Artigo Anais IV ENID / UEPB

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-7379

Visualizações: 170
PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO

Palavra-chaves: SUSTENTABILIDADE, LIXO ELETRÔNICO, DESCARTE DO LIXO Comunicação Oral (CO) Reflexões sobre a formação em Geografia, metodologias e recursos didáticos no ensino

Resumo

Com o desenvolvimento da globalização e da era digital, surgem cada vez mais novos produtos permitindo assim um grande desafio que é o descarte dos materiais eletrônicos. Com o consumismo humano cada vez mais acelerado, não dando oportunidade de se pensar nos prejuízos que esses equipamentos trazem a serem jogados diretamente no solo. Engajados em um processo de sensibilizar e informar os estudantes sobre essa problemática, destaca-se o objetivo do projeto didático: O lixo que virou luxo, que visa propagar as ideias do desenvolvimento sustentável, favorecendo a conscientização da comunidade escolar do mal que o lixo eletrônico causa ao meio ambiente, tornando-os multiplicadores dessas informações. Esse projeto foi desenvolvido na EEEFM José Soares de Carvalho, localizada na cidade de Guarabira, envolvendo alunos de diversas turmas dos ensinos fundamental e médio. No seu desenvolvimento uma série de atividades e ações foram realizadas a fim de alcançar os objetivos traçados, tais como: Sensibilização através de vídeos a respeito do tema, seminários, aula de campo em usina de reciclagem, Oficinas a partir resíduos sólidos eletrônicos, Palestras sobre a importância da reciclagem como um meio sustentável, Panfletagem no centro da cidade e comunidade escolar. Mobilização na câmara de vereadores para a implantação de ponto de coleta para resíduos sólidos eletrônicos.Muitas vezes a população passa despercebida do grande mal que esses equipamentos causam a natureza quando são jogados diretamente no solo, sem que haja um descarte correto dessas carcaças. O projeto O lixo que virou lixo veio a contribuir de forma bastante significativa na sensibilização da comunidade para essa problemática.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.