Anais IV SINALGE"
    "edicao_evento" => "IV Simpósio Nacional de Linguagens e Gêneros Textuais"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/sinalge/2017"
    "edicao_logo" => "5e4d8586dda3e_19022020155918.png"
    "edicao_capa" => "5f1880a141ece_22072020150833.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-04-27 00:00:00"
    "publicacao_id" => 35
    "publicacao_nome" => "Anais SINALGE"
    "publicacao_codigo" => "2527-0028"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 27475
    "edicao_id" => 57
    "trabalho_id" => 591
    "inscrito_id" => 724
    "titulo" => "O COTIDIANO DA CASA GRANDE NOS ESPAÇOS DO FEMININO: RESISTÊNCIAS E PODER NA SEXUALIDADE EM MENINO DE ENGENHO E DOIDINHO"
    "resumo" => "As dimensões da casa grande, em sua arquitetura pensada para os trópicos, traz nas estruturas físicas de suas particularidades, a exemplo da cozinha, quartos, sala de jantar, quarto dos santos, sala de estar e outros cômodos, elementos e organizações decorativas que em muitos aspectos revelam práticas de resistências e relações de poder entre representações de identidade masculina e feminina, coexistindo em um mesmo espaço de vivências cotidianas. A partir dessas observações, percebemos ser possível identificar resistências nos comportamentos como, também, submissões de sexualidade no cotidiano e o poder do masculino imperando nas decisões sobre os arranjos e condutas femininas, mediante discursos machistas e segregacionais posicionados na esfera social de determinado contexto histórico. Pois, metodologicamente, a literatura de José Lins do Rego, escritor paraibano, com ênfase especial nos romances de Menino de Engenho e Doidinho, são em certa medida leituras memorialista de uma época e que permitem pensar o cotidiano, os discursos de poder sobre mulheres e os lugares sociais construídos para as mesmas em um tempo não muito distante do nosso. Deste modo, em termos atuais, nota-se a evidente necessidade de discutirmos sobre as conjunturas socioespaciais das mulheres dos romances de José Lins do Rego, mediando olhares projetados para questões fundamentais. Logo, é importante refletir sobre quem são esses homens e mulheres e como o cotidiano da Casa Grande, juntamente com os discursos de poder, interferem na sociedade ao ponto de nortear suas vidas presas pelas particularidades na maneira de se vestir, comer e organizar suas existências. Sendo assim, este trabalho está conduzido pelos referenciais teóricos de Michael de Certeau, Michael Foucault, Andréa Lisly Gonçalves, Mary Deo Priore, dentro outros, estabelecendo, pois, diálogos com o projeto Pibic intitulado As maneiras de morar nas obras de José Lins do Rego: a sexualidade na casa grande através da literatura do ciclo da cana-de-açúcar."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT06-AS PRÁTICAS DISCURSIVAS DO COTIDIANO: ENTRE O PODER E A RESISTÊNCIA"
    "palavra_chave" => "CASA GRANDE, COTIDIANO, PODER, RELAÇÕES, RELAÇÕES"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV066_MD1_SA6_ID724_23032017183345.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:13"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:56:12"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "OLINDINA TICIANE SOUSA DE ARAÚJO"
    "autor_nome_curto" => "TICIANE SOUSA"
    "autor_email" => "ticiane2606@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-sinalge"
    "edicao_nome" => "Anais IV SINALGE"
    "edicao_evento" => "IV Simpósio Nacional de Linguagens e Gêneros Textuais"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/sinalge/2017"
    "edicao_logo" => "5e4d8586dda3e_19022020155918.png"
    "edicao_capa" => "5f1880a141ece_22072020150833.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-04-27 00:00:00"
    "publicacao_id" => 35
    "publicacao_nome" => "Anais SINALGE"
    "publicacao_codigo" => "2527-0028"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

As dimensões da casa grande, em sua arquitetura pensada para os trópicos, traz nas estruturas físicas de suas particularidades, a exemplo da cozinha, quartos, sala de jantar, quarto dos santos, sala de estar e outros cômodos, elementos e organizações decorativas que em muitos aspectos revelam práticas de resistências e relações de poder entre representações de identidade masculina e feminina, coexistindo em um mesmo espaço de vivências cotidianas. A partir dessas observações, percebemos ser possível identificar resistências nos comportamentos como, também, submissões de sexualidade no cotidiano e o poder do masculino imperando nas decisões sobre os arranjos e condutas femininas, mediante discursos machistas e segregacionais posicionados na esfera social de determinado contexto histórico. Pois, metodologicamente, a literatura de José Lins do Rego, escritor paraibano, com ênfase especial nos romances de Menino de Engenho e Doidinho, são em certa medida leituras memorialista de uma época e que permitem pensar o cotidiano, os discursos de poder sobre mulheres e os lugares sociais construídos para as mesmas em um tempo não muito distante do nosso. Deste modo, em termos atuais, nota-se a evidente necessidade de discutirmos sobre as conjunturas socioespaciais das mulheres dos romances de José Lins do Rego, mediando olhares projetados para questões fundamentais. Logo, é importante refletir sobre quem são esses homens e mulheres e como o cotidiano da Casa Grande, juntamente com os discursos de poder, interferem na sociedade ao ponto de nortear suas vidas presas pelas particularidades na maneira de se vestir, comer e organizar suas existências. Sendo assim, este trabalho está conduzido pelos referenciais teóricos de Michael de Certeau, Michael Foucault, Andréa Lisly Gonçalves, Mary Deo Priore, dentro outros, estabelecendo, pois, diálogos com o projeto Pibic intitulado As maneiras de morar nas obras de José Lins do Rego: a sexualidade na casa grande através da literatura do ciclo da cana-de-açúcar.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.