Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

VIOLÊNCIA ESCOLAR: VULNERABILIDADE DOS DISCENTES EM UMA ESCOLA PUBLICA DA PARAÍBA

Palavra-chaves: VULNERABILIDADE, VIOLÊNCIA, ESCOLA Pôster (PO) FORMAÇÃO DE PROFESSORES
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 8041
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1848
    "inscrito_id" => 33356
    "titulo" => "VIOLÊNCIA ESCOLAR: VULNERABILIDADE DOS DISCENTES EM UMA ESCOLA PUBLICA DA PARAÍBA"
    "resumo" => "Introdução: A violência protagonizada pelos jovens nas escolas é uma realidade inegável e uma preocupação crescente que transcende as paredes das escolas que envolvem escola e sociedade. Devido às exigências, as famílias muitas vezes destituem-se da sua função educativa, delegando-a a escola. No meio de toda esta confusão, estão as crianças, que, atuam conforme aquilo que observam e agem consoante os estímulos do meio. Meio esse que por vezes oferece modelos de conduta e referências positivas questionáveis. Esses jovens são considerados vulneráveis, cujo conceito neste estudo é de conjunto de fatores agressivos, bem como a capacidade de reagir do indivíduo e a percepção que ele tem do ambiente temido. Objetivo: averiguar a visão dos estudantes de uma escola pública da cidade de Guarabira – PB acerca da violência no contexto escolar, bem como da vulnerabilidade existente na instituição. Método: A amostra foi constituída por adolescentes e jovens com idades entre 16 e 26 anos, estudantes de uma escola pública do Estado. O instrumento utilizado foi uma entrevista estruturada com questões subjetivas embasadas em temas como causas da violência, enfrentamento a violência, segurança e sentimentos, realizando análise de conteúdo nos dados coletados. Resultados: Os resultados demonstraram que os adolescentes e jovens investigados tinham uma concepção de violência física com agressões corporais e psicológica com humilhação, coação e desrespeito. Foram apresentadas para a violência na escola como desestruturação familiar na sociedade, a questão das drogas, recursos humanos restritos nas instituições de ensino, escolas inseridas em comunidades pouco assistida políticas públicas e falta de comprometimento da escola com a segurança. Os entrevistados demonstraram preocupação e medo quando o assunto é a violência dentro da escola, principalmente com a falta de segurança no local de estudo. Além disso, o discurso trás a falta de estratégias de segurança por parte dos administradores, fato este que eleva o medo e insegurança não apenas por parte dos alunos, mas também por parte do corpo docente e demais funcionários. As formas de enfrentamento apresentadas foram o diálogo constante com os alunos e familiares, realização de atividades físicas e culturais e construção de trabalho em equipe com participação dos alunos na composição das atividades escolares. Os participantes também coloraram a responsabilidade nos próprios alunos, quando relatam comportamentos agressivos e bullying. Conclusões: A partir deste estudo, percebeu-se que a família é a primeira a ser lembrada quando se trata de violência escolar, sendo responsabilizada pelo comportamento dos jovens e a escola responsabilizada pelo restrito apoio sócio-educacional que oferece mediante as dificuldades da educação no Brasil, bem como observou-se a necessidade de maior segurança no contexto escolar. Considerando a escola estudada, verificou-se que os alunos e os professores estão vulneráveis a violência, seja ela física ou psicológica. Assim, percebe-se a necessidade de um maior investimento na segurança das escolas públicas."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "FORMAÇÃO DE PROFESSORES"
    "palavra_chave" => "VULNERABILIDADE, VIOLÊNCIA, ESCOLA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_14_08_2014_16_09_02_idinscrito_33356_965d6f8dd535d955a56e971909c1d85b.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:28"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "FLÁVIO LÚCIO ALMEIDA LIMA"
    "autor_nome_curto" => "FLÁVIO LIMA"
    "autor_email" => "flaviopsicopb@yahoo.com.b"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 8041
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1848
    "inscrito_id" => 33356
    "titulo" => "VIOLÊNCIA ESCOLAR: VULNERABILIDADE DOS DISCENTES EM UMA ESCOLA PUBLICA DA PARAÍBA"
    "resumo" => "Introdução: A violência protagonizada pelos jovens nas escolas é uma realidade inegável e uma preocupação crescente que transcende as paredes das escolas que envolvem escola e sociedade. Devido às exigências, as famílias muitas vezes destituem-se da sua função educativa, delegando-a a escola. No meio de toda esta confusão, estão as crianças, que, atuam conforme aquilo que observam e agem consoante os estímulos do meio. Meio esse que por vezes oferece modelos de conduta e referências positivas questionáveis. Esses jovens são considerados vulneráveis, cujo conceito neste estudo é de conjunto de fatores agressivos, bem como a capacidade de reagir do indivíduo e a percepção que ele tem do ambiente temido. Objetivo: averiguar a visão dos estudantes de uma escola pública da cidade de Guarabira – PB acerca da violência no contexto escolar, bem como da vulnerabilidade existente na instituição. Método: A amostra foi constituída por adolescentes e jovens com idades entre 16 e 26 anos, estudantes de uma escola pública do Estado. O instrumento utilizado foi uma entrevista estruturada com questões subjetivas embasadas em temas como causas da violência, enfrentamento a violência, segurança e sentimentos, realizando análise de conteúdo