Artigo Anais IV ENID / UEPB

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-7379

Visualizações: 250
A UTILIZAÇÃO DE VIVEIRO DE MUDAS COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO DO CAMPO, ENSINO DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL, INICIAÇÃO À DOCÊNCIA Pôster (PO) A Biologia na perspectiva do Ensino Médio Inovador: propondo ações integradas de ensino, pesquisa e extensão Publicado em 22 de novembro de 2014

Resumo

A utilização do viveiro de mudas como instrumento de educação ambiental é uma ação pedagógica proposta no subprojeto - Ciências da Natureza e Matemática, do PIBID Diversidade - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação á Docência para a Diversidade da Universidade Federal de Campina Grande, vinculado ao curso de Licenciatura em Educação do Campo, do CDSA – Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido, Campus de Sumé/PB. O PIBID Diversidade, regulamentado pelo edital 066/2013 da Capes, se diferencia por visar o aperfeiçoamento da formação inicial de professores para o exercício da docência nas escolas indígenas e do Campo. Atualmente, a Escola Agrotécnica Deputado Evaldo Gonçalves de Queiroz, localizada no município de Sumé/PB, possui 70% dos seus educandos oriundos da zona rural e também vem acolhendo um grupo de 07 (sete) licenciandos em Educação do Campo, bolsistas do PIBID Diversidade, que realizam diversas ações pedagógicas planejadas, orientadas pelo professor do curso e coordenador do subprojeto, tendo também, um necessário apoio do professor/supervisor bolsista da escola. O viveiro de mudas é uma ação pedagógica realizada no espaço físico da escola, onde os bolsistas são responsáveis por acompanhar e também contribuir na educação ambiental dos educandos da disciplina de Ciências das turmas de Ensino Fundamental II. As atividades práticas de contato com a terra, adubos, sementes, formas ecológicas de combate a pragas e doenças das plantas, o uso da água de forma sustentável, o reaproveitamento de materiais como garrafas, pneus, dentre outros, são de relevante importância na formação da consciência ambiental tanto dos educandos, como dos bolsistas, futuros professores. Essas e outras ações pedagógicas promovidas pelo subprojeto e o PIBID Diversidade como um todo, tem a perspectiva de elevar a qualidade da formação inicial dos futuros professores que, consequentemente, poderão contribuir com a qualificação do ensino nas escolas públicas do Campo. Através da inserção dos licenciandos bolsistas no cotidiano escolar, é possível proporcionar oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar, que buscam a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem. O trabalho com o viveiro de mudas vem sendo realizado desde agosto desse ano e busca promover vivências consistentes de articulação entre teoria e prática e a formação de conceitos essenciais de educação ambiental, para os estudantes do curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFCG. Acreditamos que para desenvolver a educação ambiental devam-se trabalhar experiências e conteúdos juntamente com valores sociais, culturais, políticos, respeitando as tradições e contextualizando, com o intuito de propiciar oportunidades mais significativas que possam ampliar o interesse, a autoconfiança o engajamento e a participação de indivíduos em promover benefícios socioambientais. Os resultados são consideráveis e motivadores para novas ações e avanços, percebemos uma redefinição paulatina de conceitos essenciais nos educandos e um maior interesse dos mesmos nas aulas de ciências. Dessa forma esperamos com esse relato de experiência apontar a importância da utilização de metodologias inovadoras no ambiente escolar, direcionadas ao trabalho de temáticas que tenham como transversalidade a educação ambiental e a atividade docente.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.