Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

PROPOSTA DE ANÁLISE LINGUÍSTICA E ENSINO: METODOLOGIA PROPOSTA NOS LIVROS DIDÁTICOS

Palavra-chaves: ANÁLISE LINGUÍSTICA, LIVRO DIDÁTICO DE ENSINO MÉDIO, ENSINO DE LÍNGUA Comunicação Oral (CO) ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Os estudos sobre Análise Linguística (AL) surgiram em 1984, almejando contribuir com o ensino de língua que se encontrava em crise. Atualmente, esse conceito é tomado como eixo norteador do processo ensino-aprendizagem e tem como ponto de partida a busca pela reflexão sobre a língua. A respeito desse processo questionamos como os autores de Livros Didáticos de Português (LDP) para o Ensino Médio (EM), com tradição em publicações de livros didáticos, atualmente propõem o estudo dos fenômenos linguísticos e quais os princípios metodológicos verificados nas seções que se destinam ao estudo da língua. Objetivamos analisar a proposta metodológica subjacente à seção de estudo das unidades da língua em LDP de Ensino Médio. Utilizamos como referencial teórico as contribuições oficiais sobre ensino de língua em Travaglia (2006) e Brasil (2008). Sobre as propostas de pesquisadores sobre a Análise Linguística, principalmente de Geraldi (1997, 2006), Mendonça (2006) e Bezerra e Reinaldo (2013). Para tanto, tomamos como corpus as seções dedicadas ao estudo das unidades da língua, no livro didático de Ensino Médio Língua Portuguesa – linguagem e interação, de Faraco, Moura e Maruxo Jr. (2010). Esta pesquisa insere-se em uma abordagem qualitativa, classificada no tipo descritivo-exploratória. Os dados revelam que os livros didáticos sofreram influencias dos estudos oriundos da Análise Linguística, mas ainda adotam uma metodologia que não contribui com a reflexão no estudo de fenômenos linguísticos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.