Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

REFLETINDO SOBRE O CUIDAR DE UM CORPO MORTO ENQUANTO ACADEMICAS DE ENFERMAGEM

Palavra-chaves: VELHICE, REFLEXÃO, FORMAÇÃO ACADÊMICA Pôster (PO) / Poster Submission AT-12: ENVELHECIMENTO E INTERDISCIPLINARIDADE
"2016-11-23 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 24676
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 56
    "inscrito_id" => 173
    "titulo" => "REFLETINDO SOBRE O CUIDAR DE UM CORPO MORTO ENQUANTO ACADEMICAS DE ENFERMAGEM"
    "resumo" => "A morte, mesmo que na velhice, ainda é vista como conflito para aqueles que presenciam diariamente em seu local de trabalho. Percebe-se que os profissionais de saúde são formados apenas em meio à técnica, não se faz uma reflexão maior sobre o processo da vida e da morte durante a formação acadêmica.  No transcorrer do relato de caso, o propósito é de mostrar os sentimentos e angustias das graduandas de enfermagem, autoras do relato de experiência, que ao presenciaram seu primeiro óbito hospitalar, traz essa reflexão: cuidar de um corpo morto, temática de difícil aceitação, tendo em vista a pouco ou nenhuma menção do saber lidar com a morte, sua finitude e envelhecimento, uma vez que, a morte é algo inerente ao ser humano e seu caráter é subjetivo tanto para o individual quanto para o profissionalismo. Em prol da percepção da vida e morte enquanto acadêmicos acreditamos que a maioria ou grande parte se restringe apenas na competência de realizar procedimentos, enfraquecendo a subjetividade no que diz respeito à morte e a velhice, que permanecem gradativamente mais dispersos na esfera da vida. E mesmo que a morte seja algo inerente a nossa existência, mesmo sendo a afirmação que conduz o indivíduo por toda sua vida, é uma temática que limita a presunção do homem moderno em querer controlar completamente seu destino. Desta forma quando absorvemos esses aspectos como porção da nossa existência, adicionamos determinado desafio para reflexão e concepção de si mesmo."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "AT-12: ENVELHECIMENTO E INTERDISCIPLINARIDADE"
    "palavra_chave" => "VELHICE, REFLEXÃO, FORMAÇÃO ACADÊMICA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD4_SA13_ID173_13082016155419.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA ELIZABETH DA COSTA FELIPE SANTIAGO"
    "autor_nome_curto" => "MARIA ELIZABETH"
    "autor_email" => "elizabeth55_@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE POTIGUAR"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-23 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 24676
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 56
    "inscrito_id" => 173
    "titulo" => "REFLETINDO SOBRE O CUIDAR DE UM CORPO MORTO ENQUANTO ACADEMICAS DE ENFERMAGEM"
    "resumo" => "A morte, mesmo que na velhice, ainda é vista como conflito para aqueles que presenciam diariamente em seu local de trabalho. Percebe-se que os profissionais de saúde são formados apenas em meio à técnica, não se faz uma reflexão maior sobre o processo da vida e da morte durante a formação acadêmica.  No transcorrer do relato de caso, o propósito é de mostrar os sentimentos e angustias das graduandas de enfermagem, autoras do relato de experiência, que ao presenciaram seu primeiro óbito hospitalar, traz essa reflexão: cuidar de um corpo morto, temática de difícil aceitação, tendo em vista a pouco ou nenhuma menção do saber lidar com a morte, sua finitude e envelhecimento, uma vez que, a morte é algo inerente ao ser humano e seu caráter é subjetivo tanto para o individual quanto para o profissionalismo. Em prol da percepção da vida e morte enquanto acadêmicos acreditamos que a maioria ou grande parte se restringe apenas na competência de realizar procedimentos, enfraquecendo a subjetividade no que diz respeito à morte e a velhice, que permanecem gradativamente mais dispersos na esfera da vida. E mesmo que a morte seja algo inerente a nossa existência, mesmo sendo a afirmação que conduz o indivíduo por toda sua vida, é uma temática que limita a presunção do homem moderno em querer controlar completamente seu destino. Desta forma quando absorvemos esses aspectos como porção da nossa existência, adicionamos determinado desafio para reflexão e concepção de si mesmo."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "AT-12: ENVELHECIMENTO E INTERDISCIPLINARIDADE"
    "palavra_chave" => "VELHICE, REFLEXÃO, FORMAÇÃO ACADÊMICA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD4_SA13_ID173_13082016155419.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA ELIZABETH DA COSTA FELIPE SANTIAGO"
    "autor_nome_curto" => "MARIA ELIZABETH"
    "autor_email" => "elizabeth55_@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE POTIGUAR"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-23 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

A morte, mesmo que na velhice, ainda é vista como conflito para aqueles que presenciam diariamente em seu local de trabalho. Percebe-se que os profissionais de saúde são formados apenas em meio à técnica, não se faz uma reflexão maior sobre o processo da vida e da morte durante a formação acadêmica. No transcorrer do relato de caso, o propósito é de mostrar os sentimentos e angustias das graduandas de enfermagem, autoras do relato de experiência, que ao presenciaram seu primeiro óbito hospitalar, traz essa reflexão: cuidar de um corpo morto, temática de difícil aceitação, tendo em vista a pouco ou nenhuma menção do saber lidar com a morte, sua finitude e envelhecimento, uma vez que, a morte é algo inerente ao ser humano e seu caráter é subjetivo tanto para o individual quanto para o profissionalismo. Em prol da percepção da vida e morte enquanto acadêmicos acreditamos que a maioria ou grande parte se restringe apenas na competência de realizar procedimentos, enfraquecendo a subjetividade no que diz respeito à morte e a velhice, que permanecem gradativamente mais dispersos na esfera da vida. E mesmo que a morte seja algo inerente a nossa existência, mesmo sendo a afirmação que conduz o indivíduo por toda sua vida, é uma temática que limita a presunção do homem moderno em querer controlar completamente seu destino. Desta forma quando absorvemos esses aspectos como porção da nossa existência, adicionamos determinado desafio para reflexão e concepção de si mesmo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.