nos dados coletados. Resultados: Os resultados demonstraram que os adolescentes e jovens investigados tinham uma concepção de violência física com agressões corporais e psicológica com humilhação, coação e desrespeito. Foram apresentadas para a violência na escola como desestruturação familiar na sociedade, a questão das drogas, recursos humanos restritos nas instituições de ensino, escolas inseridas em comunidades pouco assistida políticas públicas e falta de comprometimento da escola com a segurança. Os entrevistados demonstraram preocupação e medo quando o assunto é a violência dentro da escola, principalmente com a falta de segurança no local de estudo. Além disso, o discurso trás a falta de estratégias de segurança por parte dos administradores, fato este que eleva o medo e insegurança não apenas por parte dos alunos, mas também por parte do corpo docente e demais funcionários. As formas de enfrentamento apresentadas foram o diálogo constante com os alunos e familiares, realização de atividades físicas e culturais e construção de trabalho em equipe com participação dos alunos na composição das atividades escolares. Os participantes também coloraram a responsabilidade nos próprios alunos, quando relatam comportamentos agressivos e bullying. Conclusões: A partir deste estudo, percebeu-se que a família é a primeira a ser lembrada quando se trata de violência escolar, sendo responsabilizada pelo comportamento dos jovens e a escola responsabilizada pelo restrito apoio sócio-educacional que oferece mediante as dificuldades da educação no Brasil, bem como observou-se a necessidade de maior segurança no contexto escolar. Considerando a escola estudada, verificou-se que os alunos e os professores estão vulneráveis a violência, seja ela física ou psicológica. Assim, percebe-se a necessidade de um maior investimento na segurança das escolas públicas."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "FORMAÇÃO DE PROFESSORES"
    "palavra_chave" => "VULNERABILIDADE, VIOLÊNCIA, ESCOLA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_14_08_2014_16_09_02_idinscrito_33356_965d6f8dd535d955a56e971909c1d85b.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:28"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "FLÁVIO LÚCIO ALMEIDA LIMA"
    "autor_nome_curto" => "FLÁVIO LIMA"
    "autor_email" => "flaviopsicopb@yahoo.com.b"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Introdução: A violência protagonizada pelos jovens nas escolas é uma realidade inegável e uma preocupação crescente que transcende as paredes das escolas que envolvem escola e sociedade. Devido às exigências, as famílias muitas vezes destituem-se da sua função educativa, delegando-a a escola. No meio de toda esta confusão, estão as crianças, que, atuam conforme aquilo que observam e agem consoante os estímulos do meio. Meio esse que por vezes oferece modelos de conduta e referências positivas questionáveis. Esses jovens são considerados vulneráveis, cujo conceito neste estudo é de conjunto de fatores agressivos, bem como a capacidade de reagir do indivíduo e a percepção que ele tem do ambiente temido. Objetivo: averiguar a visão dos estudantes de uma escola pública da cidade de Guarabira – PB acerca da violência no contexto escolar, bem como da vulnerabilidade existente na instituição. Método: A amostra foi constituída por adolescentes e jovens com idades entre 16 e 26 anos, estudantes de uma escola pública do Estado. O instrumento utilizado foi uma entrevista estruturada com questões subjetivas embasadas em temas como causas da violência, enfrentamento a violência, segurança e sentimentos, realizando análise de conteúdo nos dados coletados. Resultados: Os resultados demonstraram que os adolescentes e jovens investigados tinham uma concepção de violência física com agressões corporais e psicológica com humilhação, coação e desrespeito. Foram apresentadas para a violência na escola como desestruturação familiar na sociedade, a questão das drogas, recursos humanos restritos nas instituições de ensino, escolas inseridas em comunidades pouco assistida políticas públicas e falta de comprometimento da escola com a segurança. Os entrevistados demonstraram preocupação e medo quando o assunto é a violência dentro da escola, principalmente com a falta de segurança no local de estudo. Além disso, o discurso trás a falta de estratégias de segurança por parte dos administradores, fato este que eleva o medo e insegurança não apenas por parte dos alunos, mas também por parte do corpo docente e demais funcionários. As formas de enfrentamento apresentadas foram o diálogo constante com os alunos e familiares, realização de atividades físicas e culturais e construção de trabalho em equipe com participação dos alunos na composição das atividades escolares. Os participantes também coloraram a responsabilidade nos próprios alunos, quando relatam comportamentos agressivos e bullying. Conclusões: A partir deste estudo, percebeu-se que a família é a primeira a ser lembrada quando se trata de violência escolar, sendo responsabilizada pelo comportamento dos jovens e a escola responsabilizada pelo restrito apoio sócio-educacional que oferece mediante as dificuldades da educação no Brasil, bem como observou-se a necessidade de maior segurança no contexto escolar. Considerando a escola estudada, verificou-se que os alunos e os professores estão vulneráveis a violência, seja ela física ou psicológica. Assim, percebe-se a necessidade de um maior investimento na segurança das escolas públicas.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.