Artigo Anais do V CONAPESC

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

Visualizações: 107
VAZAMENTO DE ÓLEO EM UM DUTO SUBMERSO VIA CFD

Palavra-chaves: VAZAMENTO, ÓLEO, ÁGUA, SIMULAÇÃO NUMÉRICA, CFD Comunicação Oral (Artigo Completo) AT 06: Engenharias  e Arquitetura : abordagens sobre Ensino e Pesquisa

Resumo

A INDÚSTRIA PETROLÍFERA UTILIZA TUBULAÇÕES PARA TRANSPORTAR ÓLEO POR LONGAS DISTÂNCIAS. O PROCESSO PRODUTIVO DE PETRÓLEO ESTÁ SUBMETIDO A RISCOS DE ACIDENTES, PODENDO OCASIONAR DERRAMAMENTO DE ÓLEO COM DANOS ELEVADOS OU IRREPARÁVEIS A NATUREZA. VAZAMENTOS DE ÓLEO EM AMBIENTES SUBMARINOS TEM UMA DINÂMICA DIFERENTE DOS ACIDENTES AMBIENTAIS TERRESTRES. DIANTE DESSE CENÁRIO, COMPREENDER O COMPORTAMENTO DESSES FLUÍDOS NO AMBIENTE MARINHO É DE SUMA IMPORTANTE PARA TOMADAS DE DECISÕES, DESTINADAS A CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS E MINIMIZAÇÃO DE DANOS A FAUNA E FLORA MARINHA. PORTANTO, ESSE TRABALHO TEM COMO OBJETIVO AVALIAR O VAZAMENTO DE ÓLEO EM UM OLEODUTO SUBMERSO EMPREGANDO CFD. NA METODOLOGIA, UMA TUBULAÇÃO SUBMERSA DE 10 M DE COMPRIMENTO E SUBMERSA E 20 M DE COLUNA DE ÁGUA CONSTITUI O DOMÍNIO FÍSICO. ALÉM DISSO, UMA MALHA COMPUTACIONAL HEXAÉDRICA COM 139.488 ELEMENTOS FOI CONFECCIONADA USANDO O SOFTWARE ICEM-CFD 15.0. NA MODELAGEM MATEMÁTICA, O MODELO DE SUPERFÍCIE LIVRE E O MODELO DE TURBULÊNCIA K-ɛ PADRÃO FORAM USADOS PARA DESCREVER O ESCOAMENTO BIFÁSICO (ÁGUA/ÓLEO). NAS SIMULAÇÕES REALIZADAS, FORAM VARIADAS A VELOCIDADE DE ENTRADA JUNTAMENTE COM A PRESSÃO DE SAÍDA DA TUBULAÇÃO. OS RESULTADOS MOSTRAM QUE O MODELO PROPOSTO FOI CAPAZ DE PREVER ADEQUADAMENTE O ESCOAMENTO ÁGUA/ÓLEO NA TUBULAÇÃO COM VAZAMENTO, ASSIM COMO DEMONSTRAM QUE A VELOCIDADE DE ENTRADA DO ÓLEO AUMENTA A PERDA DE CARGA NA TUBULAÇÃO COM VAZAMENTO.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.