Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

A TEORIA DOS MULTILETRAMENTOS E OS ENTRAVES PARA O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

Palavra-chaves: MULTILETRAMENTOS, TECNOLOGIA, FORMAÇÃO Comunicação Oral (CO) GT10-HIPERTEXTO E MULTIMODALIDADE: NOVAS PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

Na perspectiva da teoria dos multiletramentos, este artigo discute como algumas práticas de leitura, escrita, interpretação de imagens, audição de músicas, dentre outras, estão concebidas na área educacional, e mais especificamente no ensino de língua portuguesa. Refletir sobre as mudanças sociais e tecnológicas, a implementação de novos procedimentos metodológicos no ensino de língua portuguesa, verificar os entraves enfrentados no processo de adaptação e as contribuições do uso de diferentes tecnologias no processo ensino-aprendizagem constituem os objetivos deste artigo. A discussão aqui feita baseia-se na realização de questionários aplicados a professores de língua portuguesa e a alunos, na observação do ambiente escolar e dos recursos de que dispõe e no relato de professores participantes de cursos de formação e que usam as novas tecnologias digitais nas aulas de língua portuguesa. Também são consideradas as opiniões discentes. Para os mesmos, é indispensável que as aulas tragam uma proposta inovadora, pois isso possibilita uma aprendizagem mais significativa. Para os docentes, diante do contexto atual, é imprescindível se buscar novos meios para compartilhar as informações e ampliar o conhecimento. Percebe-se que as novas tecnologias estão sendo inseridas nas escolas, porém são muitos os entraves para a sua utilização. A formação do professor para a uso eficaz das mídias digitais e os problemas de infraestrutura das escolas retardam a inserção de recursos inovadores nas instituições. Os multiletramentos fazem com que os indivíduos se posicionem reflexivamente diante dos textos diversos e possibilitam ao professor não ficar preso ao material didático, mas buscar meios distintos, considerando os propósitos envolvidos no processo de produção de valores políticos, econômicos, morais. Frente à realidade, aos conteúdos dos sistemas de ensino, às informações trazidas pelos alunos e professores, o docente tem que buscar caminhos que conduzam a uma aprendizagem mais colaborativa e reflexiva. É preciso, portanto, (re)pensar práticas que levem ao ensino de uma língua plural, considerando a heterogeneidade da linguagem e da cultura, práticas de multiletramentos. A inserção de atividades inovadoras e o uso das novas tecnologias nas aulas, além de favorecer o acesso às informações, trazem mais motivação e interesse aos discentes. É importante executar um trabalho que contemple tanto a cultura dos alunos quanto os gêneros, mídia e linguagens por eles conhecidos, buscando, dessa forma, um enfoque crítico, pluralista, ético e democrático. O uso da internet, celulares e aplicativos deve ser visto em sala de aula como forma de interação e como meios de construção de indivíduos autônomos e críticos, ou seja, o discente precisa ser o sujeito de sua própria aprendizagem. Observa-se que a utilização de diferentes métodos e tecnologia favorece um maior interesse do discente pela disciplina, contribui para obtenção de melhores resultados nas avaliações, conduzem a uma maior satisfação dos agentes envolvidos no processo educativo e em muitos casos fazem com que o aluno tenha uma participação mais efetiva nas aula, melhorando a frequência e diminuindo a evasão escolar.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.