Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 246
REFLEXÕES DA PRÁTICA EFETIVA E EFICAZ DO PROFESSOR NO ENSINO DE JOVENS E ADULTOS

Palavra-chaves: REFLEXÃO DA PRÁTICA, ENSINO DE JOVENS E ADULTOS, ESCRITA E LEITURA Comunicação Oral (CO) EDUCAÇÃO DE PESSOAS JOVENS E ADULTAS Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

REFLEXÕES DA PRÁTICA EFETIVA E EFICAZ DO PROFESSOR NO ENSINO DE JOVENS E ADULTOSGUERRA, Maria JoséUniversidade Estadual da Paraíba mariajguerra@oi.com.brNEVES, Benilde Cassandra Universidade Estadual da Paraíba benildecassandra2@gmail.com RESUMOEste trabalho de comunicação pretende apresentar e discutir a superficialidade das aulas de língua maternas na modalidade de ensino da Educação Jovens e Adultos (EJA), a partir do que diz o aluno pesquisado. Adota uma metodologia de abordagem qualitativa com a aplicação de um questionário numa turma de 23 alunos, na faixa etária entre 20 e 69 que estão matriculados no II Segmento da EJA. Contudo para a dimensão que assume o corpus para este estudo foi selecionado apenas uma “amostra de 5 alunos”, na faixa etária entre 20 e 69 anos. O aporte teórico que fundamenta a nossa análise se baseia nos estudos de Antunes (2003), Marcuschi (2003 e 2007), Oliveira (2010), Santos (2004) e outros. Os resultados da análise mostram, no seu conjunto, a importância do contexto nas propostas dadas: por um lado, o contexto fornecido pelo professor não trabalha com a oralidade nem com a leitura da forma que deveria ser trabalhado o que deixa o ensino descontextualizado; e, por outro lado, o contexto específico da atividade do aluno em língua portuguesa é dado para o aluno trabalhar com palavras e frases, sem contexto, o que torna o ato de escrever um verdadeiro martírio para os alunos da EJA, pois trata a escrita como dom e não como processo. Esse tipo de prática acaba por obrigar os alunos a decorarem regras e mais regras que depois não podem ser incorporada ao contexto social de cada um. Fazendo com que o EJA seja uma modalidade de ensino cada vez mais superficial e insuficiente, na formação de leitores e agentes sociais. Como consequência dessa superficialidade há uma grande evasão escolar, pois os alunos não sabem o uso social da língua portuguesa e sua importância no contexto social de sua existência. De fato, a produção da escrita, como processo, é trabalhoso, requer a formação de um professor reflexivo, capaz de mudança e de tomada de decisões geradas por meio do processo de reflexão sobre a prática.Palavras chave: Reflexão da prática. Escrita e Leitura. Ensino de jovens e adultos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.