Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

IMPACTO DO ZUMBIDO EM IDOSOS PRATICANTES DE EXERCÍCIO FÍSICO

Palavra-chaves: ZUMBIDO, EXERCICIO FÍSICO, IDOSO Pôster (PO) / Poster Submission AT 7: ENVELHECIMENTO ATIVO E QUALIDADE DE VIDA Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

Introdução: O envelhecimento populacional é um fato amplamente divulgado. Sabe-se que a prática de exercícios físicos promove uma melhor qualidade de vida em qualquer idade, mas especialmente durante a velhice. Contrariamente, a presença de zumbido está associada a ansiedade, depressão, problemas no sono e na concentração. Objetivos: Analisar o impacto do zumbido em idosos praticantes de exercício físico. Métodos: Foram incluídos na amostra indivíduos idosos, com queixa de zumbido e praticantes de exercício físico regularmente, em projeto de extensão na universidade. Foram excluídos indivíduos com idade inferior a 60 anos, ou com dificuldades para entender as questões do instrumento utilizado (por apresentar alterações neurológicas, cognitivas, perda auditiva, entre outros), que se recusaram a participar voluntariamente do estudo ou que não assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. A avaliação foi realizada por meio da anamese e do questionário Tinnitus Handicap Inventory (THI). O questionário conta com 25 questões, que permitem avaliar o impacto do zumbido nas atividades diárias e já foi traduzido e validado para o português brasileiro. Para cada questão o indivíduo deve responder sim (4 pontos), às vezes (2 pontos) ou não (0 pontos). A análise dos resultados permite verificar o impacto do zumbido (desprezível ou discreto, leve, moderado, severo ou catastrófico). Resultados: Duzentos e trinta e oito idosos foram convidados a participar da pesquisa. Destes, 69 (28,9%) apresentaram zumbido. As idades variaram entre com idades entre 60 e 85 anos (média 69,56±6,44 anos), com predomínio de idosos do sexo feminino (89,85%). O tempo de prática de exercício físico variou entre menos de um ano e 11 anos (média 5,21 ± 3,78 anos). Quanto a pontuação no THI, variou entre 0 e 84 pontos e evidenciou que a maior parte dos idosos avaliados (n=54; 78,26%) apresentaram grau de incômodo desprezível. Conclusão: a maior parte dos idosos avaliados apresentou grau de incômodo desprezível pelo zumbido. Considerando os efeitos benéficos do exercício físico na qualidade de vida, sugere-se que tal prática seja indicada aos idosos que tem o sintoma pesquisado. Além disso, como em muitos casos o zumbido tem sua origem em distúrbios metabólicos e cardiovasculares, a prática de atividade física orientada pode auxiliar no controle das doenças base que estão provocando o zumbido.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.